Governo aponta para regresso progressivo de público aos estádios

Hugo Delgado / Lusa

-

O regresso de público aos estádios de futebol continua proibido, devido à pandemia de Covid-19, com o secretário de Estado da Juventude e Desporto a admitir esta sexta-feira a possibilidade de um retorno faseado quando houver condições de segurança.

“Temos vindo a discutir não só a própria lotação dos recintos, como também a progressividade com que isso [regresso do público] pode vir a ser feito”, afirmou aos jornalistas João Paulo Rebelo, sublinhando que o Governo, tem “tido sempre em conta essa progressividade” nas diversas medidas de combate à propagação do novo coronavírus.

O responsável reconheceu “a necessidade que o desporto tem de ter público”, assegurando que o seu gabinete tem trabalhado junto das autoridades de saúde e do Ministério de Saúde planos para que, “assim que a evolução epidemiológica, assim os números permitam”, possa ser autorizado o retorno do público aos estádios.

“É evidente que o Governo fala a uma só voz e, como nós sabemos, neste momento, não está previsto haver público nos espetáculos desportivos. Agora, isso não significa que nós não estejamos preparados e a trabalhar para que, assim que seja possível, o público possa retomar aos estádios. Faço votos para que isso possa acontecer tão depressa quanto possível”, lançou.

E acrescentou: “Todos nós sabemos que há um bem maior, que, seguramente, é consensual que todos queremos tratar, que é a nossa saúde individual e a nossa saúde coletiva“.

O governante falava à margem de uma iniciativa promovida pela Confederação de Treinadores de Portugal para assinalar o “Dia do Treinador”, em Lisboa, elogiando o trabalho dos técnicos em prol do desporto, bem como a sua capacidade de adaptação à situação causada pela pandemia, e vincando o reconhecimento internacional da competência dos treinadores portugueses.

Por seu turno, Pedro Sequeira, presidente da entidade que representa os treinadores, aproveitou a ocasião para anunciar o lançamento do projeto Portugal Coaches School, que assenta na formação, investigação e promoção de estágios de treinadores, com suporte de uma plataforma de e-learning (ensino através da internet) e arquivo.

Movimento “Sem Adeptos Não Há Futebol”

O presidente da Assembleia Geral do Leixões, Paulo Lopo, criou o Movimento Sem Adeptos Não Há Futebol, subscrito por dezenas de personalidades do futebol, que pretende pressionar as autoridades competentes a autorizarem o regresso do público aos estádios.

“Senti que havia uma inércia de todos os clubes, incluindo os grandes, e em conversa com outros presidentes, meus amigos, verifiquei que pensavam o mesmo que eu e não se manifestavam. Muitos deles diziam-me tu é que devias pegar nisto porque nós não estamos organizados’ e decidi deitar mãos à obra”, explicou Paulo Lopo, em declarações à Agência Lusa.

O objetivo do ex-presidente da direção do Leixões e principal acionista da SAD é aproveitar o desagrado da maior parte das instituições e exercer, com racionalidade, uma pressão positiva sobre as autoridades que têm o poder de decisão para mudar a atual situação.

Para Paulo Lopo, há o risco de comprometer irremediavelmente uma das atividades desportivas e económicas mais bem-sucedidas em Portugal e lembrou que em França, Alemanha, Suécia, Dinamarca, Ucrânia e Rússia, entre outros, os jogos de futebol já decorrem com uma percentagem de público nos estádios.

“Este é um manifesto pela positiva, não é contra ninguém, é apenas a favor do futebol. Vamos fazer crescer este movimento para que chegue junto de quem de direito, do Governo e das instituições que podem tomar decisões”, acrescentou Paulo Lopo, que não entende como a Direção-Geral da Saúde tem olhado para este problema.

O dirigente do Leixões considera discriminatório o tratamento que é dado pela DGS ao futebol em relação a outros espetáculos e atividades, como as touradas, os cinemas, o teatro, os comícios políticos, os restaurantes, os hotéis, as praias e os centros comerciais.

