Porto quer passar 250 casas de alojamento local para arrendamento até ao fim do ano

O programa Porto com Sentido recebeu 70 contactos de proprietários em três semanas e foram formalizadas nove candidaturas, que estão passarão à “fase de vistoria”. Com este projeto, a câmara pretende passar 250 imóveis do Alojamento Local para o mercado de arrendamento até ao final do ano.

Através deste projeto, a câmara arrendará os fogos e depois os subarrendará a preços acessíveis, mediante candidatura e sorteio, noticiou esta segunda-feira o Público. O intuito é levar mil imóveis para o mercado de arrendamento até 2022, com tipologia entre o T0 e o T4 ou superior.

“O programa prevê que, a cada dez candidaturas ou mensalmente, se vai fazendo a seleção das habitações que serão imediatamente colocadas em concurso para subarrendamento a rendas acessíveis”, explicou ao Público o gabinete de comunicação do município, visando combater a “grave carência de oferta de habitação a preços comportáveis para o rendimento de um agregado familiar médio”.

Estas casas podem estar localizadas em todas as freguesias, estimando a autarquia que possam beneficiar delas, até 2022, cerca de 2700 pessoas. Os contratos de arrendamento serão de pelo menos dois anos, prorrogáveis, uma única vez, por até cinco anos.

A autarquia definirá os preços, que serão “significativamente abaixo dos valores conhecidos de oferta no mercado de arrendamento para o conjunto das freguesias de Porto, do próprio valor efectivamente contratado para esse mesmo universo, mas também da mediana dos indicadores do INE”.

Os projetos de habitação a preços acessíveis Monte Pedral, Monte da Bela, Lapa e Lordelo do Ouro devem abranger também “cerca de mil famílias”. Já o programa Porto Solidário, que paga parte do valor das rendas, já apoiou 1100 famílias.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.