Procuradoria russa diz que dados de fogos florestais na Sibéria foram manipulados

Vários dados estatísticos sobre os fogos florestais que nas últimas semanas afetam diversas regiões da Sibéria foram manipulados por autoridades locais, anunciou na segunda-feira a Procuradoria-Geral da Rússia.

“Detetámos a deturpação de dados sobre a data de extinção dos incêndios. Podemos falar com certeza de manipulações em Irkutsk e noutras regiões”, disse à agência EFE o porta-voz do departamento de proteção ambiental da Procuradoria-Geral russa, Roman Fedosov.

Segundo noticiou o Expresso, citando por sua vez a agência Lusa, além das datas de extinção dos fogos, foram manipulados dados relativos aos locais dos incêndios e à distância em relação às populações mais próximas, ação que dificultou ou impediu a reação adequada dos serviços de emergência.

O responsável precisou que ainda estão a ser analisados os dados de Krasnoiarsk, região que, com a de Irkutsk, é uma das mais afetadas pelos fogos, assim como da Buriácia.

Roman Fedosov disse que este tipo de incumprimento das normas ocorre “em todo o lado” e foi por isso que a Procuradoria decidiu intervir.

O porta-voz apontou outros fatores adversos ao combate aos incêndios como a burocracia e a má gestão da polícia local, apontando que desde o início do ano apenas foi aberto um processo por fogo posto, num contexto em que, assegurou, a principal causa dos fogos florestais este ano foi o “fator humano”.

Os fogos florestais que há várias semanas afetam várias zonas da Sibéria abrangem atualmente cerca de 2,4 milhões de hectares (24 mil quilómetros quadrados), segundo números divulgados hoje pelo Ministério das Situações de Emergência. O estado de emergência foi decretado nas regiões de Irkutsk, Buriácia, Sakha e Krasnoiarsk.

Na segunda-feira, um incêndio deflagrou num armazém de munições nas imediações da aldeia de Kamenka, na região de Krasnoiarsk, provocando uma série de explosões que fizeram pelo menos sete feridos – dois destes hospitalizados – e obrigaram à retirada de milhares de habitantes num raio de 20 quilómetros.

Algumas imagens divulgadas através das agências Reuters e TASS e das redes sociais mostram explosões em cadeia, bolas de fogo e faíscas no céu, seguidas de fumo negro.

O fogo, de origem ainda não determinada, deflagrou num armazém de munições de artilharia, de acordo com um comunicado divulgado do governador de Krasnoiarsk, Alexandre Ouss.

“Segundo as nossas estimativas, cerca de seis mil pessoas têm de ser retiradas”, além dos trabalhadores das instalações, que já foram retirados, afirmou o governador, que se deslocou ao local.

Meios de combates a incêndios foram enviados para o local “para impedir a propagação do fogo e garantir a segurança” na zona, referiu o responsável local do Ministério das Situações de Emergência.

TP, ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Querem saber o motivo dos meus comentários? É pelo fato de tentar revelar através de uma visão esclarecida mostrar o erro, a ignorância, a mente distorcida, um cerebro programado, um psicopata disfarçando seus delírios, ideologias malignas padronizadas, pensamentos e açòes paradoxas, enfim cenários próprios de australopitecos, totalmente fora da realidade destruindo o futuro do mundo e da humanidade
    É isso aí…

RESPONDER

Professores exigem negociações sobre progressão da carreira e ameaçam avançar para tribunal

Cerca de 50 professores concentraram-se esta quinta-feira em Bragança, onde decorre o primeiro Conselho de Ministros descentralizado, para exigir a abertura das negociações com a tutela, avisando que, se o Governo não o fizer, a …

Governo dá mais dias de férias a funcionários que se mudem para o interior

O Governo aprova esta quinta-feira em Conselho de Ministros um regime de incentivos para os funcionários da Administração Pública que decidam ir trabalhar para o interior, com ajudas de custo ou compensações financeiras e mais …

Autarquias têm mais um ano para preparar descentralização

O Governo decidiu dar mais tempo às autarquias para estas se prepararem para a descentralização. O prazo passa para o primeiro trimestre de 2022. Segundo avançou o Jornal de Notícias, citado pelo ECO, após críticas aos …

Sá Fernandes ponderou sair do Livre (e apoia eventual candidatura de Ana Gomes a Belém)

Na sua primeira grande entrevista após o caso Joacine, Ricardo Sá Fernandes, dirigente do Livre, revelou ao Observador que ponderou sair do partido e admitiu apoiar uma possível candidatura da ex-eurodeputada socialista Ana Gomes às …

Medina diz desconhecer caso do alegado falso engenheiro

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, disse esta quarta-feira que não ter informação sobre o alegado falso engenheiro da empresa Tanagra, com quem a autarquia celebrou vários contratos para obras públicas. A TVI noticiou …

Parlamento debate fim das comissões bancárias no MB Way e nas prestações da casa

O Parlamento debate esta quinta-feira projetos do BE, do PCP, do PS, do PAN e do PSD sobre limitação e proibição de comissões bancárias, tendo os bloquistas, que agendaram esta discussão, expectativa de que os …

Castração química. Bloco de Esquerda é contra veto a projeto de lei do Chega (e explica porquê)

A Comissão Parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias considerou que o projeto de lei do Chega "não preenche os requisitos do ponto de vista constitucional". O Bloco de Esquerda votou contra e explicou …

Estado pode deixar de ganhar dinheiro com empréstimo ao Novo Banco

Atualmente, o Fundo de Resolução paga juros de 2% e 1,38% pelos empréstimos contraídos junto do Estado para financiar as medidas de resolução do BES e do Banif, respetivamente. Porém, esse valor pode descer para …

Equipa de campanha de Trump processa The New York Times por difamação

A equipa de campanha de Donald Trump processou o The New York Times. Em causa está um artigo publicado em março do ano passado. A equipa de campanha de Donald Trump alega que o jornal publicou, …

Enfermeiros que deixem de ser chefes regressam ao início da carreira

Há enfermeiros que regressaram ao início de carreira depois de terem abandonado as suas funções de chefia, revela o jornal Público. Tal como escreve o matutino, que avança a notícia esta quinta-feira, para que estes …