/

Problema dos 3 corpos. Cientistas estão perto de resolver a questão mais antiga da Astrofísica

(cv) NASA 360

Uma equipa de cientistas diz estar muito próxima de entender o conhecido “problema dos três corpos”, formulado por Isaac Newton.

A equipa diz ter uma solução estatística para o problema dos três corpos de Newton, o problema que se baseia em descobrir como três corpos semelhantes se deslocam no Espaço de uma forma capaz de e encaixar nas leis do movimento e da gravidade.

O estudo, publicado recentemente na Nature, aproximou-se da solução, apresentando uma fórmula estatística que se enquadra nesta questão ainda por resolver.

O problema dos três corpos, descrito como “a questão em aberto mais antiga da Astrofísica”, lida com as leis de Newton. As leis do movimento ajudaram os cientistas a compreender as relações entre um corpo com massa e as forças que agem sobre ele, como as forças que agem sobre um planeta em órbita do Sol, por exemplo.

No entanto, tentar entender as relações entre um corpo com massa e as forças que agem sobre ele quando aplicadas a três corpos (por exemplo, quando um satélite orbita um planeta, que, por sua vez, orbita uma estrela) gera dificuldades, uma vez que as equações relacionadas à massa e ao movimento não são resolúveis.

Agora, uma equipa de cientistas da Universidade Hebraica de Jerusalém sugeriu que, num sistema instável composto por três corpos, um deles acaba por ser expulso, deixando para trás os outros dois corpos numa relação binária estável, explica a Sputnik News.

“Quando comparamos as nossas previsões com modelos dos movimentos reais gerados por computador, observamos um alto grau de precisão“, garantiu o astrofísico Nicholas Stone, um dos cientistas envolvidos nesta pesquisa.

Apesar de os cientistas teren encontrado soluções para casos especiais, a fórmula geral para o problema dos três corpos mostrou-se muito difícil de atingir. Este estudo não resolve completamente o problema de Newton, mas a representação estatística de um sistema de três corpos instável ajudará os cientistas a visualizar os complicados processos envolvidos nestes sistemas.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.