Portugal de fora. A Europa de Juncker vai de Espanha à Bulgária

Durante o seu discurso do Estado da União, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, disse esta quarta-feira que “a Europa vai de Vigo, a Varna, de Espanha à Bulgária”.

Numa altura do discurso em que pretendia ilustrar a união dos países da UE, do “leste ao oeste, do norte ao sul”, Jean-Claude Juncker cometeu uma gafe, esquecendo-se de Portugal. “Não se iludam, a Europa estende-se de Vigo a Varna. De Espanha à Bulgária“.

Uma fonte do gabinete de Juncker, contactada pela SIC, garantiu que “Portugal não foi esquecido pelo presidente da Comissão Europeia, até porque em breve visitará o país, a convite do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa”.

Mas o lapso do presidente da CE não passou em claro nas redes sociais, e mereceu de imediato a reação da eurodeputada Marisa Matias, do Bloco de Esquerda, que deixou no seu perfil no Twitter um comentário sarcástico. “A Europa vai desde Espanha até à Bulgária. Juncker no estado da União. Já assumiu que estamos de fora?”, escreveu.

https://twitter.com/mmatias_/status/907871163698876416

Na parte final do seu discurso sobre o Estado da União, proferido perante o Parlamento Europeu, em Estrasburgo, o presidente da Comissão Europeia defendeu hoje a celebração de uma “cimeira especial” a 30 de março de 2019, primeiro dia “pós-Brexit”, que assinale o nascimento de uma nova União Europeia a 27 mais unida, forte e democrática.

Juncker abordou a questão do Brexit, apontando que “o dia 29 de março de 2019 será o dia em que o Reino Unido deixará a União Europeia”, num momento que classificou como “muito triste e trágico” na história europeia.

“Mas devemos avançar, porque o Brexit não é tudo, não é o futuro da Europa. A 30 de março de 2019 seremos uma União a 27, e proponho que nos preparemos bem”, disse, lembrando que algumas semanas depois da concretização da saída do Reino Unido terão lugar, em maio, as eleições europeias, “um encontro importante com a democracia europeia”.

Nesse sentido, revelou que já pediu ao presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, e à Roménia, que assegurará a presidência rotativa do Conselho da UE no primeiro semestre de 2019, que organizem “uma cimeira especial na Roménia a 30 de março“, sugerindo mesmo como cenário “a bela cidade de Sibiu”.

“Será o momento de nos reunirmos para tomar as decisões necessárias à construção de uma Europa mais unida, mais forte, mais democrática“, disse.

Jean-Claude Juncker revelou a sua esperança de que, a 30 de março, “os europeus acordem numa União onde todos defendem os valores europeus, onde todos os Estados-membros respeitam sem hesitações o Estado de direito, e onde ser membro de pleno de direito da União monetária e do Espaço Schengen se tenha tornado a norma para todos”.

Fusão entre comissário das Finanças e presidente do Eurogrupo

O presidente da Comissão Europeia defendeu ainda a fusão dos postos de comissário europeu dos Assuntos Económicos e de presidente do Eurogrupo, para que a Europa passe a ter “um ministro europeu da Economia e Finanças”.

Juncker disse que uma das suas prioridades é “uma união económica e monetária mais forte”, e, nesse contexto, manifestou-se favorável à criação de um fundo monetário europeu, de uma linha orçamental específica para a zona euro e à figura do “ministro da Economia e das Finanças”.

“Precisamos de um ministro europeu da Economia e Finanças, alguém que acompanhe as reformas estruturais nos nossos Estados-membros. Ele pode apoiar-se no trabalho levado a cabo pela Comissão desde 2015, no quadro do seu serviço de apoio à reforma estrutural”.

Segundo o presidente do executivo comunitário, “este ministro europeu da Economia e Finanças deveria coordenar o conjunto dos instrumentos financeiros da UE quando um Estado-membro entra em recessão ou é atingido por uma crise que ameace a sua economia”.

