Novas reações nucleares nas ruínas de Chernobyl. São como “brasas numa churrasqueira”

Vladyslav Cherkasenko / Unsplash

Sinal de aviso de radioatividade em Pripyat, cidade próxima da Central Nuclear de Chernobyl, na Ucrânia

Nas profundezas das ruínas da Central Nuclear de Chernobyl, 35 anos após o pior acidente nuclear da História, as reações de fissão nuclear começaram a surgir novamente.

Uma equipa de cientistas do Safety Problems of Nuclear Power Plants (ISPNPP) detetou, recentemente, um número excecionalmente alto de neutrões num sala inacessível na Central Nuclear de Chernobyl, a 305/2. Isto sugere que começou a ocorrer uma nova reação de fissão nuclear.

Os investigadores estão a tentar perceber se estas manifestações físicas se apagarão por conta própria com o tempo ou se será necessária uma intervenção direta.

Neil Hyatt, da Universidade de Sheffield, disse à Science Magazine que a situação é muito semelhante a “brasas numa churrasqueira”. No fundo, os restos do Reator n.º 4, que explodiu a 26 de abril de 1986, estão a realizar pequenas reações com as massas de urânio soterradas pela imponente estrutura física da central de Chernobyl.

Anatolii Doroshenko, do ISPNPP, adiantou que sensores posicionados à volta da proteção do reator destruído identificaram um número crescente de neutrões – um indício de fissão nuclear – vindo de uma sala inacessível.

Desde a última semana, tem-se vindo a colocar a hipótese de desmantelar o reator. “Ainda há muitas incertezas. Mas não podemos descartar a possibilidade de um acidente”, disse Maxim Saveliev, outro especialista do Instituto.

Ainda assim, os neutrões estão a aumentar a um ritmo lento, o que dá aos cientistas alguns anos de pesquisa para saber como evitar eventuais ameaças.

A culpada pode ser a chuva. O sarcófago – conhecido como “Shelter” -, erguido um ano após o desastre com o objetivo de isolar o Reator n.º 4, permitiu que a água da chuva escorresse nos escombros e componentes remanescentes.

Como a água reage com os neutrões a ponto de se aprimorarem e destruírem núcleos de urânio, o fenómeno pode fazer com que o número destas partículas aumente.

Os especialistas chegaram a instalar irrigadores de gadolínio, um elemento químico capaz de absorver neutrões, na década de 1990. No entanto, como se encontram no teto do “Shelter”, não penetram nas partes mais profundas dos escombros.

Não há qualquer probabilidade de o desastre de 1986 se repetir, uma vez que a estrutura que alavancou o incidente já não existe. Apesar disso, os cientistas concordam que os desenvolvimentos recentes não podem ser ignorados.

Liliana Malainho, ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Isto havia de ser era no Kremlin onde estão e estiveram os responsáveis por estas engenhocas pouco ou nada seguras!

  2. De mal a pior, isso que disse, com o devido respeito, é um perfeito disparate. Aquela central, à data, seria talvez a mais avançada do planeta. E tal como o 1o grande acidente antes desse, os anos 70 nos EUA, foi erro humano.
    Passe bem

  3. Complatamente em desacordo nem era nada avançada, nem segura, e nem tinha bons tecnicos. Antes pelo contrario por isso se deu o acidente, quando pelo menos em França Inglaterra e mais paizes existiam variias centrais e aqui sim mais modernas e com tecnicos de mais experiencia.

RESPONDER

Destroços de avião descobertos no fundo de um lago nos EUA podem pôr fim a um mistério de 56 anos

Trabalhadores que testam equipamentos de investigação subaquática dizem ter encontrado os destroços de um pequeno avião nas profundezas do lago Folsom, na Califórnia. A confirmar-se, podem ter resolvido um mistério com 56 anos. As imagens de …

Norte-americanos envolvidos na fuga de Carlos Ghosn declaram-se culpados

Os dois norte-americanos acusados de ajudarem o ex-presidente da Nissan Carlos Ghosn a fugir do Japão quando aguardava julgamento em liberdade sob fiança declararam-se esta segunda-feira culpados perante a justiça japonesa. De acordo com fontes da …

Enfermeira tentou provar que as vacinas tornam as pessoas magnéticas (mas não correu como previsto)

Na semana passada, a enfermeira negacionista de Ohio Joanna Overholt tentou, durante uma sessão legislativa, provar que as vacinas contra a covid-19 tornam as pessoas magnéticas. Mas não foi bem sucedida. O teste do íman resulta …

Foda e Kostadinov: as recordações à volta do Áustria-Macedónia do Norte

O selecionador da Áustria e um dos jogadores da Macedónia do Norte trouxeram memórias dos anos 90. O jogo entre Áustria e Macedónia do Norte, que terminou com vitória austríaca por 3-1, não estava propriamente na …

Paquistão. Quem não se vacinar pode ficar sem acesso ao telemóvel

O governo regional de Punjab, no Paquistão, decidiu que os cidadãos que não se vacinarem contra a covid-19 "ao fim de um certo tempo" podem ver o cartão SIM do seu telemóvel bloqueado. "Estamos a fazer …

Seleção Nacional testa negativo na véspera da estreia no Europeu

Depois do susto de João Cancelo, que testou positivo ao novo coronavírus, a seleção nacional respira de alívio na véspera da estreia no Europeu, depois de ter testado negativo à covid-19. Esta segunda-feira de manhã, a …

Associação quer que os testes em eventos culturais sejam gratuitos

A Associação Espetáculo - Agentes e Produtores Portugueses defendeu que os testes de diagnóstico à covid-19 devem ser gratuitos em eventos culturais. A Associação Espetáculo – Agentes e Produtores Portugueses defendeu, este domingo, que os testes …

Advogados repudiam declarações de Cabrita sobre agendamentos do SEF

Um grupo de advogados repudiou as declarações do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, que atribuem a um escritório de advogados a responsabilidade pelo mau funcionamento do sistema de agendamentos para atribuição de vistos de …

Fundo Azul só aplicou um quarto do orçamento desde 2016

O Fundo Azul tem tido um orçamento anual de 13 milhões de euros nos últimos cinco anos, mas não tem gasto três quartos desde 2016. Em cinco anos, o Fundo Azul entregou apenas 17 milhões de …

Polónia 1-2 Eslováquia | Paulo Sousa surpreendido no arranque

A Polónia, comandada pelo treinador português Paulo Sousa, entrou hoje da pior forma no Euro2020, ao perder por 2-1 com a Eslováquia, em encontro do Grupo E, disputado em São Petersburgo, na Rússia. O guarda-redes Wojciech …