Descoberta a primeira evidência de humanos modernos na Europa

Tsenka Tsanova

Uma equipa de arqueólogos encontrou fragmentos de ossos numa gruta na Bulgária, que se confirmam pertencer aos primeiros humanos modernos a habitar a Europa, mil anos antes do que se acreditava anteriormente.

Perceber a narrativa da chegada dos nossos ancestrais, os primeiros Homo sapiens, à Europa sempre foi algo que aguçou a curiosidade dos cientistas. No entanto, determinar a linha do tempo precisa dos eventos está longe de ser fácil, uma vez que as amostras humanas do Paleolítico Superior Inicial são muito escassas.

Num novo estudo publicado esta segunda-feira na revista científica Nature, uma equipa de arqueólogos examinaram os restos humanos mais antigos alguma vez encontrados na Europa e retiraram algumas conclusões desta análise. As descobertas também foram documentadas num estudo publicado no mesmo dia na revista Nature Ecology & Evolution.

Novos espécimes foram descobertos em 2015 na Gruta de Bacho Kiro, na Bulgária, resultando na descoberta dos pedaços de ossos analisados por esta equipa de arqueólogos, que conta com a participação de Vera Aldeias, investigadora portuguesa da Universidade do Algarve.

“As descobertas da Gruta de Bacho Kiro vêm demonstrar que os Homo sapiens chegaram à Europa cerca de 8 mil anos antes da extinção dos Neandertais e que trazem com eles novas formas de trabalhar a pedra e o osso em utensílios e pendentes”, disse Vera Aldeias, citada pela UAlg.

“Dada a antiguidade e relevância destas descobertas, um dos aspetos essenciais do meu trabalho consistiu em estudar a preservação destas ocupações. As minhas análises mostram que a camada de terra que contém estes achados foi selada por areias e argilas depositadas por água dentro da gruta, o que terá levado a uma excelente preservação destas antigas ocupações humanas, sem introduções de materiais de épocas mais recentes”, acrescentou.

De acordo com o All That’s Interesting, através de uma combinação de técnicas que envolvem datação por radiocarbono e sequenciamento de ADN mitocondrial, os investigadores estimam que estes seres humanos habitaram a gruta búlgara entre 45.820 e 43.650 anos atrás. Alguns dos restos mortais podem até remontar a 46.940 anos atrás.

Descobertas desta idade são geralmente atribuídas aos Neandertais, embora alguns investigadores tenham sugerido a existência de incursões ocasionais de Homo sapiens na Europa anteriores a estas datas, realça o comunicado da Universidade do Algarve.

Para além dos restos humanos, a a equipa descobriu milhares de ossos de animais, ferramentas em pedra e em osso, contas e pendentes. Os especialistas acreditam que isto significa que houve contacto entre Homo sapiens e Neandertais.

“Eles trocaram genes, mas também técnicas: o tipo de pingente encontrado em Bacho Kiro veio a ser produzido posteriormente pelos últimos Neandertais da Europa Ocidental”, explicou o coautor Jean-Jacques Hublin.

“Esta onda inicial de pessoas modernas é anterior à extinção final dos Neandertais na Europa ocidental 8.000 anos. Essa sobreposição cronológica das duas espécies na Europa indica que a substituição de uma espécie pela outra foi um processo mais complexo do que aquele que era pensado pela maioria dos estudiosos”, acrescentou.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Atletas que sorriem durante as corridas gastam menos oxigénio

Os atletas que sorriem gastam menos oxigénio, trabalham de forma mais económica e têm um nível de esforço menor, refere um estudo realizado pelas universidades de Ulster e Swansea, divulgado esta terça-feira. Os investigadores pediram a …

OMS analisa possíveis primeiros casos de infeção de animais para o homem

A Organização Mundial de Saúde (OMS) admite que pelo menos três infeções por Covid-19 nos Países Baixos possam ser os primeiros casos conhecidos de transmissão do novo coronavírus dos animais para o homem, tendo martas …

Na Suíça, é possível estar em teletrabalho e a empresa pagar parte da renda

O Tribunal Federal da Suíça condenou uma empresa de contabilidade a pagar parte da renda de casa a um funcionário que se encontrava em teletrabalho. Segundo revelou na segunda-feira o swissinfo e o Tages-Anzeiger, citados pelo …

Governo negoceia até mais 35 milhões em apoios para agricultura

A ministra da Agricultura disse hoje que está em curso a negociação de medidas adicionais para apoiar o setor agrícola, face ao impacto da covid-19, através do Programa de Desenvolvimento Rural (PDR), que podem mobilizar …

Moro não assinou exoneração de ex-diretor da Polícia, admite Presidência do Brasil

A Secretaria-Geral da Presidência brasileira admitiu na segunda-feira que o agora ex-ministro da Justiça Sergio Moro não assinou o decreto de exoneração de Maurício Valeixo da direção-geral da Polícia Federal, confirmando a versão original do …

Norte foi região que mais contribuiu para aumentar produtividade do trabalho no país

O Norte foi a região que mais contribuiu para aumentar a produtividade laboral entre 2000 e 2017, crescendo 20% quando a Área Metropolitana de Lisboa subiu 3,3%, revelou na segunda-feira a Comissão de Coordenação e …

Vai nascer uma praia fluvial nas margens do Alqueva em 2021

Uma nova praia fluvial começou a ser construída nas margens do Alqueva, devendo começar a funcionar no verão do próximo ano. Uma nova praia fluvial começou a ser construída nas margens do Alqueva, junto à aldeia …

Câmara de Bragança vai ajudar com até 100 euros a pagar renda

As famílias mais vulneráveis do concelho de Bragança vão poder contar com um apoio financeiro até 100 euros mensais para pagar a renda. A Câmara de Bragança vai ajudar as famílias do concelho em situação vulnerável …

Parlamento chumba lay-off para sócios-gerentes, mas acaba com teto de faturação ao apoio

A Comissão de Economia chumbou, esta terça-feira, o alargamento do lay-off simplificado aos sócios-gerentes. Por outro lado, aprovou o fim do teto de faturação para aceder ao apoio a estes portugueses. A proposta do PSD, BE …

Comissão Europeia admite que Portugal fica "em desvantagem" nas ajudas estatais

Margrethe Vestager, vice-presidente executiva da Comissão Europeia, admite que países como Portugal, com menor capacidade orçamental do que Estados-membros como Alemanha ou França, fiquem “em desvantagem” nas ajudas estatais em altura de crise gerada pela …