Filhas de Putin, espiões e muitos mais. Quem vive nos secretos “kukushkas” russos?

Ekaterina Chesnokova / Sputnik

Maria Vorontsova, a filha mais velha de Vladimir Putin.

As filhas de Vladimir Putin e a famosa espia Anna Chapman são algumas das inquilinas dos esconderijos russos. Há rumores de que Edward Snowden também tenha estado num.

Desde os tempos da KGB, havia centenas de esconderijos espalhados pela capital russa. Estas casas eram conhecidas como “kukushkas”“cucos”, em português — e estavam registadas em nomes de pessoas e empresas falsas.

Com o fim da KGB, muitos dos esconderijos passaram para as mãos do Serviço Federal de Segurança (FSB) e do Serviço de Inteligência Estrangeiro (SVR), os seus sucessores.

Em 2010, um dos esconderijos recebeu novos inquilinos. Um deles, uma cara conhecida de praticamente todos os russos: Maria Vorontsova Putin, a filha mais velha do Presidente russo, Vladimir Putin; e o seu marido neerlandês, Jorrit Faassen.

A nova residência do casal era guardada por membros do Serviço de Segurança Presidencial 24 horas por dia. Apesar disso, o casal raramente era visto em casa, preferindo continuar a viajar pelo mundo.

Outra filha de Putin, a mais nova, Katerina Tikhonova, morava noutro “cuco” em Moscovo, segundo o site russo The Insider. A propriedade estava registada em nome de I.N. Larionov que, sem surpresas, não tem dados de identificação, documentos ou biografia oficial.

Rumores sugeriam ainda que o Edward Snowden, norte-americano refugiado na Rússia desde maio de 2013 por ter divulgado documentos secretos sobre as atividades da NSA, estaria alojado noutro kukushka.

O próprio chegou a negar a informação: “É mentira. Não coopero com espiões nem moro numa casa segura, muito menos à beira da Embaixada do Reino Unido”.

O ex-agente letão da KGB Boris Karpichkov, que mais tarde fugiu para o Reino Unido, revelou a localização de outro dos esconderijos. Sete pessoas sem dados de identificação foram listadas entre os inquilinos do edifício. O dono legal do “cuco” é um mistério.

Anna Chapman é outra inquilina de renome. A russa viveu nos Estados Unidos e no Reino Unido e ganhou notoriedade quando foi detida, a 27 de junho de 2010, com nove outras pessoas, numa operação conduzida pelo FBI. Chapman foi acusada de espiar ao serviço do SVR.

Chapman declarou-se culpada pelas acusações de conspiração com governo estrangeiro para fins de espionagem. Foi deportada para a Rússia no dia 8 de julho, como parte de uma troca de prisioneiros. Atualmente trabalha como empresária e já apareceu em vários programas de televisão russos.

Anna Chapman e o coronel da KGB-SVR Mikhail Vasenkov e sua esposa, que também foram deportados dos EUA, foram alojados na antiga casa, que foi ocupada pelo KGB e usada como esconderijo.

Andrei Bezrukov e a sua esposa, Elena Vavilova, eram agentes de inteligência que viveram nos Estados Unidos sob identidades falsas durante 20 anos enquanto faziam conexões na América do Norte.

Depois de uma troca de prisioneiros, eles não tinham o seu próprio apartamento em Moscovo, mas foram alojados num esconderijo em Mozhaiskiy Val, sob um nome de proprietário falso. Mais tarde, foram contratados como consultores de grandes empresas russas, escreveram autobiografias e apareceram na TV.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.