“Não sou pela criação de uma nova função. Por razões de eficácia, defendo que esta tarefa seja confiada ao comissário europeu responsável pela Economia e Finanças – idealmente vice-presidente da Comissão – e presidente do Eurogrupo”, esclareceu.

Juncker também considerou que o Mecanismo Europeu de Estabilidade – o fundo de resgate permanente da zona euro – deve “evoluir progressivamente para um fundo monetário europeu”, e adiantou que a Comissão apresentará propostas concretas nesse sentido já em dezembro próximo.

Considerando que não é necessário a Europa dotar-se de “estruturas paralelas” – Juncker rejeitou por exemplo um parlamento específico da zona euro, considerando que “o parlamento da zona euro é o Parlamento Europeu” -, o presidente da Comissão argumentou também que não é necessário “um orçamento do euro distinto”, preferindo antes “uma linha orçamental dedicada à zona euro no quadro do orçamento da UE”.

Atualmente, o francês Pierre Moscovici é o comissário europeu responsável pelos Assuntos Económicos e Financeiros – enquanto o vice-presidente Valdis Dombrovskis tem a seu cargo a pasta do Euro -, enquanto o fórum de ministros das Finanças da zona euro, o Eurogrupo, é presidido pelo holandês Jeroen Dijsselbloem, que termina o seu mandato em janeiro de 2018.

EPP / Flickr

Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia

“O vento é outra vez favorável” e os recados à Turquia

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, considerou no seu discurso que a Europa deve aproveitar o “vento favorável” atual para construir uma Europa “mais forte”, e apontou cinco prioridades para próximo ano.

Dirigindo-se ao Parlamento Europeu, em Estrasburgo, França, Juncker deu conta do programa de trabalho da Comissão para 2018, realçando cinco áreas onde deseja ver a União Europeia mais forte: no comércio, indústria, alterações climáticas, cibersegurança e migrações.

“O vento é outra vez favorável, temos agora uma janela de oportunidade, mas que não vai ficar aberta para sempre. Aproveitemos por isso ao máximo o bom momento, e o vento nas nossas velas”, disse.

De acordo com o presidente da Comissão Europeia, a UE deve reforçar o programa comercial europeu e fechar acordos comerciais com vários parceiros, tornar a sua indústria “mais forte e competitiva“, respeitando os consumidores em vez de os enganar – num “recado” dirigido à indústria automóvel europeia -, liderar o combate às alterações climáticas, proteger melhor os cidadãos europeus na Internet e continuar a trabalhar no plano das migrações.

“Mesmo isto não é suficiente se queremos ganhar o coração dos europeus”, sustentou, sublinhando a necessidade de dar novos passos concretos no processo de repensar o futuro da União Europeia, iniciado há cerca de um ano.

O presidente da Comissão Europeia admitiu ainda que não é previsível num futuro próximo que a Turquia reúna as condições para aceder à União Europeia e instou Ancara a parar de insultar os Estados-membros e líderes europeus.

Jean-Claude Juncker lembrou que qualquer negociação com países candidatos assenta, acima de tudo, no “Estado de Direito, justiça e valores fundamentais”, o que, argumentou, “afasta a Turquia” da adesão. Segundo Juncker, “há já um tempo considerável que a Turquia se tem afastado” dos valores europeus e, como tal, da UE.

A título de exemplo, apontou que “o lugar dos jornalistas é nas redações, não nas prisões”, apelando por isso às autoridades turcas que libertem os jornalistas detidos, “e não apenas os europeus”. “E parem de chamar aos nossos Estados-membros e chefes de Estado fascistas e nazis. A Europa é um continente de democracias maduras”, advertiu.

O presidente do executivo comunitário disse ter, por vezes, “a impressão que há quem, na Turquia, queira quebrar as pontes, para depois responsabilizar a UE pelo fracasso nas negociações. Mas, do nosso lado, teremos sempre uma mão estendida, para o grande povo da Turquia e todos aqueles que queiram trabalhar connosco com base nos nossos valores comuns”, disse.

