Quer pilotar um eVTOL pelos céus de Nova Iorque? Uma empresa vai permiti-lo já no próximo ano

LIFT Aircraft

eVTOL Hexa

O Hexa consiste num multicóptero tripulado com 18 pequenas escoras verticais de elevação para uma redundância maciça.

Se sempre ambicionou pilotar um avião da próxima geração, fique a saber que tal poderá ser possível mais depressa do que certamente imaginava — e mesmo sem precisar de um curso de piloto. A empresa Lift Aircraft anunciou que será preciso menos de uma hora para aprender a pilotar o Hexa eVTOL. Após esse período, cada cidadão estará apto a uma viagem turística única e espetacular.

Enquanto grandes táxis aéreos, como a Joby e Archer, lutam, nos Estados Unidos da América, por ultrapassar um prolongado e exigente processo da certificação da Agência Federal de Aviação, com expectativas de chegar ao mercado em 2025, a Lift parece ter encontrado uma lacuna que levará os eVTOLs à utilização antecipada.

O Hexa consiste numa fuselagem super-simples e leve: um multicóptero tripulado com 18 pequenas escoras verticais de elevação para uma redundância maciça, uma pequena cabine de assento único, e um conjunto de flutuadores volumosos no fundo concebido para poder aterrar no solo ou na água, caso necessário.

Com apenas 196 kg, qualifica-se como avião ultraleve motorizado segundo as normas FAA — o que significa não precisa de uma licença de piloto para ser pilotado, desde que se mantenha no espaço aéreo descontrolado (onde não circulam os aviões) e em áreas de sobrevoo descongestionadas. A empresa fabricante, a Lift, fez questão de destacar que há muito deste tipo de espaço aéreo à volta da ilha de Manhattan, sendo o eVTOL também incrivelmente fácil de pilotar, com descolagem e aterragem totalmente automatizadas.

Segundo a Lift, as aulas podem decorrer num simulador de realidade virtual no escritório em terra. Após um rápido “teste de aptidão e conhecimento”, qualquer um se poderá tornar um piloto capacitado. A partir daí, pode reservar um voo sempre que desejar através de uma aplicação de smartphone, descreve o New Atlas.

Uma vez a bordo, um ecrã procede à verificação pré-voo, ajuda-o a estabelecer comunicações via rádio com a equipa de controlo de voo da Lift, depois passa por uma verificação de sistemas e subir até uma altitude de 10,6 metros. Depois disso, o piloto fica livre para se divertir como quiser durante os próximos oito a 15 minutos, dentro da sua área de voo e com a aeronave a assegurar-se automaticamente de que se mantém bem afastada de outras aeronaves.

O sistema parece estar mesmo desenhado para os principiantes que pretendam apenas fazer viagens de curta distância, apresentando ainda a capacidade de desbloquear velocidades mais altas e distâncias maiores depois de ter alguns voos realizados.

A Lift assinou uma carta de intenções com a Charm Aviation, um dos maiores operadores turísticos de helicópteros da Costa Leste, para criar uma nova empresa conjunta com uma pré-compra para 100 aeronaves Hexa que serão alugadas para voos de prazer pessoal. As companhias desenvolverão múltiplos locais de vertiporte em torno da grande área de Nova Iorque.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.