Portugal tem 233 surtos ativos. Maioria está no Norte e Lisboa

Manuel de Almeida / Lusa

Portugal regista 344 surtos ativos de covid-19, com particular incidência nas regiões de Lisboa e Vale do Tejo e do Norte.

“Temos 344 surtos registados, sendo 125 na região Norte, 35 no Centro, 142 em Lisboa e Vale do Tejo, 20 no Alentejo e 22 no Algarve, o que reflete um número bastante inferior ao de outros períodos. Felizmente, tem havido uma redução”, sublinhou Graça Freitas.

A diretora-geral da Saúde admitiu que poderá deixar de fazer análises pormenorizadas de cada surto, mas comentou a situação que se verifica num lar de idosos em Bragança e noutro em Montalegre, além de um surto com origem num café em Alenquer e que já resultou em 11 casos confirmados.

Sobre o primeiro lar, Graça Freitas referiu que tem 43 utentes e sete profissionais infetados, sendo que apenas um dos três edifícios deste estabelecimento foi comprometido pela doença; já em relação à unidade de Montalegre, o surto tem “muito menos pressão”, com apenas quatro profissionais infetados, mas a diretora-geral da Saúde vincou que é bastante recente e que ainda está em curso o inquérito epidemiológico.

Confrontada sobre uma possível suspensão das visitas aos lares no cenário de agravamento da pandemia, à semelhança do que ocorreu durante o confinamento de março e abril, Graça Freitas mostrou-se prudente face a uma repetição dessa decisão.

“Temos de pesar muito bem medidas de controlo de infeção e de segurança com humanização. Temos de ser muito cautelosos; habitualmente, as visitas não estão associadas à transmissão, porque são muito controladas, esporádicas e têm regras muito fixas. É mais fácil que a transmissão se faça a partir dos profissionais, porque são eles que vêm todos os dias de fora para dentro da instituição”, notou.

Segundo a diretora-geral da Saúde, o país está neste momento “confortável em relação ao número de idosos que têm sido afetados” pela covid-19. Graça Freitas realçou a estabilidade das variações de percentagem dos diferentes grupos etários, lembrando que nesta fase são os adultos jovens o grupo da população mais visado pela doença e que as pessoas acima dos 70 anos representam somente 15% dos infetados.

Perante o aumento da mortalidade reportado pelos indicadores do Instituto Nacional de Estatística, que apontam para mais 7.144 mortes entre 02 de março e 20 de setembro deste ano face à média registada no período homólogo dos últimos cinco anos, Graça Freitas explicou que a avaliação das causas de morte é um “processo complexo” e lembrou o peso da covid-19, de ondas de calor e da gripe.

“Este ano recuperámos imenso no que diz respeito à codificação. Desde logo quando começou a pandemia, em março, desviámos codificadores que estavam a codificar as causas de morte de 2019 para a codificação da morte por covid”, disse a líder da DGS, reconhecendo que a atividade relacionada com a covid-19 está “atualizada”, embora em relação “a outras causas de morte” ainda se está “a recuperar tempo”.

Portugal contabiliza hoje mais seis mortos relacionados com a covid-19 e 888 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Desde o início da pandemia, Portugal já registou 1.983 mortes e 77.284 casos de infeção, estando hoje ativos 25.942 casos, mais 460 do que na quinta-feira.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Francisco Assis alerta Governo para riscos das raspadinhas

O presidente do Conselho Económico e Social (CES), Francisco Assis, vai promover um estudo sobre o impacto social do vício da raspadinha e informar o Governo, na esperança de que este repondere o lançamento da …

Mais de 75% dos refugiados sírios podem sofrer de stress pós-traumático

Mais de três quartos dos refugiados sírios podem estar a sofrer de distúrbios mentais, como transtorno de stress pós-traumático (TEPT), dez anos após o início da guerra civil no país. De acordo com um artigo do …

AVC foi a principal causa das 112.334 mortes em 2019

As doenças circulatórias foram as principais causas das 112.334 mortes verificadas em Portugal em 2019, divulgou esta segunda-feira o Instituto Nacional de Estatística, assinalando que a mais mortífera foi o acidente vascular cerebral (AVC). Em 2019, …

Iémen irá enfrentar a pior fome já vista nas últimas décadas. Guterres implora por generosidade

De acordo com a ONU, a situação humanitária no Iémen é muito grave e o país irá enfrentar a pior fome à qual o mundo já assistiu. Esta situação pode ser revertida se os seus …

"Um erro histórico". Tratado assinado em Portugal incentiva aquecimento global

Um tratado assinado em Lisboa concede um grande poder às empresas de energia para processar os Estados caso se sintam prejudicadas por políticas climáticas. O Tratado da Carta da Energia (TCE) é um acordo internacional assinado …

Jornalistas estrangeiros denunciam "declínio da liberdade" na China

A China utilizou as medidas para controlar o coronavírus, a intimidação e restrições de visto para limitar a cobertura jornalística estrangeira em 2020, dando início a um "rápido declínio da liberdade na media", denunciou o …

Sindicato dos chefes da PSP interpôs ação judicial por causa da pré-aposentação

O Sindicato Nacional da Carreira de Chefes da PSP indicou este domingo que interpôs uma ação judicial para impugnar um despacho da direção nacional da Polícia Segurança Pública sobre a lista de pedidos da passagem …

"A agricultura em Montalegre vai acabar". Praga de javalis destrói culturas

Os agricultores do concelho de Montalegre andam desesperados com o facto dos javalis andarem a destruir as culturas. A população destes animais tem aumentado muito nos últimos anos e as medidas de controlo têm sido …

50 mil euros. Governo cria prémio nacional para proteger florestas

No próximo Conselho de Ministros, na quinta-feira, o Governo vai discutir um prémio bianual para projetos que ajudem a melhorar a floresta, do ponto de vista técnico, científico ou da comunicação. A notícia é avançada esta …

Polícia Judiciária ajudou a evitar dois ataques em França

As informações partilhadas pela Polícia Judiciária (PJ) com a Europol foram cruciais para alcançar a detenção do jihadista marroquino que viveu em Portugal. Hicham El-Hanafi foi condenado a 30 anos de prisão em França, na semana …