ZAP // Lusa

3 COMENTÁRIOS

    • A tua cabeça é que está no norte de África… arranca para lá antes que seja tarde!…
      Em relação a mais esta “pérola” do esquentador mafioso do Luxemburgo, só vem mostrar a “qualidade” dos lideres europeus!…

  1. Ridículo e risível ! Isto quer dizer que o círculo de coselheiros do Senhor Juncker é puramente um bando de ignorantes. Se quisessem ser originais poderiam ter escrito o discurso da seguinte forma “de Braga a…”, não fica muito longe de Vigo e desta forma englobariam a totalidade do espaço europeu!
    Por outro lado, devemos constatr que somos os próprios a nos esquecer de nós próprios: são os políticos que se perdem em frasezinhas inaptas e feias, os tugas que preferem ir desenvolver os outos países, em vez de lutar para que isto melhor e assim por aí em frente… assim não é de admirar que um dirigente europeu se esqueça que Tugal faz parte da UE!

RESPONDER

Não, os EUA não declararam guerra à Coreia. Mas não lhes abatam os aviões

Os Estados Unidos negaram hoje ter declarado guerra à Coreia do Norte e frisaram que Pyongyang não pode disparar contra os seus aviões em águas internacionais, em resposta a uma ameaça do ministro dos Negócios …

Casal canibal detido na Rússia por ter comido 30 pessoas

Um homem e uma mulher da cidade de Krasnodar, no sul da Rússia, poderão ter sido responsáveis pelo assassinato de cerca de 30 pessoas, que terão posteriormente comido. Os suspeitos, um instrutor militar de 35 anos …

Portugal pagou menos 213ME em juros à 'troika' até agosto

Portugal pagou 1.161,2 milhões de euros em juros à 'troika' até agosto, menos 213,1 milhões em termos homólogos, devido à extensão da maturidade de parte do empréstimo e aos reembolsos antecipados ao FMI. O Estado reduziu …

"Príncipe da Pontinha" detido pela GNR na Madeira

A Guarda Nacional Republicana deteve, esta segunda-feira, o autointitulado "príncipe do ilhéu da Pontinha" por este se ter oposto a uma ordem de execução judicial de encerramento de instalações, informou o porta-voz do comando territorial. "A …

Vacina contra a gripe gratuita para diabéticos e bombeiros

Direção-geral da Saúde justifica alargamento da gratuitidade com os riscos que o frio representa para os diabéticos e com a assistência na saúde prestada pelos bombeiros. A vacina contra a gripe vai ser este ano pela …

Morreu Abd El Aty, a mulher que chegou a pesar 500 quilos

Aos 37 anos, Eman Ahmed Abd El Atya estava a ser submetida a um tratamento intensivo nos Emirados Árabes Unidos. Mas acabou por morrer na sequência de complicações cardíacas. A egípcia Eman Ahmed Abd El Aty, …

Turquia encerra fronteira e ameaça petróleo em represália a referendo curdo iraquiano

O Presidente da Turquia, forte opositor do referendo sobre a independência do Curdistão iraquiano, anunciou esta segunda-feira que encerrará em breve a fronteira terrestre com aquela região autónoma do Iraque, bem como ameaçou bloquear as …

Comentador do Benfica diz que foi agredido por administrador do Sporting

O comentador da Benfica TV e advogado António Pragal Colaço apresentou queixa-crime contra o administrador da SAD do Sporting, Nuno Correia da Silva, acusando-o de agressão. O caso é divulgado pelo Correio da Manhã (CM) que …

Políticos e militares negam relatório de Tancos (Expresso promete novas revelações)

O Exército continua a negar a existência de um relatório das secretas militares sobre o roubo de Tancos, tal como o Presidente da República, o primeiro-ministro e o ministro da Defesa. Mas o director do …

Sondagem: Isaltino ganha Oeiras

A candidatura de Isaltino Morais - Inovar Oeiras de Volta - lidera a sondagem com 13 pontos percentuais acima do atual presidente da autarquia Paulo Vistas, antigo vice presidente de Isaltino Morais. As eleições autárquicas estão …