/

Portugal já não tem concelhos em risco extremo. Rt sobe para 0,89

Portugal deixou de ter concelhos em risco extremo de infeção, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). O país tem hoje uma incidência de 81,3 novos casos de infeção por 100 mil habitantes e um índice de transmissibilidade (Rt) de 0,89.

Portugal deixou hoje de ter concelhos em risco extremo de infeção, com a descida do concelho do Funchal para a categoria de risco “muito elevado”. Contudo, o boletim da DGS alerta que os dados referentes à região Autónoma da Madeira devem ser interpretados atendendo ao atraso entre o diagnóstico e a notificação verificado no período em análise, entre 3 e 16 de março.

O risco extremo de infeção verifica-se quando um concelho tem uma incidência cumulativa a 14 dias acima dos 960 casos de infeção por 100 mil habitantes. De acordo com a DGS, e atendendo a esta ressalva, o Funchal registou agora uma incidência cumulativa de 915 casos, quando no boletim da semana passada apresentava uma incidência de 1118 casos por 100 mil habitantes.

Em risco muito elevado, ou seja, com uma incidência de entre 480 e 959,9 casos por 100 mil habitantes, estão também os concelhos madeirenses de Machico (606), Ponta do Sol (570) e Santa Cruz (548) e ainda o concelho alentejano de Alcoutim (556).

Na última análise, Portugal tinha um concelho em risco extremo de infeção com o novo coronavírus e quatro em risco muito elevado.

Na nota explicativa dos dados por concelhos é referido que a incidência cumulativa “corresponde ao quociente entre o número de novos casos confirmados nos 14 dias anteriores ao momento de análise e a população residente estimada”.

O boletim de hoje revela ainda que 37 dos 308 concelhos tiveram zero casos de infeção neste período: Alter do Chão, Alvito, Angra do Heroísmo, Avis, Cabeceiras de Basto, Calheta (Açores), Carregal do Sal, Chamusca, Corvo, Ferreira do Zêzere, Freixo de Espada à Cinta, Horta, Lajes das Flores, Lajes do Pico, Mação, Madalena, Marvão, Mêda, Mesão Frio, Miranda do Douro, Monchique, Mora, Mourão, Oleiros, Penedono, Ribeira de Pena, Sabugal, Santa Cruz da Graciosa, Santa Cruz das Flores, Sousel, Terras de Bouro, Torre de Moncorvo, Velas, Vila Franca do Campo, Vila Nova de Poiares, Vila Velha de Ródão e Vinhais.

Índice de transmissibilidade sobe para 0,89

Segundo o mesmo boletim, Portugal tem hoje uma incidência de 81,3 novos casos de infeção por 100 mil habitantes e um índice de transmissibilidade (Rt) de 0,89. De acordo com os dados oficiais, quando analisado apenas o território de Portugal Continental a incidência situa-se nos 70,3 casos por 100 mil habitantes e o Rt em 0,88.

Estes indicadores são os critérios definidos pelo Governo para a avaliação contínua do desconfinamento iniciado na passada segunda-feira.

Na apresentação do plano de desconfinamento, a 11 de março, o primeiro-ministro avisou que as medidas da reabertura serão revistas sempre que o país ultrapassar os “120 novos casos por dia por 100 mil habitantes a 14 dias”, ou sempre que o Rt (o número médio de casos secundários que resultam de um caso infetado pelo vírus) ultrapasse 1. Ou seja, na matriz de risco, Portugal continua a encontrar-se na chamada zona verde.

Mas, tal como destaca o jornal Público, há atualmente 48 concelhos com mais de 120 novos casos de infeção por 100 mil habitantes, portanto, com incidência superior ao limite da zona de conforto.

Nesta situação estão 13 concelhos na região Centro, oito concelhos de Lisboa e Vale do Tejo, oito da região Norte, oito no Alentejo, seis na Madeira, três nos Açores e dois na região algarvia.

(dr) DGS

Matriz de risco, dia 22 de março de 2021

O último relatório sobre estes indicadores, divulgado na última sexta-feira, dava conta que Portugal registava 87,2 casos de SARS-CoV-2 por 100 mil habitantes e um índice de transmissibilidade de 0,86. Considerando apenas Portugal continental, o índice de transmissibilidade era de 0,84 e a incidência de 75,7 casos.

De acordo com os últimos dados da Direção-Geral da Saúde, Portugal tem atualmente 1.351.516 pessoas vacinadas contra a covid-19: 903.964 com a primeira dose e 447.552 com a segunda dose.

Em Portugal, morreram 16.784 pessoas dos 817.778 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.