“Queremos que o público volte aos estádios de acordo com todas as regras impostas pela DGS, porque a saúde está em primeiro lugar e as medidas de segurança que protegem os adeptos são uma prioridade”, concluiu Paulo Lopo, que está convencido de que o número de apoiantes e subscritores deste movimento vai alargar-se significativamente nos próximos tempos.

Assinam o manifesto do movimento 67 personalidades do mundo do futebol, entre as quais Jorge Jesus, Sérgio Conceição, Pedro Proença, Paulo Futre, Nuno Gomes, Manuel Fernandes, Deco e Fernando Couto.

A pandemia de Covid-19 já provocou pelo menos 984 068 mortos e cerca de 32,3 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Curados da covid-19 continuam com sintomas meses depois de terem contraído o vírus

Um estudo da Universidade de Oxford indica que 64% dos pacientes hospitalizados com o novo coronavírus apresenta falta de ar 2 a 3 meses depois de serem infetados. E quase 40% tem sintomas de depressão. Já …

Portugal vai estar no Mundial sub-20 (sem jogar o apuramento)

Todas as fases do Europeu sub-19 foram canceladas e a seleção portuguesa foi uma das eleitas para participar no Mundial do próximo ano. Portugal já sabe que vai estar na fase final do Mundial sub-20 (se …

Novos implantes cardíacos podem salvar 10 mil vidas por ano

O chamado envelope antibiótico envolve o implante cardíaco e previne infeções no paciente. Por ano, morrem cerca de 10 mil pessoas devido a infeções geradas pelo implante. O pacemaker é um pequeno aparelho que é colocado …

Banda dá concerto com músicos e público envoltos em bolhas de plástico para evitar contágio

A banda norte-americana Flaming Lips utilizou bolhas insufláveis ​​de tamanho humano num concerto em Oklahoma, uma solução para proteger os músicos e o público do novo coronavírus, enquanto tenta encontrar uma forma segura para atuar …

EUA. Especialista diz que as próximas semanas "vão ser as mais negras de toda a pandemia"

Um especialista em doenças infecciosas disse que no caso dos Estados Unidos, as próximas seis a 12 semanas vão ser as mais negras de toda a pandemia de covid-19. Michael Osterholm, diretor do Centro de Investigação …

Chelsea inscreve... Petr Cech

Antigo guarda-redes poderá voltar aos relvados nesta época, embora seja pouco provável, para já. Petr Čech entrou em campo pela última vez em maio de 2019, há quase um ano e meio. Já tinha anunciado a …

Disparos de satélites e naves do Star Trek? Relatório revela como seria uma guerra no Espaço

A criação da Força Espacial dos Estados Unidos evocou todos os tipos de noções fantasiosas sobre o combate no Espaço. Assim, um novo relatório explica o que é física e praticamente possível quando se trata …

Japão prepara-se para lançar água tratada de Fukushima no mar

O Japão vai libertar mais de um milhão de toneladas de água tratada da usina nuclear de Fukushima no mar, numa operação que levará cerca de 30 anos para ficar concluída. Ambientalistas e pescadores locais …

Turismo de mergulho? Submarino da "frota perdida" de Hitler aguarda o seu destino no fundo do Mar Negro

Coberto por “redes fantasmas” deixadas por pescadores, os destroços de um submarino U-20 enviado para o Mar Negro pela Alemanha nazi tornou-se recentemente tema de um documentário produzido na Turquia. Localizado a uma profundidade de 20 …

Novo estudo diz que Remdesivir não tem "impacto significativo" nos doentes com covid-19

Ao contrário do que se pensava, o medicamento antiviral remdesivir não reduz as mortes entre os pacientes com covid-19, sobretudo quando comparado com o tratamento padrão, de acordo com os resultados de um estudo internacional. Em …