PSP detém 23 pessoas durante o Carnaval. Metade estavam infetadas

6

António Cotrim / Lusa

No fim-de-semana de Carnaval, apesar de confinado e sem desfiles, a Polícia de Segurança Pública (PSP) deteve 23 pessoas, das quais 12 estavam infetadas com covid-19.

De acordo com a TSF, o subintendente da Polícia de Segurança Pública (PSP) Luís Elias revelou que o Carnaval, apesar das medidas de confinamento, chegou ao fim com “números expressivos” de contraordenações.

Na operação, que começou no sábado de manhã, foram registadas 23 detenções, das quais 12 deveram-se a desobediência à obrigação do confinamento obrigatório. Estas 12 pessoas eram cidadãos infetados que foram encontrados na via pública.

Quanto à prevenção da pandemia, foram elaborados 2.140 autos por contraordenação, dos quais 188 por não-utilização de máscara e 100 por consumo de bebidas alcoólicas na via pública. Foram também encerrados 17 estabelecimentos comerciais neste período.

A PSP não registou festas ilegais ou de “potenciais violações generalizadas”, sendo que Luís Elias afirma que, na generalidade, os portugueses resistiram à tentação de sair à rua no Carnaval.

“Durante a semana, tivemos uma melhoria das condições meteorológicas, que levou, nalguns locais, a uma maior circulação do que seria normal. Nessas situações, a Polícia de Segurança Pública fez o seu trabalho: fiscalizou e sensibilizou as pessoas no sentido de regressarem às suas residências. Nos casos em que se verificou o incumprimento, autuou os cidadãos que estavam em incumprimento”, resumiu.

Em entrevista à Rádio Observador, o responsável garantiu “que não foram registadas situações graves ou preocupantes”, uma vez que, “os portugueses estão cada vez mais a acatar melhor as regras de combate à pandemia”.

  Maria Campos, ZAP //

 

 

6 Comments

  1. a esses infectados era umas boas bastonadas no corpo.
    depois coloca-los a limpar os covidarios dos hospitais mas sem protecçoes
    era um bom castigo

  2. E por este caminho que virus nao para de expandir….

    Tem de haver castigos…trabalhos comunitarios para essa gente ou prisao…

    contra senso estarem familias em casa cumbrir e outros a destruir, nao pode ser…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.