Rajoy quer governar mesmo que seja em minoria

eppofficial / Flickr

Mariano Rajoy, primeiro-ministro e líder do Partido Popular espanhol

Mariano Rajoy, primeiro-ministro e líder do Partido Popular espanhol

O líder do partido mais votado em Espanha, Mariano Rajoy, vai tentar formar um governo estável e “para quatro anos”, sem afastar a possibilidade de governar em minoria e “com pactos pontuais”.

O presidente do governo de gestão, do Partido Popular (PP), prefere um governo “com sólido apoio governamental”, como insistiu várias vezes na segunda-feira, e para isso deverá começar por se reunir com Pedro Sánchez, líder do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) – o segundo partido mais votado -, quando regressar a Madrid na quinta-feira, depois de participar na reunião da União Europeia sobre a decisão do Reino Unido de abandonar a União Europeia.

“Não vamos abdicar da responsabilidade de governar e eu não vou renunciar a governar porque há oito milhões de que nos apoiaram. Gostaria de governar com um apoio suficiente, mas se não for possível, governaremos com os apoios que nos deram os espanhóis e, suponho, com alguns pactos pontuais”, disse Rajoy na segunda-feira, depois de o comité executivo do PP ter analisado o resultado das eleições de 26 de junho.

Contra as expectativas iniciais, o PP, de direita, foi o único partido a ganhar votos e lugares no parlamento nas eleições realizadas domingo, em que os eleitores parecem ter decidido regressar aos partidos tradicionais (PP e PSOE) e penalizar as novas formações em ascensão até dezembro passado (a aliança de extrema esquerda Unidos Podemos e os liberais do centro Ciudadanos).

Política e matemática

O PP, de Mariano Rajoy, foi o mais votado nas eleições de domingo, com 137 deputados, mais 14 que nas legislativas de dezembro, mas longe dos 176 mandatos que dão a maioria absoluta no congresso espanhol.

O PSOE, de Pedro Sanchez, ficou em segundo lugar, com 85 lugares (90 em dezembro), enquanto a aliança de esquerda Unidos Podemos, que as sondagens colocavam em segundo lugar, ficou em terceiro e elegeu 71 deputados, com o Ciudadanos a conseguir 32 assentos.

Apenas uma coligação do PP com o PSOE conseguirá reunir os lugares suficientes para que Espanha possa ter um governo de maioria, na sequência das eleições de domingo.

Estendo a minha mão aos partidos moderados“, disse segunda-feira Mariano Rajoy a pensar no PSOE e no Ciudadanos, mas ao mesmo tempo avisava que está “aberto a todas as fórmulas” e insistia que não irá “abdicar de governar, porque tem o apoio dos espanhóis”.

Para o presidente do governo de gestão, pensar na possibilidade de se voltarem a realizar eleições, as terceiras, para sair do impasse criado pela consulta de dezembro seria “irresponsável”, um cenário que todos os outros dirigentes partidários também afastam.

Rajoy já indicou que preferia liderar uma grande coligação com o PSOE e começará por falar com Pedro Sánchez, mas ao contrário do que aconteceu em dezembro, as suas opções são agora mais amplas.

O chefe do governo de gestão acredita que o Ciudadanos, de Albert Rivera, poderá ainda levantar a oposição que tem a uma coligação com o PP liderada por Mariano Rajoy ao qual se poderiam ainda juntar outros partidos nacionalistas moderados: Partido Nacionalista Basco e Coligação Canária.

Esta aliança de partidos do centro e centro-direita conseguiria chegar aos 175 lugares de um total de 350, e ficaria a um lugar da maioria desejada no Congresso dos Deputados, cujos membros tomam posse a 19 de julho.

Poucos dias depois da constituição das duas câmaras, mas sem prazo definido, o rei de Espanha, Filipe VI iniciará as consultas com os partidos para, em seguida, fazer uma proposta de candidato a assumir a presidência do governo.

A visita a Espanha do presidente dos Estados Unidos, Barak Obama, irá apanhar os principais dirigentes políticos do país em pleno período de negociações para formação do governo.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Bloco quer proibir banca de distribuir lucros (e pede ajuda ao PSD)

O Bloco de Esquerda quer proibir os bancos de distribuírem dividendos em 2020 e pede ajuda ao PSD para o conseguir. Em videoconferência, Mariana Mortágua lançou um desafio ao líder social-democrata. O Bloco de Esquerda anunciou …

Ordens duvidam dos números de infetados (e admitem fazer o seu próprio levantamento)

Segundo os números anunciados na quarta-feira, havia 1.124 profissionais de saúde e oito deles estavam internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI). Mas estes números não convencem as Ordens. De acordo com o Observador, o bastonário …

Europa tem que ser o seu "próprio Plano Marshall". Centeno defende solução sem o "estigma" da austeridade

Mário Centeno continua a incentivar uma solução conjunta assente na ideia da solidariedade europeia perante "uma crise inesperada e sem precedentes" devido à pandemia de Covid-19. Como presidente do Eurogrupo, o ministro das Finanças de …

Há mais de 10 mil infetados em Portugal e mais 20 mortes

O boletim epidemiológico da Direção-geral da Saúde deste sábado regista 10.524 casos de infeção por covid-19 em Portugal. Há mais 20 mortes, num total de 266 óbitos. Nas últimas 24 horas, até à meia-noite, foram registados …

Quase meio milhão de portugueses estão em lay-off. "Sistema é errado", diz Francisco Louçã

Uma semana depois de o Governo ter aberto a porta ao lay-off simplificado, mais de 22 mil empresas já recorreram a este novo regime. Atualmente, há 425.287 trabalhadores nessa situação. Francisco Louçã considera este sistema …

Costa "chocado" com caso da morte no aeroporto. Enfermeira, médico e polícias também investigados

Além dos três inspectores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) que são suspeitos de terem agredido um cidadão ucraniano, que acabou por morrer, também há outros elementos do SEF, um médicos e uma enfermeira, …

Reino Unido ultrapassa número de óbitos da China. Itália ainda não conseguiu inverter a curva

O Reino Unido regista agora um número de óbitos superior ao número registado na China. Em Itália, embora o pico já possa ter sido ultrapassado, o país ainda não conseguiu inverter a curva epidemiológica. Nas últimas …

Keir Starmer substitui Jeremy Corbyn e é o novo líder do Labour

Keir Starmer, de 57 anos, que tem feito parte da equipa de topo de Jeremy Corbyn nos últimos três anos, no papel de secretário sombra do Brexit, é o novo líder do Partido Trabalhista. De acordo …

Marcelo vai pedir "apoio rápido e robusto" aos cinco maiores bancos do país

Marcelo Rebelo de Sousa vai reunir-se na próxima segunda-feira com os presidentes dos cinco maiores bancos portugueses para discutir o apoio que a banca pode dar às empresas e famílias. De acordo com semanário Expresso, o …

Turquia retém avião com ventiladores para Espanha

A ministra das Relações Exteriores de Espanha, Arancha González Laya, disse esta sexta-feira que as autoridades da Turquia retêm em Ancara um avião oriundo da China com ventiladores, para combater a pandemia de covid-19. A ministra …