O “rascunho” de Mona Lisa está agora no centro de uma batalha judicial

Um homem diz ser dono de 25% da “Mona Lisa de Isleworth”, que é considerada um estudo de Da Vinci para “Mona Lisa”. O caso vai ser avaliado por um tribunal de Florença.

Há quem pense que se trata de uma cópia sem valor e há quem defenda que se trata de um estudo – uma espécie de rascunho – para o quadro Mona Lisa, de Leonardo da Vinci, que se encontra exposto no Museu do Louvre, em Paris. Esta “Mona Lisa de Isleworth” parece, afinal, ter algum valor -até há um processo em tribunal a reclamar a sua propriedade.

Conhecida como a “Mona Lisa anterior”, a obra foi descoberta no início do século pelo colecionador Hugh Blaker, numa casa de campo em Isleworth, na Inglaterra. Convencido de que se tratava de um estudo para a célebre pintura de Gioconda, o padrasto de Blaker, John Eeyre, publicou um estudo argumentando que esta era uma obra legítima de Da Vinci que, na verdade, é conhecido por fazer várias versões das suas obras.

Depois da morte de Blake, a obra foi vendida ao colecionador Henry F. Pulitzer, que também a tomou como legítima. Em 1966, o conhecido colecionador publicou o livro Where is the Mona Lisa?, que defendia que esta era, afinal o único retrato que Leonardo tinha feito de Gionconda.

Pulitzer guardou o quadro num cofre num banco na Suíça e, depois da sua morte, passou a pertencer à viúva, Elizabeth Meyer. Quando ela morreu em 2008, a pintura foi então adquirida por um consórcio de colecionadores e tem sido exibida numa série de galerias, nomeadamente em Singapura em 2014 e em Xangai, dois anos depois.

Em junho passado, o quadro esteve esteve exposto no Palazzo Bastogi, em Florença, Itália. Foi a primeira vez que foi mostrado na Europa neste século. Quando a exposição terminou, um homem, cuja identidade não é até agora conhecida, entrou com uma ação legal reclamando a propriedade de um quarto da obra.

O seu advogado, Giovanni Battista Protti, diz ter provas históricas de que Elizabeth Meyer era apenas proprietária de três quartos da obra, uma vez que a Pulitzer Gallery tinha vendido 25% da pintura a Leland Gilbert, um industrial da porcelana estabelecido em Portugal.

O homem que agora reclama a posse de um quarto da obra é herdeiro de Gilbert. O advogado diz ter consigo um documento de 1964 que é uma “ordem de compra” em que a Pulitzer Gallery aceita vender um quarto da pintura por 4 mil libras (mais de 99 mil euros, atualmente).

Para evitar que esta Mona Lisa voltasse para a Suíça, o reclamante pediu a um tribunal de Florença retivesse o quadro em Itália até que termine a investigação sobre os seus proprietários. Esse pedido será avaliado esta segunda-feira.

Uma vez que os proprietários da obra também não são conhecidos, não foi possível contactá-los. A organização Mona Lisa Foundation, situada em Zurique, que foi criada para investigar a história da obra de arte mais conhecida de Leonardo Da Vinci, afirmou à  CNN, que não acredita que a alegação tenha qualquer fundamento. A Fundação vai ser ouvida no tribunal.

No entanto, o advogado garante que a família está determinada em levar este caso até às últimas consequências.

“Isto não tem a ver com dinheiro”, disse à CNN, explicando a família não tem dificuldades financeiras e não está a fazer por dinheiro. “Os objetivos do dono da pintura querem que a pintura seja exibida ao público, não querem mantê-la por mais 40 ou 50 anos em cofres de bancos na Suíça”, explicou. “Isto não tem a ver com o seu valor para um indivíduo mas para a humanidade.”

Por outro lado, os responsáveis da Mona Lisa Foundation consideram que esta alegação só surge agora porque no último ano, devido às comemorações dos 500 anos de Da Vinci, a obra do artista renascentista tem sido muito falada e, por isso, valorizada.

