/

Detergentes podem contribuir para excesso de peso em crianças

laterjay / Pixabay

Os produtos habitualmente utilizados na limpeza da casa podem promover alterações na microbiota intestinal (antes conhecida por flora intestinal) e provocar o excesso de peso em crianças. A conclusão é de um novo estudo realizado no Canadá.

Esta investigação publicada no Jornal da Associação Médica Canadiana analisou a flora intestinal de 757 crianças quando tinham 3 ou 4 meses, e avaliou o seu peso quando tinham 1 ano e 3 anos de idade.

Os investigadores também analisaram a exposição destas crianças a produtos como desinfectantes e detergentes, e também a produtos considerados amigos do ambiente. Contaram, igualmente, com dados nacionais de todo o Canadá sobre a presença de micróbios em matéria fecal infantil, bem como com informações da Organização Mundial de Saúde sobre os números do índice de massa corporal.

As conclusões revelam que “as crianças que viviam em casas com desinfectantes que são usados, pelo menos, semanalmente, tinham duas vezes mais probabilidades de ter altos níveis dos micróbios intestinais Lachnospiraceae na idade dos 3-4 meses”, explica a professora Anita Kozyrskyj, da Universidade de Alberta, no Canadá, em declarações divulgadas pelo Sciencedaily.com.

“Quando tinham 3 anos de idade, os seus índices de massa corporal eram superiores aos de crianças que não foram expostas ao uso pesado de desinfectantes”, acrescenta a investigadora.

Por outro lado, os bebés que viviam em lares onde se usavam produtos de limpeza amigos do ambiente revelaram menor tendência para se tornarem obesos em crianças. Estas crianças apresentavam “níveis muito inferiores dos micróbios intestinais Enterobacteriaceae“, destaca Anita Kozyrskyj.

A investigadora frisa, contudo, que o estudo não detectou qualquer evidência de que “estas mudanças na microbiota intestinal tenham causado o risco reduzido de obesidade”.

Anita Kozyrskyj frisa que, neste caso, podem estar em causa simplesmente hábitos de vida gerais mais saudáveis, ilustrados pelo recurso a produtos eco-amigáveis.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.