Proteína cerebral pode ser a chave para o tratamento do Parkinson

A doença de Parkinson é causada pela perda gradual de neurónios de dopamina. Recentemente, uma equipa de investigadores encontrou uma proteína cerebral capaz de prevenir a perda de neurónios dopaminérgicos, uma descoberta importante para o desenvolvimento de novos tratamentos.

A comunidade científica tem vindo a estudar o uso de fatores neurotróficos para retardar a progressão da doença de Parkinson, que afeta atualmente cerca de 10 milhões de pessoas em todo o mundo. Esta família de biomoléculas, normalmente encontradas no cérebro, desempenham um importante papel de nutrição e proteção de diferentes tipos de neurónios, incluindo os dopaminérgicos, essenciais no controlo dos movimentos.

O The Next Web explica que, em 1993, os cientistas descobriram que o fator neurotrófico derivado da linha de células gliais (GDNF) protegia os neurónios de dopamina em testes laboratoriais. No início dos anos 2000, os investigadores deram início aos ensaios clínicos, nos quais o GDNF era aplicado diretamente em cérebros de pacientes com Parkinson.

Os primeiros testes apresentaram resultados promissores. No entanto, depois de ter passado por estudos clínicos nos quais os pacientes se dividiram em dois grupos – os que receberam o medicamento e o grupo placebo – o tratamento com GDNF não mostrou melhora significativa nos sintomas dos pacientes com Parkinson.

No ano passado, um ensaio clínico produziu resultados dececionantes, naquele que foi o grande golpe para a comunidade de cientistas que estudam a doença de Parkinson.

Mas um outro fator neurotrófico, chamado GDF5, revelou-se promissor. Apesar de estar relacionado com o GDNF, atua de forma diferente nos neurónios dopaminérgicos, desempenhando um papel importante no desenvolvimento e funcionamento. O artigo científico com a descoberta foi publicado no dia 30 de novembro na Brain.

Os cientistas explicam que o GDF5 teve efeitos benéficos em ratos, nos quais o GDNF já havia demonstrado ineficácia. Em comparação com estudos anteriores, foi possível, desta vez, imitar com mais precisão a doença de Parkinson humana.

A equipa aplicou excesso de alfa-sinucleína (provável proteína envolvida na doença) no cérebro dos ratos para replicar o Parkinson e inseriu o gene responsável por produzir a proteína GDF5 nos seres humanos.

Seis meses depois, os investigadores contaram os neurónios de dopamina nos animais e descobriram que, no grupo não tratado com a proteína, cerca de 40% a 50% dos neurónios morreram. O mesmo não se verificou com uso de GDF5. Além disso, este fator neurotrófico aumentou a quantidade de dopamina no cérebro.

O próximo passo é descobrir qual a melhor fase da doença para se aplicar o GDF5 no órgão e desacelerar a progressão do Parkinson.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Mayflower 2.0: um navio autónomo pilotado por IA está a refazer a viagem do original

Quatro séculos e uma pandemia depois de o Mayflower original ter zarpado do porto de Southampton, numa jornada histórica para a América, outro veículo pioneiro com o mesmo nome partiu para refazer a mesma viagem. O …

Halterofilista neozelandesa será a primeira atleta transgénero a competir nos Jogos Olímpicos

A neozelandesa Laurel Hubbard, de 43 anos, classificou-se para os Jogos Olímpicos de Tóquio na categoria acima de 87kg feminina (super pesadas) do levantamento de peso, tornando-se a primeira atleta transgénero a participar na competição. "Estou …

República Checa 0-1 Inglaterra | Serviços mínimos valem topo

A Inglaterra, que tinha assegurado o apuramento na segunda-feira, garantiu o primeiro lugar do Grupo D do Euro 2020, ao vencer a República Checa por 1-0, com um golo madrugador, no mítico estádio de Wembley. Num …

Croácia 3-1 Escócia | Croatas de trivela rumo aos oitavos

A Croácia, liderada pelos ‘craques’ Luka Modric e Ivan Perisic, qualificou-se hoje para os oitavos de final do Euro2020 de futebol, ao vencer por 3-1 a Escócia, que eliminou, num Grupo D conquistado pela Inglaterra. Os …

Asteroide tem nome de astrofísico português Nuno Peixinho

O astrofísico português Nuno Peixinho dá nome a um asteroide, descoberto em 1998 e que tem pouco mais de 10 quilómetros de diâmetro, anunciou esta segunda-feira o Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA), …

"É inaceitável". Ana Mendes Godinho critica situações de trabalho temporário que "duram décadas"

A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho, insistiu esta terça-feira na relevância do combate à precariedade, sinalizando a intenção de restringir o trabalho temporário. "Tem de haver mecanismos mais fortes para combater a segmentação do mercado …

Hitler expulsou os soldados judeus há oito décadas. Agora, um rabino junta-se ao exército alemão

No início da Segunda Guerra Mundial, Hitler expulsou os judeus das Forças Armadas na década de 1930. Agora, Zsolt Balla irá assumir o cargo de rabino-chefe do exército alemão. Mais de 80 anos depois, aquilo que …

Rio critica Governo após "justa indignação" de Merkel

O presidente do PSD acusou esta terça-feira o Governo de estar a fazer Portugal passar “por uma vergonha desnecessária”, considerando que depois da “vexatória desconsideração” do Reino Unido, os portugueses têm que “ouvir a justa …

Amazon acusada de destruir milhões de itens não vendidos todos os anos

A Amazon foi acusada de destruir milhões de itens não vendidos todos os anos, segundo uma investigação da Newsweek, publicada na segunda-feira. "Uma investigação da ITV News num dos centros de distribuição da Amazon no Reino …

Enquanto o mundo lutava contra uma pandemia, a Guiné declarava o fim do segundo surto do Ébola

No passado sábado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou o fim do segundo surto de Ébola na Guiné-Conacri, que vitimou mortalmente 12 pessoas. "Tenho a honra de declarar o fim do Ébola na Guiné", disse …