43 anos depois da Guerra, um porta-aviões dos EUA chega ao Vietname

3

U.S. Pacific Fleet / Flickr

O superporta-aviões USS Carl Vinson, da marinha dos EUA, e a sua frota de escolta. Ao fundo, o USS Shiloh

Mais de 40 anos depois da guerra, o USS Carl Vison chega ao Vietname para enviar uma mensagem à China, depois de este país ter anunciado um Orçamento de Defesa para 2018 na ordem dos 142 mil milhões de euros.

Esta segunda-feira, o porta-aviões norte-americano USS Carl Vinson vai tornar-se o primeiro navio dos Estados Unidos desta envergadura a atracar no Vietname desde a guerra que opôs o país aos EUA.

O porta-aviões, movido a energia nuclear, vai atracar na cidade portuária de Danang, cidade na qual as primeiras tropas de combate norte-americanas desembarcaram com o objetivo de dar início à guerra no Vietname, que decorreu entre o fim dos anos 50 e 1975.

A chegada do porta-aviões USS Carl Vinson ao Vietname foi acordada entre o chefe do Pentágono James Mattis e o ministro da Defesa do Vietname, Ngo Xuan Lich, durante a visita de Mattis ao país asiático, em janeiro.

Tanto a visita como o porto são altamente simbólicas, explica o Expresso, dado que acontecem numa altura em que os EUA estão a tentar reforçar as relações militares com o antigo rival e a hegemonia chinesa é crescente.

De acordo com os analistas, o envio do USS Carl Vinson serve, acima de tudo, para enviar uma mensagem à China perante as suas crescentes aspirações expansionistas no Mar do Sul da China.

A chegada no navio quase coincidiu com o anúncio de que o Orçamento de Defesa de Pequim para 2018 vai situar-se nos 1,11 biliões de yuan, cerca de 142 mil milhões de euros – mais 8% do que o ano passado.

Embora a cooperação entre norte-americanos e vietnamitas tenha crescido, é na China que o país asiático tem o seu principal parceiro de trocas. Desta forma, o acolhimento do Carl Vinson por parte do Vietname é uma jogada arriscada, já que pode ser considerada uma provocação e pôr em causa a sua relação com a China.

Segundo o jornal, a China tem reclamado soberania sobre grande parte do Mar do Sul da China. Além disso, tem estado a construir ilhas artificiais nesse corredor marítimo para defender o que diz ser o seu território.

  ZAP //

3 Comments

    • enquanto viveram a grande e a francesa a custa deles nunca se queixaram como acabou a mamadeira já não prestam

  1. Em primeiro lugar o vietname parece nao saber no que se está a meter, porque os eua quando entram no país depois é um cabo dos trabalhos para os tirar de lá. Em segundo à china só ten que cortar as relaçoes comerciais com o vietname, já que a china é o 1ª parceiro conmercial. Em terceiro a chian deve responder na mesma moeda, ou seja, enviar um ou dois barcos de guerra para paises amigos na america latina. Estas a meu ver seriam as respostas mais correctas.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE