Professor alemão do ensino básico é suspeito de canibalismo e homicídio

1

(dr) Orion Pictures

Depois de uma pilha de ossos ter sido encontrada por transeuntes no parque de Berlim, as autoridades alemãs descobriram que se tratava de uma vítima de canibalismo. As pistas conduziram-nas, mais tarde, à casa do suspeito, onde encontraram uma serra de ossos e um refrigerador para armazenar carne.

Um professor de ensino básico, de 41 anos, foi preso pelo assassinato e suspeita de canibalização de um homem que tinha desaparecido em setembro.

Os ossos da perna de Stefan Trogisch, de 44 anos, foram encontrados num parque de Berlim no dia 8 de novembro e a polícia alemã descobriu, posteriormente, pistas que a conduziram à casa de Stefan R., o suspeito.

De acordo com o Deutsche Welle, o assassino é suspeito de canibalismo e homicídio de Trogisch, que terá conhecido numa plataforma de namoro online.

“O suspeito tinha um interesse por canibalismo”, disse Marin Steltner, porta-voz da promotoria de Berlim “Ele pesquisou o assunto online.”

Steltner acrescentou que não se sabe se a vítima compartilhava ou não o interesse do assassino pelo canibalismo, tendo em conta que já ocorreram outros casos de canibalismo consensual na Alemanha.

Em 2015, um polícia foi condenado pelo assassinato de um homem que conheceu num fórum de canibalismo e, em 2006, o “canibal de Rotenburg”, Armin Meiwes, já tinha cometido um crime parecido.

Nessa altura, Meiwes colocou um anúncio no site “The Cannibal Cafe” na esperança de encontrar um “homem jovem e robusto que quisesse ser comido” e disse, mais tarde, ao tribunal que fomentava a fantasia macabra desde a infância e que estava grato por a ter cumprido.

De acordo com o jornal alemão, ambos os casos tem bastantes parecenças, incluindo a forma como a vítima e o agressor se conheceram e foram apanhados – Stefan R. tornou-se suspeito através do histórico de pesquisas do seu computador e das informações do perfil de namoro da sua vítima, que usava o Planet Romeo, plataforma alemã de encontros dedicada a gays, bissexuais e transgénero, que é usada por milhões de pessoas.

Assim que a polícia foi a casa de Stefan R., encontrou o local repleto de evidências incriminatórias –  uma caixa de refrigeração de grandes dimensões, uma serra de ossos usada por cirurgiões e cerca de 23 quilogramas de hidróxido de sódio.

  ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.