Proteção de emergência ativada na central de Zaporíjia. Russos rejeitam proposta de desmilitarização da ONU

(h) Russian Defence Ministry / EPA

Lançador de mísseis Tornado-G do Exército da Rússia em ação na Ucrânia

O Energoatom, regulador nuclear estatal ucraniano que controla a central nuclear de Zaporíjia, disse esta sexta-feira que a instalação está a “operar com o risco de violar as normas de segurança contra radiação e incêndio”.

“Como resultado do ataque à central nuclear de Zaporíjia, a proteção de emergência numa das unidades de energia foi ativada; uma das três unidades de energia em funcionamento está agora desconectada”, disse o regulador nuclear estatal da Ucrânia no Telegram, citado pela CNN.

Apesar de estar controlada pelas forças russas, a maioria dos funcionários da central ainda é ucraniana e a instalação “continua a operar” e a “produzir eletricidade para as necessidades do sistema energético doméstico”.

Na semana passada, o Energoatom já tinha alertado para um risco alto de “incêndio”, “fuga de hidrogénio e pulverização radioativa” na central nuclear de Zaporíjia.

As Nações Unidas têm-se pronunciado sobre o risco de acidente nuclear na central de Zaporíjia. “Estou extremamente preocupado”, assumiu Rafael Grossi, diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atómica. Há uma “longa série de relatórios cada vez mais alarmantes” vindos de ambos os lados do conflito entre a Rússia e a Ucrânia.

Esta quinta-feira, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, pediu que a central nuclear “não seja usada como parte de nenhuma operação militar” e sugeriu um acordo para estabelecer um “perímetro de segurança e desmilitarização”.

O representante russo na ONU, Vasyl Nebenzia, declarou, porém, que a Rússia não apoia essa proposta. “A desmilitarização da estação pode torná-la vulnerável aos que a quiserem visitar. Ninguém sabe quais seriam os seus objetivos. Não podemos excluir provocações ou ataques terroristas na central, que devemos proteger”, disse.

Já o antigo Presidente russo Dmitry Medvedev reagiu às acusações ucranianas de que a Rússia terá atacado a central nuclear. “Dizem que é a Rússia [atacou Zaporíjia]”, mas isso é obviamente 100% ‘nonsense’, até para o estúpido público russofóbico”, afirmou Medvedev no Telegram.

“O que posso dizer? Não nos esqueçamos de que a União Europeia também tem centrais nucleares. Também podem acontecer acidentes lá”, indicou ainda o vice-presidente do Conselho de Segurança Nacional russo.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.