“Ponte” biodegradável pode curar lesões nervosas do sistema nervoso periférico

Investigadores da Universidade de Pittsburgh descobriram recentemente uma “ponte” biodegradável que poderá ajudar no tratamento de lesões nos nervos e a recuperar cerca de 80% da função nervosa.

As lesões superficiais que ocorrem no sistema nervoso periférico curam-se, por norma, sem ajuda. Mas o mesmo não acontece quando se trata de uma lesão mais séria, em que a única opção é muitas vezes um auto-enxerto – cirurgia que envolve a remoção de tecido nervoso saudável de uma parte menos crítica do corpo e a sua posterior transplantação para a área onde os nervos estão danificados.

Este tratamento não é, no entanto, ideal porque repara apenas 50 a 60% da função dos nervos e causa outra lesão numa zona diferente do corpo, disse Kacey Marra à Scientific American.

Investigadores da Universidade de Pittsburgh descobriram recentemente uma forma mais eficaz de tratar estas lesões – construir uma “ponte” composta por um tubo biodegradável que liberta uma proteína, durante três meses – tendo em conta o facto de os nervos se regenerarem cerca de um milímetro por dia, este método permitirá o tratamento de lesões com cerca de 12 centímetros.

De acordo com o estudo publicado na revista Science Translational Medicine, a proteína libertada induz o nervo a crescer mais rápido e o tubo funciona como um guia para que cresça ao longo do caminho correto.

A equipa de investigadores implantou o dispositivo em macacos, que apresentavam grandes defeitos nervosos nos braços, e reparou que quase 80% da função havia sido restaurada.

“Enxertos de nervo mais longos são sempre mais desafiadores”, disse Christine Schmidt, professora e chefe do departamento de engenharia biomédica da Universidade da Flórida, que não esteve envolvida no artigo.

“Seria ótimo se fossemos capazes de resolver os danos nervosos de longo prazo”, acrescentou. Schmidt considera, no entanto, que os testes feitos pela equipa em macacos não são o suficiente porque os nervos são relativamente pequenos.

Mas Marra explicou que os testes em humanos estão já programados para o próximo ano e que, se correrem como esperado, os cirurgiões podem em breve ter uma alternativa melhor aos auto-enxertos para reparar danos graves nos nervos.

Outros investigadores estão a explorar o uso de células-tronco para ajudar a preencher as falhas nervosas, mas a abordagem da “ponte” terá mais facilidade em receber aprovação.

“Se forem adicionadas células-tronco ou muitas complexidades”, será mais difícil obter um sinal verde por parte das entidades reguladoras, disse Schmidt. É melhor avançar com pequenos passos, como fizeram os investigadores de Pittsburgh, para que se chegue a um resultado clínico – e isso é o que realmente importa, acrescentou.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Onze mineiros resgatados com vida de uma mina de ouro na China

Onze mineiros presos há duas semanas dentro de uma mina de ouro na China, devido a uma explosão, foram hoje trazidos em segurança para a superfície, informou a televisão estatal chinesa. No dia 10 de janeiro, …

Multimilionário oferece 1 milhão em prémios por evidências de vida após a morte

Um empresário de Las Vegas, nos Estados Unidos, está a oferecer um milhão de dólares em prémios em troca de evidências de que existe vida após a morte. O investidor imobiliário e empresário espacial Robert Bigelow, …

Marcelo reeleito com 55% a 62% dos votos. Ana Gomes em segundo lugar

Marcelo Rebelo de Sousa foi reeleito para um segundo mandato como Presidente da República, após vencer as eleições deste domingo com 55% a 62% dos votos.  Segundo as primeiras projeções, Ana Gomes deverá ficar em …

Itália vai processar Pfizer e AstraZeneca devido a atrasos nas vacinas. UE pede "transparência"

A Itália vai processar a Pfizer Inc e a AstraZeneca devido aos atrasos na entrega das vacinas contra a covid-19 e para garantir os fornecimentos – não para obter compensações, disse neste domingo o ministro …

Declínio cognitivo relacionado com a idade pode ser reversível

Cientistas conseguiram reverter em ratos o declínio cognitivo causado pelo envelhecimento. O objetivo dos investigadores é que as farmacêuticas baseiem-se neste estudo para criar um composto que possa ser administrado em humanos. As células específicas do …

Afluência às urnas é menor (mas há mais votantes). Abstenção deverá ficar entre os 56 e 60%

A afluência às urnas às 16:00 nas presidenciais de hoje em Portugal, 35,4%, é a segunda mais baixa desde as eleições de 2006, ano em que este número passou a ser divulgado pela administração eleitoral. Esta …

Reino Unido já vacinou quase 6 milhões. Alemanha aumenta controlo nas fronteiras

O Reino Unido já administrou a primeira das duas doses da vacina contra o novo coronavírus em cerca de seis milhões de pessoas, quando o número de mortes no país devido à pandemia está perto …

Polícia desmantela rede de tráfico internacional de armas (e descobre santuário dedicado a Hitler)

Em dezembro, as autoridades espanholas conseguiram desmantelar uma rede ilegal de armas que operava em toda a Europa, e acabou por capturar os traficantes. O que a polícia não esperava era encontrar um armazém cheio …

Diminuição da esperança média de vida é "consequência inevitável" da pandemia

A esperança média de vida em Portugal vai necessariamente diminuir em consequência da pandemia de covid-19, defendeu um especialista, explicando que isso decorre do efeito combinado da morte de idosos, mas também de jovens em …

Novo estudo explica a importância de esterilizar os gatos antes da adolescência

Um novo estudo sugere que a idade de esterilização dos gatos deve ser antecipada de seis para quatro meses, com o objetivo de prevenir ninhadas indesejadas de gatinhos, que muitas das vezes acabam por ser …