Estudante de Medicina português desaparecido na República Checa

Jovem de 19 anos foi visto pela última vez na madrugada de sábado, a entrar para o apartamento onde residia.

Tomás Alcaravela, estudante de Medicina na Universidade de Karlova, em Plezen, República Checa, está desaparecido desde a madrugada de sábado, na sequência de uma ida à discoteca. O jovem de 19 anos terá sido visto visto pela última vez às 5h da manhã e terá entrado no apartamento onde vivia. De acordo com o jornal Público, não é conhecida a localização do telemóvel de Tomás Alcaravela, mas os sinais enviados para o dispositivo na noite do desaparecimento dizem que este foi detetado no centro de Plzen.

O alerta foi dado inicialmente pelos amigos, que contactaram as autoridades no domingo, depois de notarem o desaparecimento do jovem depois de este ter entrado no apartamento. Os amigos também comunicaram o desaparecimento à Embaixada de Portugal em Praga. Desde então, o Ministério dos Negócios Estrangeiros tem estado em contacto com a família de Tomás Alcaravela, natural de Abrantes.

Fonte do MNE afirmou à agência Lusa que “tem conhecimento dos factos relacionados com o desaparecimento de um cidadão português estudante na República Checa”. “Através da Embaixada em Praga e do Gabinete de Emergência Consular, estamos em contacto com a respetiva família. Acompanhamos também todas as diligências que as autoridades policias checas estão a realizar para identificar o paradeiro desse cidadão.”

A Associação de Estudantes que representa os estudantes internacionais da Charles University promoveu esta segunda-feira uma ação coletiva para procurar o jovem pela cidade de Plzen. De acordo com o Jornal de Abrantes, Tomás Alcaravela é natural de Abrantes e filho do conhecido cardiologista Jorge Alcaravela e neto de Silvino Alcaravela, antigo gestor hospitalar no Hospital de Abrantes e no Centro Hospitalar do Médio Tejo.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.