“A obra já é conhecida há tanto tempo, porque é que só se lembraram agora?”, questiona Joel Feldman, diretor da Fundação.

Um estudo de 2015, publicado na revista especializada Conservation Science in Cultural Heritage, concluiu que as pinturas são “duas obras originais, ambas pintadas por Leonardo em dois períodos diferentes”. “O assunto é o mesmo, mas as pinturas variam consideravelmente, tornando-as duas obras por si só e não uma cópia uma da outra”.

Apesar de a família alegar que a ação legal não tem a ver com o dinheiro, a CNN sublinha que os espólios podem ser enormes. De facto, o quadro de Leonardo da Vinci, que mostra Cristo a segurar um globo de cristal, foi vendido por um valor recorde de 450 milhões de dólares (380 milhões de euros) num leilão na quarta-feira, batendo o anterior recorde e tornando-se o quadro mais caro do mundo.

ZAP //

 

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Portugal volta a bater recorde de infeções: mais 4.224 casos nas últimas 24 horas

Portugal voltou a bater o recorde de infeções diárias esta quinta-feira. Nas últimas 24 horas, registaram-se mais 4.224 casos positivos em todo o país. Dia após dia, Portugal continua a bater recordes de infeções diárias. Nas …

Depois do novo confinamento, França estende uso obrigatório de máscara nas escolas às crianças de 6 anos

O uso de máscara na escola em França será estendido na próxima semana às crianças a partir dos seis anos, anunciou esta quinta-feira o primeiro-ministro francês, Jean Castex, um dia após o anúncio de novo …

"A lei não pode exigir esse tipo de heroísmo". Presidente polaco recua na oposição ao aborto

O Presidente da Polónia defendeu esta quinta-feira que as próprias mulheres deveriam ter o direito de abortar em caso de fetos com problemas congénitos, rompendo com a liderança conservadora, que apoiou uma proibição que levou …

Advogados ligados à PLMJ contestam interesse público de revelações de Rui Pinto

A invocação de interesse público dos documentos e das informações expostas por Rui Pinto na Internet foi contestada, esta quarta-feira, por advogados ligados à sociedade PLMJ, na 18.ª sessão do julgamento do processo "Football Leaks". Na …

Microempresas do turismo do Norte com maior adesão a apoios

As microempresas de turismo do Norte foram as que mais dinheiro receberam da linha de apoio à tesouraria criada em resposta ao impacto da pandemia nesse setor, ficando com 29,3% (15,3 milhões de euros) do …

Migrantes marroquinos "desesperados e assustados" em greve de fome. Entre eles está uma mulher grávida

Seis dos migrantes marroquinos que chegaram ilegalmente em setembro estiveram em greve de fome, entre os quais uma grávida. Dizem não serem autorizados a falar com as famílias há mais de 40 dias. O protesto é …

TAP precisa de mais de 100 milhões por mês até final de 2020

O Plano de Tesouraria da TAP para 2020 revela que a empresa precisa, em média, mais de 100 milhões de euros por mês até ao final do ano para suprir as necessidades de liquidez. De acordo …

Fafe declara estado de emergência municipal devido à "rapidez" da propagação da covid-19

O concelho de Fafe está em estado de emergência municipal devido à “evolução grande” do número de infetados com o novo coronavírus e à “rapidez” da propagação, anunciou o presidente da Câmara. Em vídeo publicado nas …

Ameaça iminente. FBI alerta que hackers vão atacar sistema de saúde dos Estados Unidos

O Departamento Federal de Investigação (FBI) e duas agências federais anunciaram que cibercriminosos estão a desencadear um grande ataque de resgate contra o sistema de saúde dos Estados Unidos. Num alerta conjunto, o FBI e duas …

Multidão para ver ondas gigantes na Nazaré. Câmara corta acesso ao Farol

A Câmara e a Capitania da Nazaré decidiram cortar o acesso pedonal à estrada do Farol, para conter a excessiva concentração de público que assiste às ondas gigantes e garantir condições de segurança, informou o …