Potencial de efeito de estufa desceu quase 2% em 2012

Dirk Ingo Franke / Wikimedia

-

O potencial de efeito de estufa diminuiu 1,8% em 2012, enquanto o valor acrescentado bruto, relacionado com a riqueza produzida pelo país, registou uma queda mais acentuada, de 2,6%, segundo dados do INE.

O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou as Contas das Emissões Atmosféricas, que analisam as implicações ambientais da atividade económica do país e relacionam estes indicadores com as Contas Nacionais.

Todos os indicadores ambientais (efeito de estufa, acidificação e formação de ozono troposférico) desceram entre 1995 e 2012, enquanto o Valor Acrescentado Bruto (VAB) aumentou.

O potencial efeito de estufa subiu até 2005, seguindo a evolução do VAB, enquanto entre 2006 e 2011 desceu, embora o VAB tenha crescido até 2011, uma dissociação entre a atividade económica e este indicador ambiental que é realçada pelo INE.

“Em 2009 e 2011, as emissões de gases com efeito de estufa reduziram-se mais do que o VAB, contrariamente ao que sucedeu em 2012”, aponta.

O nível de emissões está muito dependente dos métodos e materiais utilizados no setor da energia, água e saneamento, que tem o maior peso relativo, ao representar cerca de 30% do total das emissões causadoras do potencial efeito de estufa no período 1995 a 2012.

A fonte hídrica para produção de eletricidade, fortemente condicionada pela pluviosidade, “tem um peso significativo” e 2012 foi o primeiro ano em que foi ultrapassada pela produção de energia eólica, o que teve influência nas emissões.

Em 2012, os principais responsáveis pelas emissões de gases com efeito de estufa foram, além da energia, água e saneamento, com 31,8%, a indústria, com 23,8%, e as famílias, com 19%. Já entre 1995 e 2012 a indústria reduziu o seu peso e as famílias aumentaram-no.

A energia, água e saneamento é o ramo que emite mais quilogramas equivalentes de dióxido de carbono por unidade de VAB, acima da média do total das atividades económicas, seguindo-se a agricultura, silvicultura e pesca.

O potencial de acidificação e a formação de ozono troposférico, que pode ter consequências na saúde, têm descido desde 1995, “em dissociação” com a evolução da economia.

A agricultura, silvicultura e pesca foram responsáveis por 34,8% do potencial de acidificação, principalmente devido às emissões de amoníaco, e a energia tem vindo a perder peso nesta área.

Quanto ao potencial de formação de ozono, a indústria aparecia em primeiro lugar, com 36% do total, seguida das famílias, com 25,2%, embora tenha vindo a descer o seu papel devido às soluções para reduzir a poluição dos automóveis.

O INE refere o indicador potencial de efeito de estufa per capita, em que Portugal tem valores mais baixos do que a maior parte dos países da União Europeia, com 6,66 toneladas equivalentes de dióxido de carbono, contra 9,28 toneladas da média europeia.

O gasóleo é a forma de energia mais utilizada pela economia, com 25,7%, seguido do gás natural, com 19,6%, e do carvão, com 15%, representando 60% do total da energia associada às emissões.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

A Terra em 4K. Empresa vai transmitir vídeos do Espaço em tempo real

A empresa Momentus assinou um novo contrato que fornecerá transporte e implementação no Espaço para a Sen, uma empresa britânica que está atualmente a construir um serviço de streaming de vídeo 4k e em tempo …

Hertz abre falência nos Estados Unidos, mas sobrevive em Portugal

O presidente executivo da Hertz Portugal afirmou esta quarta-feira que, apesar do inevitável “dano reputacional”, a falência da empresa nos EUA não afeta a sua atividade no país, onde opera de forma “independente” em regime …

Sintomas da doença de Lyme podem ser perigosamente confundidos com covid-19

Alguns dos sintomas característicos da doença de Lyme podem ser confundidos com covid-19. Isto pode trazer sérias consequências devido ao diagnóstico tardio da doença. Quando doenças semelhantes a uma gripe se desenvolvem em pessoas que passam …

Revelada a lotação máxima de várias praias portuguesas

Em contexto de pandemia de covid-19, o número de banhistas que pode entrar numa determinada praia será controlado. Foi revelada a lotação máxima das praias para as regiões do Algarve (Barlavento e Sotavento) e de …

Café na Coreia do Sul contrata um robô-barista para evitar a propagação da covid-19

O café Daejon, na Coreia do Sul, "contratou" um barista-robô para servir bebidas aos seus clientes, tentando evitar assim a propagação da pandemia de covid-19, que já matou mais de 350 mil pessoas em todo …

Incêndios: PSD aponta falta de meios aéreos e avisa que covid-19 não justifica atrasos

O PSD apontou hoje falta de meios aéreos de combate a incêndios no terreno e acusou o Governo de ter ficado "aquém" nas reformas e mudanças na floresta, avisando que a pandemia de covid-19 não …

Lançamento da SpaceX adiado devido ao mau tempo

O lançamento da SpaceX, que estava previsto para hoje, foi adiado devido às condições meteorológicas. Haverá uma nova tentativa no sábado, às 20h22 de Lisboa. O esperado era que a SpaceX lançasse esta quarta-feira dois astronautas …

"Não consigo respirar". Protestos nos EUA pela morte de homem negro às mãos da polícia

Milhares de pessoas protestaram, esta terça-feira à noite, em Minneapolis, cidade no estado norte-americano do Minnesota, contra a morte de George Floyd, um homem negro que acabou por falecer depois de um episódio com a …

Um em cada três americanos não acredita que o azeite vem das azeitonas

Um terço dos norte-americanos entrevistados numa sondagem disse não acreditar ou não ter certeza de que o azeite vem das azeitonas. O produto alimentar é usado por menos de metade das famílias do país. Uma sondagem …

A pandemia separou casais de namorados. Dinamarca abre fronteiras a quem prove estar numa relação

Esta segunda-feira, a Dinamarca diminuiu o controlo na fronteira com outros países nórdicos e com a Alemanha para que casais transfronteiriços, separados pela pandemia, se reencontrem. A partir desta segunda-feira, os casais separados pela pandemia podem …