Radiação cósmica vai afetar cérebro dos astronautas que forem a Marte

JPL-Caltech / NASA

    Curiosity / Mars Science Laboratory aproximando-se de Marte, conceito de artista

Curiosity / Mars Science Laboratory aproximando-se de Marte, conceito de artista

O CEO da SpaceX Elon Musk já deixou bem claro que quem quiser participar no seu plano mirabolante de colonizar Marte precisa de concordar em entrar numa missão suicida.

Segundo o visionário empresário, há um pequeno aumento na probabilidade de os passageiros desenvolverem cancro, mas não era algo com que estivesse preocupado de momento.

Mas um estudo realizado por cientistas da Universidade da Califórnia pode fazer com que Elon Musk comece a preocupar-se com a radiação durante a viagem ao planeta vermelho.

Segundo a pesquisa, publicada na Scientific Reports, os cientistas bombardearam cobaias com oxigénio ionizado e titânio, os tipos de partículas carregadas encontradas nos raios cósmicos galácticos que são mais propensos a atravessar a blindagem das naves espaciais.

Astronautas em missões longas devem passar por essas condições, e o preocupante é que os resultados não foram nem um pouco animadores.

Os raios cósmicos simulados causaram danos aos neurónios e inflamação cerebral, que ainda se encontravam presentes seis meses após a experiência.

Nesse estado, os astronautas podem ter dificuldades em tomar decisões ou realizar tarefas, além de sofrerem variações de humor.

20th Century Fox

Matt Damon, "The martian" (Ridley Scott, 2015)

Matt Damon, “The martian” (Ridley Scott, 2015)

Há ainda um efeito prejudicial da radiação sobre um processo cerebral, chamado “extinção do medo” – isto é, a nossa capacidade de esquecer traumas anteriores para que não vivamos num estado constante de ansiedade.

Estudos como este já foram antes realizados, com resultados quase tão alarmantes.

Algumas pesquisas financiadas pela NASA demonstraram mesmo danos neurológicos parecidos em roedores, mas este é o primeiro estudo que mostra como o dano é prolongado, explica o professor Charles Limoli, investigador da Universidade da Califórnia, à Phys.org.

“O ambiente no espaço coloca desafios e levanta problemas únicos aos astronautas”, realça Limoli, autor principal do estudo.

Vale a pena lembrar que os astronautas da Estação Espacial Internacional não sofrem com os raios cósmicos galácticos porque a estação está ainda dentro da magnetosfera, que protege a Terra da maior parte da radiação cósmica.

Todos sabemos que enviar uma missão tripulada a Marte vai ser perigoso. A nova preocupação agora é saber qual será o estado dos futuros colonizadores quando eles pousarem no planeta vermelho.

ZAP / Canaltech

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Se a magnetosfera protege os astronautas, bem que ela poderia ir junto. Poderiam mudar a órbita da Terra, para que ela fosse em direção à Marte. Assim, todo o mundo poderia ir lá.

  2. Simples.
    Se o Elon Musk conseguir reproduzir uma radiação magnética igual à nossa magnetosfera, e a induzir numa nave espacial, conseguimos fazer viagens espaciais sem problemas.

RESPONDER

A Evolução mostra que podemos ser a única forma de vida inteligente no Universo

As reduzidas probabilidades que acompanham a nossa evolução ao longo da história podem ser uma pista que talvez sejamos a única forma de vida inteligente no Universo. Será que estamos sozinhos no Universo? Tudo se resume …

A China está a usar a educação como arma para controlar o Tibete

A China quer obrigar crianças tibetanas a abandonarem as escolas da região e mudarem-se para escolas chinesas. O objetivo, segundo uma especialista, é "tirar o tibetano da criança". A batalha geopolítica entre a China e o …

Revelada explosão violenta no coração de um sistema que alberga um buraco negro

Uma equipa de astrónomos, liderada pela Universidade de Southampton, usou câmaras de última geração para criar um filme com alta taxa de quadros de um sistema com um buraco negro em crescimento e a um …

"É altura de dizer basta". Sporting corta com as claques

O Sporting rescindiu “com efeitos imediatos” os protocolos que celebrou em 31 de julho com a Associação Juventude Leonina e com o Diretivo Ultras XXI – Associação, anunciou hoje o clube, devido à “escalada de …

Poluição atmosférica associada a abortos espontâneos

Elevados níveis de poluição atmosférica foram associados a abortos espontâneos num estudo feito com mulheres grávidas a viver e trabalhar em Beijing, na China. A China é um dos países que mais sofre com a poluição …

Empresas espanholas dominam obras públicas na ferrovia

As empresas espanholas dominam as obras públicas na ferrovia em Portugal, ascendendo a sua quota a 70%, avança o Expresso na sua edição deste sábado. Para presidente da Associação de Empresas de Construção e Obras …

Cada vez mais mulheres denunciam abusos médicos durante o parto

Um número crescente de mulheres tem vindo a denunciar casos de abuso durante o trabalho de parto. No entanto, pouco está a ser feito para mudar isto. Durante o parto, as mulheres ficam numa posição vulnerável …

Já podemos explorar "Melckmeyd", naufrágio holandês do século XVII

Nas profundezas do Oceano Atlântico, perto da costa da Islândia, encontram-se os destroços de um navio holandês que afundou há 360 anos, no qual agora podemos "mergulhar" graças a uma experiência de realidade virtual. Quando a …

Os furacões podem provocar atividade sísmica tal como um terramoto

Uma equipa de cientistas descobriu um novo fenómeno geofísico no qual furacões ou fortes tempestades podem produzir vibrações no fundo do oceano tão fortes quanto um terramoto de magnitude 3.5. "As tempestades, furacões ou ciclones extratropicais …

Quem anda mais devagar pode envelhecer mais rapidamente

A velocidade a que caminham as pessoas aos 45 anos pode ser um indicador de como é que o cérebro e o corpo envelhecem, revela um novo estudo levado a cabo por uma equipa de …