Príncipe de Liechtenstein acusado de matar Arthur, o maior urso da Roménia

Grupos ambientalistas acusaram um príncipe da família real de Liechtenstein de matar o maior urso da Roménia, violando a proibição da caça de grandes carnívoros.

Em comunicado citado pelo jornal britânico The Guardian, a ONG romena Agent Green e a ONG austríaca VGT alegaram que o urso, que se chamava Arthur, foi baleado em março numa área protegida dos Montes Cárpatos pelo príncipe Emanuel von und zu Liechtenstein.

De acordo com as ONGs, o príncipe, que vive em Riegersburg, na Áustria, recebeu aprovação especial do Ministério do Meio Ambiente da Roménia para disparar contra uma ursa que estava a causar danos a quintas em Ojdula.

“Mas, na verdade, o príncipe não matou o urso problemático, mas um macho que vivia na mata e que nunca se tinha aproximado das localidades”, afirmam as ONGs. “O urso chamado Arthur foi observado durante muitos anos pelo guarda florestal Agente Verde na área e era conhecido como um espécime selvagem não acostumado à presença do homem e as fontes de alimento que oferecia.”

A Associated Press relatou que viu documentos oficiais de caça que confirmaram que o Príncipe Emanuel recebeu uma autorização de caça de quatro dias em março no condado de Covasna e que, em 13 de março, “colheu” um urso pardo de 17 anos, pelo qual supostamente pagou sete mil euros.

Gabriel Paun, presidente do Agente Green, disse que Arthur tinha 17 anos e era o maior urso observado na Roménia, e provavelmente o maior vivo na União Europeia (UE).

“Pergunto-se como é que o príncipe pode confundir uma ursa a vir para a aldeia com o maior macho que existia nas profundezas da floresta”, observou Paun, dizendo que achava que era “claro que o príncipe não veio para resolver o problema dos moradores, mas matar o urso e levar para casa o maior troféu para pendurá-lo na parede”.

Os ursos pardos são uma espécie protegida pelas leis internacionais e romenas. A Roménia proibiu a caça de troféus em 2016. No entanto, váios governos concederam exceções, emitidas pelo ministro do Ambiente, no caso de ursos que causavam danos graves ou ameaçavam pessoas.

“A caça ao troféu deve ser proibida [sem exceções]. Caso contrário, os conflitos aumentarão e as espécies estarão em perigo, como aconteceu na maior parte da Europa. É uma pena para a Áustria que o Príncipe Emanuel tenha abusado de uma derrogação para matar este belo urso”, disse Ann-Kathrin Freude, coordenadora do VGT.

O ministro do meio ambiente da Roménia, Tánczos Barna, disse ao canal de notícias Digi24 que determinar se o urso morto pelo príncipe era o que estava coberto pela derrogação era “extremamente complicado”, mas que foi iniciada uma investigação.

Maria Campos, ZAP //

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Do café aos brinquedos. Preço do transporte de mercadorias vai atingir a nossa carteira mais cedo do que se pensava

Os preços exorbitantes do transporte de mercadorias pelo mundo poderão atingir a sua carteira mais cedo do que pensa. Mais de 80% de todo o comércio de mercadorias é transportado pela via marítima, mas o alto …

Tal é a qualidade de Portugal, que o treinador da Hungria "podia ser motorista ou roupeiro"

O selecionador da Hungria, o italiano Marco Rossi, afirmou hoje que "até podia ser o motorista ou rapaz dos equipamentos" da seleção portuguesa, tal é a qualidade dos jogadores lusos que vão disputar o Euro2020. “Estamos …

Destroços de avião descobertos no fundo de um lago nos EUA podem pôr fim a um mistério de 56 anos

Trabalhadores que testam equipamentos de investigação subaquática dizem ter encontrado os destroços de um pequeno avião nas profundezas do lago Folsom, na Califórnia. A confirmar-se, podem ter resolvido um mistério com 56 anos. As imagens de …

Norte-americanos envolvidos na fuga de Carlos Ghosn declaram-se culpados

Os dois norte-americanos acusados de ajudarem o ex-presidente da Nissan Carlos Ghosn a fugir do Japão quando aguardava julgamento em liberdade sob fiança declararam-se esta segunda-feira culpados perante a justiça japonesa. De acordo com fontes da …

Enfermeira tentou provar que as vacinas tornam as pessoas magnéticas (mas não correu como previsto)

Na semana passada, a enfermeira negacionista de Ohio Joanna Overholt tentou, durante uma sessão legislativa, provar que as vacinas contra a covid-19 tornam as pessoas magnéticas. Mas não foi bem sucedida. O teste do íman resulta …

Foda e Kostadinov: as recordações à volta do Áustria-Macedónia do Norte

O selecionador da Áustria e um dos jogadores da Macedónia do Norte trouxeram memórias dos anos 90. O jogo entre Áustria e Macedónia do Norte, que terminou com vitória austríaca por 3-1, não estava propriamente na …

Paquistão. Quem não se vacinar pode ficar sem acesso ao telemóvel

O governo regional de Punjab, no Paquistão, decidiu que os cidadãos que não se vacinarem contra a covid-19 "ao fim de um certo tempo" podem ver o cartão SIM do seu telemóvel bloqueado. "Estamos a fazer …

Seleção Nacional testa negativo na véspera da estreia no Europeu

Depois do susto de João Cancelo, que testou positivo ao novo coronavírus, a seleção nacional respira de alívio na véspera da estreia no Europeu, depois de ter testado negativo à covid-19. Esta segunda-feira de manhã, a …

Associação quer que os testes em eventos culturais sejam gratuitos

A Associação Espetáculo - Agentes e Produtores Portugueses defendeu que os testes de diagnóstico à covid-19 devem ser gratuitos em eventos culturais. A Associação Espetáculo – Agentes e Produtores Portugueses defendeu, este domingo, que os testes …

Advogados repudiam declarações de Cabrita sobre agendamentos do SEF

Um grupo de advogados repudiou as declarações do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, que atribuem a um escritório de advogados a responsabilidade pelo mau funcionamento do sistema de agendamentos para atribuição de vistos de …