Porque é que a Disney tramou as madrastas?

disneyscreencaps.com

Madame Tremaine, a madrasta da Cinderela

Madame Tremaine, a madrasta da Cinderela

Desconstruir a ideia de que as madrastas são sempre as más da fita é um dos objetivos do I Congresso de Madrastas, Padrastos e Enteados, que se realiza este sábado, no Torreão Poente do Terreiro do Paço, em Lisboa, e terá Catarina Furtado e Joana Amaral Dias entre os oradores.

“Trata-se de um tema muito informal, mas espero que com muito conteúdo”, declarou à agência Lusa Fernando Alvim, promotor da iniciativa, explicando que a ideia surgiu depois de várias conversas que foi tendo com amigos e convidados dos seus programas de rádio.

Apesar de não ser padrasto ou enteado e de não ter familiares na mesma situação, Fernando Alvim explicou que o facto de ter vários amigos que falam “desta problemática” fez-lhe sentido e despertou-lhe o interesse para aprofundar o assunto, já que é “um tema do qual não se fala muito”

O radialista adiantou à Lusa que chegou à conclusão, juntamente com outras pessoas, de que “a Disney tem uma cota de responsabilidade na forma e no tom depreciativo com que as madrastas ficaram para o mundo”.

Esse é precisamente um dos temas do painel de abertura do Congresso: “Porque é que a Disney tramou as madrastas?”, e para responder a essa questão foram convidados, entre outros, os psicólogos António Alvim e Joana Amaral Dias.

Fernando Alvim distinguiu que, tanto as princesas Cinderela, como a Branca de Neve, tiveram “duas madrastas malévolas” e que nos filmes de animação de Walt Disney foram sempre representadas “como pessoas más”, imagem que terá passado para a sociedade.

Meio a brincar, meio a sério, Fernando Alvim disse que pretende trazer a questão para a ordem do dia, destacando que, “as próprias madrastas – mais que os padrastos – tentam disfarçar a conotação negativa do termo, encontrando subterfúgios vários, entre os quais, assinando como boadrasta, por exemplo.

“Por isso, gostava também de tentar arranjar alternativas para mudar os nomes. A minha proposta é bastante fraturante: resolvia um problema e criava outro”, realçou, explicando a ideia: “em vez de usar as palavras ‘madrasta’, ‘padrasto’ ou ‘enteado’ — de conotações mais negativas — passaria a usar-se outras mais frendly, como ‘madrinha’, ‘padrinho’ ou ‘afilhado’. “Mas isso ia criar um outro problema, porque ‘madrinha’ e ‘padrinho’ significam outra coisa, embora já sem o sentido de antigamente. ‘Afilhado’ tem a ver com filho: Sounds good [soa bem]. ‘Padrinho’ faz lembrar pai, assim como ‘madrinha’ mãe”, considerou, lembrando que era entendido que os padrinhos de uma criança ficavam encarreguados da educação desta, caso acontecesse alguma coisa a seus pais.

Ana Soares, autora do blog “A vida madrasta“, e que vai ser uma das oradoras do Congresso, explicou à Lusa que a sua experiência enquanto madrasta “é um grande tratado, cheio de coisas boas e outras más”. A autora também partilha a opinião de que as madrastas são o chamado bode expiatório, já que desde sempre, “muito à conta da Disney”, são a “figura má, aquela que ficou com o pai quando a mãe morreu (antes não havia divórcios) e que, à partida, odeiam as crianças que já existem” na nova família.

Numa altura em que, segundo os oradores no congresso, se estão a alterar os modelos familiares, Ana Soares, madrasta há quatro anos de uma criança com oito, considerou à Lusa que cabe aos membros das novas famílias, padrastos e madrastas, mudar a sua imagem, lembrando que ainda existem “más madrastas e maus padrastos, mas também existem más mães e maus pais”.

