São precisos 2 planetas inteiros para manter o estilo de vida dos portugueses

Portugal diminuiu a sua pegada ecológica per capita de 2012 a 2014 mas ainda precisa de 2,19 planetas para “manter o atual estilo de vida”, afirma a organização ambientalista WWF.

Os dados apresentados na edição deste ano do relatório Planeta Vivo poderão ser uma “consequência da crise económica que atingiu Portugal nesses anos”, de acordo com a organização.

Portugal surge no relatório na 66º posição, sete lugares acima do que acontecia no anterior, divulgado em 2016, com dados respeitantes a 2012.

Ângela Morgado, diretora executiva da Associação Natureza Portugal, alerta, citada no documento de apresentação do relatório, que ”os portugueses têm de ter um estilo de vida mais sustentável, sob pena de se verem afetados, não por uma crise económica, mas por uma crise ecológica sem precedentes que põe em risco a sua vida, a dos seus filhos e dos netos”.

“Está na altura de mudar. Já não podemos adiar”, vincou, explicando que “a ligeira descida da pegada ecológica dos portugueses foi reflexo da crise económica, que criou uma oportunidade para os portugueses terem comportamentos mais amigos do ambiente. Agora é necessário continuar com um estilo de vida que tem menor impacto no Planeta fora de situações de crise”.

Paralelamente, o relatório demonstra que a pegada ecológica dos portugueses foi sempre muito elevada comparativamente com a biocapacidade do país, que se tem mantido mais ou menos constante desde 1961.

O carbono, que nos dados referentes a 2014 representa 57% da pegada ecológica dos portugueses, e que em 2004 correspondia a 63% do valor total, foi a componente que mais decresceu, adianta o documento, que explica que “a isto está naturalmente associado ao consumo, mas também à alteração das fontes de produção de energia nacional, fruto da aposta nas energias renováveis”.

A nível internacional, o relatório mostra um “quadro perturbador: a atividade humana está a empurrar os ecossistemas que sustentam a vida na Terra para um limite”.

“O relatório está a mostrar-nos a dura realidade, que as nossas florestas, oceanos e rios estão em risco. Isto é um indicador do tremendo impacto e pressão que estamos a exercer sobre o planeta, minando o tecido vivo que nos sustenta a todos: natureza e biodiversidade”, disse Marco Lambertini, diretor-geral da WWF Internacional.

O Índice Planeta Vivo, que acompanha as tendências de abundância global de vida selvagem, indica que as populações globais de peixes, aves, mamíferos, anfíbios e répteis diminuíram em média 60% entre 1970 e 2014.

O relatório destaca que “as principais ameaças às espécies estão diretamente ligadas às atividades humanas, incluindo perda e degradação de habitats e sobre exploração da vida selvagem”.

“Dos rios e florestas a zonas costeiras e montanhas, o relatório mostra que a vida selvagem diminuiu drasticamente desde 1970. As estatísticas são assustadoras, pois dependemos da natureza para nos alimentarmos, vestirmos e subsistirmos. Precisamos de criar um novo caminho que nos permita coexistir de forma sustentável com a natureza da qual dependemos. Vamos precisar da ação de todos”, reiterou Ângela Morgado.

Ao destacar a extensão do impacto da atividade humana na natureza, o documento apresenta ainda a importância e valor da natureza para a saúde e o bem-estar das pessoas, sociedades e economias.

“A natureza tem sustentado e alimentado silenciosamente as nossas sociedades e economias há séculos, e continua a fazê-lo hoje. Em troca, o mundo continuou a considerar a natureza e os seus serviços como algo natural, deixando de agir contra a perda acelerada da natureza”, acrescentou Lambertini.

“Precisamos de repensar com urgência como usamos e valorizamos a natureza – culturalmente, economicamente e nas nossas agendas políticas. Precisamos de pensar na natureza como bela e inspiradora, mas também como indispensável. Precisamos de um novo acordo global agora”, apelou.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Como Portugal é um bom pagante esta notícia cheira-me a uma maneira de vir sacar mais impostos e taxas à conta de poluições e etc não apostando em formação cívica quer nas comunidades quer através de serviço “público” em televisão.
    Eh pá com a politica do Bolsonaro “viados” não devem de vir a faltar no nosso país quando ele os mandar embora do Brasil. Acho que por isso nas nossas estradas nunca foram retirados os sinais com um veado embora veados em Portugal só mesmo na tapada de Mafra.
    PS: O sinal de trânsito com um veado quer dizer na realidade – perigo animais selvagens – e não especificamente veado ou “viado”

RESPONDER

Governo deverá anunciar medidas para bloquear coleção Berardo após as eleições

Num momento em que se tornou público que a Fundação Berardo corre risco de falência, três ministérios estudam as medidas para preservar a coleção do empresário e mantê-la aberta ao público. "Será em breve", garantiram os …

Europeias: PS com candidatos "escondidos", CDU só observa e Rangel já faz rimas ao primeiro-ministro

A dias do escrutínio para o Parlamento Europeu, PS acusou o BE de ser ambíguo, CDS critica respostas de Costa sobre Tancos e PSD quer ver "candidatos escondidos" do PS. Até já há rimas para …

Na corrida às Europeias, o PS está à frente do PSD (e o Bloco já vale o dobro do CDS)

O PS e a Esquerda crescem, o PSD e a Direita perdem. Segundo uma sondagem da Pitagórica para o Jornal de Notícias e TSF, os socialistas somam 32,4% da intenção de voto, enquanto o PSD …

CGD ainda é dos bancos que têm mais crédito para investir em ações

Os bancos cortaram nos empréstimos para a compra de ações desde a crise. Mas têm ainda um valor elevado de financiamentos deste tipo. Este crédito é visto com cautela pelos supervisores e levaram a que bancos …

Partido de Modi a caminho de resultado histórico na Índia

O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, e o seu partido nacionalista hindu lideram a contagem de votos nas legislativas do país. Às 10h05 (05h35 em Lisboa), o Partido Bharatiya Janata (BJP, ou Partido do Povo Indiano, no …

Hells Angels saem em liberdade (mas com várias proibições)

Os 17 elementos do grupo Hells Angels detidos pela Polícia Judiciária na terça-feira saíram todos em liberdade, após primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Instrução Criminal (TIC) de Lisboa, disseram à agência Lusa advogados no …

Arqueólogos resolveram o mistério dos "porcos" de Barbados

Em Barbados, país insular soberano nas Pequenas Antilhas, existe um mistério histórico desde que os primeiros colonos ingleses chegaram em 1627. À chegada, os exploradores encontraram o que pensavam ser uma vara de porcos europeus selvagens. …

230 professores que pediram pré-reforma ainda não tiveram luz verde

Foram 230 os pedidos de professores interessados em pedir a pré-reforma que chegaram à Direção-Geral da Administração Escolar (DGAE). Mas até agora nenhum deles teve luz verde para avançar. A pré-reforma com suspensão da prestação de …

Theresa May pode demitir-se esta sexta-feira

A pressão sobre Theresa May tornou-se insuportável, segundo o jornal britânico The Times, que cita fontes dos conservadores próximas de May, após mais uma demissão no executivo de Londres. De acordo com o jornal, a primeira-ministra …

Os percevejos andaram ao lado do T-rex (e sobreviveram ao asteróide que matou os dinossauros)

Percevejos têm sido companheiros parasitas de outras espécies além dos humanos durante mais de cem milhões de anos, tendo caminhado na terra ao mesmo tempo que os dinossauros. Uma equipa internacional de cientistas comparou o ADN …