Processo de envelhecimento é imparável, revela estudo

Um novo estudo, que envolveu cientistas de 14 países, confirmou que provavelmente não podemos diminuir a velocidade com que envelhecemos, devido a restrições biológicas.

A pesquisa, publicada na quarta-feira na Nature Comunications, inclui especialistas da Universidade de Oxford, em Inglaterra, e visava analisar a “taxa invariante de envelhecimento”, na qual se afirma que cada espécie tem uma taxa relativamente fixa de envelhecimento a partir da idade adulta.

“Os nossos resultados apoiam a teoria de que, em vez de desacelerar a morte”, um maior número de pessoas está a “viver mais devido à redução da mortalidade em idades mais jovens”, disse José Manuel Aburto, do Centro Leverhulme de Ciências Demográficas de Oxford, um dos autores do estudo.



“Comparamos os dados de nascimento e morte de primatas humanos e não humanos e descobrimos que esse padrão geral de mortalidade era o mesmo em todos eles”, continuou, acrescentando: “Isso sugere que fatores biológicos, em vez de fatores ambientais, em última análise, controlam a longevidade”.

Segundo o especialista, as estatísticas “confirmaram que os indivíduos vivem mais à medida que as condições de saúde e de vida melhoram, levando a um aumento da longevidade. Porém, um aumento acentuado nas taxas de mortalidade, à medida que os anos avançam para a velhice, é evidente em todas as espécies”.

De acordo com José Manuel Aburto, através deste estudo foram coletados dados diversos, que permitiram “comparar as diferenças de mortalidade dentro e entre as espécies”. Os dados examinados revelaram o mesmo padrão geral de mortalidade: um alto risco de morte na infância, que diminui rapidamente nos anos da adolescência, permanece baixo até o início da fase adulta e, depois, aumenta continuamente com o avançar da idade.

“Os nossos resultados confirmaram que, em populações históricas, a expectativa de vida era baixa porque muitas pessoas morriam jovens. Mas, à medida que as melhorias médicas, sociais e ambientais continuaram, a expectativa de vida aumentou”, apontou.

“Cada vez mais pessoas vivem mais tempo. No entanto, a trajetória para a morte na velhice não mudou. Este estudo sugere que a biologia evolutiva supera tudo e que, até agora, os avanços médicos não foram capazes de superar essas restrições biológicas”, concluiu o especialista.

Taísa Pagno //

PARTILHAR

RESPONDER

Escrituras e divórcios passam a poder ser feitos por videoconferência

Divórcios, escrituras de imóveis e até uma procuração passam a poder ser feitos por videoconferência. Hoje em dia estes atos obrigam a ir à conservatória, mas o objetivo é que o mecanismo esteja em prática …

Patrícia Mamona recebeu a medalha de prata e já está "a pensar no futuro"

A atleta portuguesa recebeu, esta segunda-feira, a medalha de prata do triplo salto dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020, um dia depois de ter terminado a prova na segunda posição. Patrícia Mamona subiu, esta segunda-feira, ao segundo …

Governo prepara novas contratações para a Administração Pública

Novos concursos (dois) deverão resultar na colocação de cerca de 475 técnicos superiores e de mil trabalhadores para a máquina do Estado. Governo acena com condições remuneratórias mais atrativas, apesar de as soluções ainda estarem …

Urna com 4.000 anos revela história de vida de mulher enterrada com os filhos gémeos

Vários investigadores analisaram amostras de restos mortais e artefatos humanos descobertos num cemitério de há 4.000 anos, perto da cidade húngara de Szigetszentmiklós. Composto por centenas de potes de barro enterrados a meio quilómetro da margem …

Forças Armadas devem 37 milhões aos hospitais privados

O Instituto de Apoio Social das Forças Armadas (IASFA) ainda não regularizou a dívida de 37 milhões de euros que contraiu junto dos hospitais privados. Em 2019, os Ministérios da Defesa Nacional e das Finanças e …

Criminalização da ocultação de riqueza divide peritos da justiça (e levanta dúvidas de inconstitucionalidade)

A solução encontrada sobre a forma que se pode punir os altos quadros públicos que enriqueçam sem justificação não é consensual entre os agentes da justiça. Um dos projetos de lei, elaborado pelo PS, determina a …

Quantas calorias se queimam quando não se faz nada? Uma fórmula matemática dá a resposta

Uma fórmula que leva em conta o peso, a idade e altura consegue estimar a quantidade mínima de calorias que cada um de nós precisa para viver, o que ajuda nos cálculos para a perda …

Politico tentou vender "conteúdos" para promover presidência portuguesa da UE. Governo rejeitou

O jornal Politico propôs ao Governo uma campanha de publicidade de forma a "realçar o papel da presidência portuguesa da União Europeia". Portugal rejeitou. O Público avança, esta segunda-feira, que o jornal digital Politico propôs ao …

Marques Mendes aponta nomes para remodelação no Governo (e indica substituto de Costa)

No habitual espaço de opinião na SIC, Luís Marques Mendes falou sobre a pandemia, o processo de vacinação, a remodelação governamental e comentou ainda o facto de Rui Rio ter acabado com o tabu …

DGS corrige Marcelo. Vacinação de crianças saudáveis depende sempre de indicação médica

O pedido dos pais não é suficiente para que crianças saudáveis, com idades entre os 12 e os 15 anos, sejam vacinadas. Será "sempre necessária" a indicação do clínico assistente. O Presidente da República, Marcelo Rebelo …