Ana Soares sente-se, por vezes, injustiçada quando ouve algumas das frases ‘cliché’, como “tu não és minha mãe”, ou “gostava de viver só com o pai”, e desabafou à Lusa que isso “doí” e que fica “verdadeiramente triste”, pois sente ser “ingrato cuidar de uma criança” como filho e essa mesma criança não a ver como mãe, mas admitiu que “faz parte do jogo”. No blog que gere, Ana Soares vai dando conta do seu dia-a-dia familiar e das peripécias como madrasta, apesar de reconhecer que não tem ideias pré-definidas do “quanto é ser madrasta”.

Ana Soares reconheceu à Lusa que falar desta questão pode ser “construtivo e positivo”, sublinhando que, apesar de tudo, a própria sociedade parece estar mudada relativamente a esta questão, “mais adaptada a estes novos conceitos de família”.

“Ainda existem traços de outros tempos, mas aos poucos mudam-se mentalidades. E até mesmo mães que “entregam” os filhos às madrastas têm agora uma postura diferente. Confiam, gostam delas. Dão a oportunidade de haver uma relação”, concluiu.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Incapacitar uma única proteína pode "curar" a gripe

Desabilitar uma única proteína das nossas células pode ser a solução para "curar" a gripe. Os testes realizados em ratos foram bem sucedidos, pelo que pode ser um indicador positivo de progressos nesta área. Encontrar uma …

Detetada a estrela de neutrões mais massiva alguma vez encontrada

Observações com o telescópio Green Bank revelaram a estrela de neutrões mais massiva até ao momento, chamada J0740 + 6620. De acordo com a revista especializada Nature Astronomy, onde foi descrita a descoberta, é um pulsar …

Portugueses criam nanomateriais feitos de algas para despoluir água

De algas abundantes no litoral de Portugal, investigadores da Universidade de Aveiro extraíram biopolímeros capazes de remover alguns poluentes da água, como antibióticos ou herbicidas. Uma equipa de investigadores da Universidade de Aveiro (UA) demonstrou que …

O novo Oumuamua pode ter sido captado numa fotografia a cores

Os astrónomos do Observatório Gemini no Hawai tiraram a primeira fotografia do GB00234, agora rebatizado para C/2019 Q4 Borisov, um objeto que pode ser o segundo corpo celeste interestelar a entrar no Sistema Solar. A imagem …

Volkswagen revela o novo ID.3, "o carro elétrico do povo"

https://vimeo.com/360579859 No Salão Automóvel da Frankfurt, a Volkswagen revelou o novo ID.3, o seu primeiro carro elétrico. Com um preço "abaixo dos 30 mil euros", é tido como acessível para as massas. A revolução dos automóveis elétricos …

Benfica 1-2 Leipzig | Águias sem asas para o Leipzig

O Benfica arrancou a sua participação na fase de grupos da Liga dos Campeões 2019/20 da pior forma, com uma derrota caseira por 2-1. A formação “encarnada” recebeu o Leipzig e nunca conseguiu dominar o futebol …

A faca, o casaco, a secretária e outros objetos de Anthony Bourdain vão a leilão

Uma faca feita a partir de um meteorito, um casaco personalizado da marinha norte-americana e uma prensa para ossos de pato são três dos 215 objetos de Anthony Bourdain que vão ser colocados à venda …

Já vai poder dormir no castelo de "Downton Abbey" (mas com algumas condições)

O castelo de Highclere, que os fãs da série Downton Abbey conhecem como a casa da família ficional Crawley, está a receber hóspedes. O conde de Carnarvon resolveu abrir as portas a apenas dois convidados, a …

Tinder produz a sua primeira série de televisão (e é “apocalíptica”)

A aplicação de encontros Tinder já terminou as filmagens da sua primeira série de televisão no âmbito da intenção do seu proprietário, o Match Group, de aprofundar a criação de conteúdos originais. Fazer novos programas faz …

Sondagens à boca das urnas mostram empate técnico entre Netanyahu e Gantz

O primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu e Benny Gantz, antigo chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas que lidera a coligação centrista, estão numa situação de empate técnico nas primeiras sondagens à boca das urnas. Esta terça-feira, …