Professora despedida “por ser lésbica” causa indignação em Itália

nicholasjon / Flickr

-

Uma professora de uma escola católica no norte de Itália está a acusar a instituição de a ter despedido por causa da sua orientação sexual, num caso que está a causar grande polémica no país.

A professora em causa, docente do colégio católico Sacro Cuore, na cidade de Trento, diz que foi questionada pela direcção da escola acerca da sua orientação sexual e que se recusou a responder a perguntas íntimas.

“A diretora afirmou que eu era uma boa profissional, mas que havia problemas por causa de boatos que diziam que eu seria lésbica”, disse a professora, que quer manter o anonimato.

Citada pelo jornal La Stampa, a professora diz que se recusou a desmentir o facto, conforme pedido pela directora, a madre católica Eugenia Libratore.

Depois disso a professoria viria a ser informada de que o seu contrato não seria renovado.

Aspectos éticos

Numa nota à imprensa, a escola não negou as alegações da professora.

“Quando escolho uma professora para uma escola católica, devo também levar em conta aspectos éticos e morais”, disse a madre.

Libratore diz que falou com a professora para esclarecer boatos que tinha ouvido.

Università Campus Bio-Medico di Roma / Flickr

A ministra italiana da Educação, Stefania Giannini

A ministra italiana da Educação, Stefania Giannini

“Ela nem pelo menos respondeu às perguntas. Tinha que saber, já que sou responsável por mil alunos e mais de cem professores.”

Numa nota posterior, divulgada pelo jornal local Il Trentino, a escola Sacre Cuore diz que a professora teria “feito observações impróprias sobre sexualidade, impróprias ao ambiente escolar”.

Segundo a nota, pais e alunos teriam comentado o facto junto da direcção do colégio.

Polémica

A ministra italiana da Educação, Stefania Giannini, diz que o seu Ministério abriu uma investigação para apurar os factos.

“Se realmente houve discriminação sexual, seremos muito severos”, disse Giannini.

Vários grupos que representam os interesses de gays e lésbicas em Itália protestaram contra o ocorrido.

A associação Arcigay exigiu que o governo da província da cidade de Trento esclareça o caso rapidamente, já que a escola é financiada com dinheiro público.

Numa nota conjunta, as associações Arcilesbica, Agedo, Equality e Famiglie Arcobaleno dizem que o ocorrido equivale a uma “execução sumária” e pedem à ministra da educação que “restaure a dignidade à professora ofendida”.

A docente não decidiu ainda se abrirá processo contra a escola. Citada pelo jornal Il Fatto Quotidiano, ela diz que está desempregada, mas que não quer o seu emprego de volta.

“Não tenho nenhuma vontade de trabalhar numa escola que se comporta desta maneira”, afirmou.

Nos últimos anos, diferentes sectores da sociedade italiana passaram a apoiar abertamente os direitos dos homossexuais.

Partidos conservadores e o ex-primeiro-ministro, o líder de direita Sílvio Berlusconi, proclamaram-se recentemente a favor da união homossexual no país.

ZAP / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Montenegro "hipotecou-se" à China (e agora quer a ajuda da Europa para se libertar)

Montenegro aceitou um empréstimo gigante da China para construir uma rodovia. Agora, o minúsculo país montanhoso quer ajuda da União Europeia (UE) para pagar a dívida. A situação em Montenegro é o mais recente conflito numa …

Punir os 12 clubes da Superliga Europeia? O tiro pode sair pela culatra

A UEFA ameaça punir os clubes que participem na Superliga Europeia. No entanto, tomar medidas precipitadas pode fazer com que o tiro saia pela culatra. O mundo do futebol foi abalado pelo anúncio de uma Superliga …

Criados 280 postos para vacinar 100 mil pessoas por dia

Duzentos e oitenta postos de vacinação rápida e de resposta reforçada estão a ser criados em todo o país para se conseguir vacinar 100 mil pessoas por dia, disse esta terça-feira à agência Lusa o …

Portugal e França promovem intercâmbio de árbitros nas ligas profissionais

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) anunciou, esta segunda-feira, que vai promover, juntamente com a Federação Francesa de Futebol (FFF), um intercâmbio de árbitros. "Portugal e França vão promover um intercâmbio de árbitros no seguimento do …

Novo Banco vendeu carteira de malparado por valor inferior às próprias garantias

O deputado do PSD Alberto Fonseca apontou esta terça-feira que o Novo Banco vendeu a carteira de crédito malparado Nata II por um valor inferior às suas próprias garantias, baseando-se no relatório da Deloitte à …

ANA "não tem interesse económico". Montijo é a "solução mais rápida"

O presidente da comissão executiva da ANA - Aeroportos de Portugal disse, esta terça-feira, que a empresa "não tem interesse económico" numa das soluções para a expansão aeroportuária em Lisboa em vez de outra, mas …

Taiwan vende vacinas da AstraZeneca a 17 euros para evitar que expirem

Com lotes da vacina da AstraZeneca em risco de expirarem, devido a resistência à sua toma entre grupos prioritários, Taiwan começou esta segunda-feira a administrá-las a qualquer pessoa, por 17 euros. Horas depois de o sistema …

Mourinho: "Não preciso de fazer uma pausa, estou sempre no futebol"

O treinador português disse, esta segunda-feira, que "não necessita de fazer uma pausa", após deixar o comando técnico do Tottenham, e frisou estar "sempre no futebol". Embora não se tenha alongado muito, José Mourinho falou pela …

Regime sírio acusado de crimes contra a humanidade na Suécia

Quatro organizações não-governamentais apresentaram uma queixa junto da polícia da Suécia contra altos responsáveis do regime sírio por crimes contra a humanidade pelos ataques com armas químicas na Síria, em 2013 e 2017. A queixa foi …

Portugal, Lituânia e Malta são os únicos países da UE sem 5G

Portugal, Lituânia e Malta são os únicos países na União Europeia (UE) que ainda não têm qualquer oferta comercial de 5G, revelou o último relatório trimestral do Observatório Europeu do 5G, um organismo da Comissão …