“São políticas canalhas e assassinas”. Manifestação em Lisboa pela defesa da Amazónia

Manifestação em defesa da Amazónia decorreu no centro histórico de Lisboa. Ato contou com a participação da viúva de José Saramago, Pilar del Río. Participantes criticaram Bolsonaro e o agronegócio.

Cerca de 700 pessoas manifestaram-se hoje no Largo Camões, em Lisboa, numa ação em defesa da floresta da Amazónia, segundo estimativa de uma fonte oficial da Polícia de Segurança Pública (PSP). “No pico da manifestação estimamos que estiveram cerca de 700 pessoas. Foi uma manifestação ordeira sem incidentes a registar”, afirmou, em declarações à agência Lusa, um oficial de serviço à 1.ª divisão da PSP, Carlos Mena.

A manifestação organizada por vários movimentos em defesa da floresta amazónica contou com a participação de partidos de esquerda, tendo estado presente a líder do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, que não prestou declarações.

A presidente da Fundação José Saramago e viúva do Nobel de Literatura, Pilar del Río, considerou que as políticas de Jair Bolsonaro são “canalhas”.

“Estou aqui hoje porque sou um ser humano. O Brasil precisa de respeito pelos seres humanos e respeito pelo planeta. Estamos a ver políticas que desrespeitam, são canalhas e assassinas. A Amazónia é do Brasil, mas é também de outros países da América Latina, e, sobretudo, é do planeta. Todo o planeta precisa da Amazónia e, por isso, temos que ser todos solidários”, declarou Pilar del Río à Sputnik Brasil.

Segundo a brasileira Samara Azevedo, do Movimento Coletivo Andorinha, um dos movimentos responsáveis pela manifestação, esta foi uma das maiores iniciativas da comunidade brasileira em Lisboa.

“Estamos aqui juntamente com outras associações, com a Casa do Brasil, Fórum Indígena de Lisboa, Media Ninja, para falar sobre a situação na Amazónia e para continuar o desmonte das políticas públicas ambientais que estão a acontecer no Brasil”, referiu a ativista, acrescentando que no seu país até o próprio ministro do Ambiente “é uma piada de mau gosto”.

Para Samara Azevedo, a responsabilidade pelo que está a acontecer na floresta da Amazónia hoje, como os incêndios e a desflorestação, está no agro-negócio, sustentado pela política do atual Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro.

“O agro-negócio apoia o violento massacre dos índios, o assassinato das lideranças indígenas. E foi por conta disso que essas séries de desmatamentos aumentaram para níveis alarmantes. Não é que o desmatamento tenha começado agora no Brasil, na floresta amazónica”, declarou, considerando a postura de Bolsonaro “criminosa, porque ela, além de ser ausente, incentiva e desmobiliza toda a política ambiental que existe no Brasil”.

“A destruição da Amazónia é uma catástrofe de proporções mundiais para o ambiente, para a humanidade”, considerou Joana Mortágua em declarações aos jornalistas, no meio da multidão que se juntou no Largo Camões. Para esta deputada, a catástrofe tem responsáveis que se chamam Bolsonaro e agro-negócio.

“Bolsonaro esteve desde o início do seu Governo contra as ONG [organizações não-governamentais] ambientalistas, numa campanha aberta contra as associações indígenas que defendem a Amazónia e numa campanha aberta de apoio aos ruralistas e em defesa do agronegócio, que é aquele que está a promover o desmatamento e é, provavelmente, a mão criminosa que está por trás dos incêndios da Amazónia”, afirmou.

A deputada do BE apelou também ao Governo português para que tenha uma palavra de censura em relação ao executivo de Bolsonaro e se junte “àqueles que na comunidade internacional denunciam a destruição da Amazónia e denunciam os responsáveis políticos dessa destruição”.

Já Mariana Silva, candidata da CDU às legislativas, considerou que “as políticas para o ambiente e para a defesa da natureza têm de ser outras em qualquer dos países, porque é o planeta que esta em questão”. “Por isso terá de haver outra política de preservação da Amazónia”, defendeu.

O eurodeputado Francisco Guerreiro realçou que “escreveram ao primeiro-ministro, António Costa, para que no próximo Conselho Europeu, em Outubro, rejeite ou congele o acordo feito com o Mercosul, para que se garanta uma pressão internacional” àquele bloco, porque o desmatamento [da Amazónia] “tem sido constante, não só no Governo de Bolsonaro, como no Governo de Lula, de esquerda”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Musk quer bombardear Marte. Pode ser só um "pretexto" para enviar armas nucleares para o Espaço

O plano de Elon Musk de bombardear Marte é apenas um pretexto para o lançamento de armas nucleares para o Espaço, disse o diretor da agência espacial russa Roscosmos, Dmitry Rogozin. Bombardear Marte para tornar o …

Quase 20 mil toneladas de combustível derramadas em rio na Rússia

https://cache-igi.cdnvideo.ru/igi/video/2020/6/2/%D0%BD%D0%BE%D1%80%D0%B8%D0%BB%D1%8C%D1%81%D0%BA.mp4 Quase 20 mil toneladas de combustível foram acidentalmente derramadas num rio no extremo norte da Rússia, levando as autoridades a declarar uma situação de "emergência" e levantando preocupações entre ambientalistas e residentes. Em comunicado, a associação …

Mais verde e mais barato. Suécia segue a Alemanha e instala a primeira turbina eólica de madeira

A Suécia instalou uma nova e interessante turbina eólica: uma torre construída em madeira. A Alemanha também já tem esta nova tecnologia. Construída a partir de materiais de fontes sustentáveis e que oferecem desempenho comparável às …

Já não mostra só as filas do supermercado. App "Posso ir?" também diz se pode ir à praia

A aplicação móvel que permite aos utilizadores consultar as filas e as afluências aos supermercados também mostra como está a praia. Agora, a aplicação "Posso ir?" vai também dizer-lhe se é ou não prudente ir dar …

Discurso xenófobo. Na Áustria, "a islamofobia tornou-se uma forma dominante de racismo"

A Áustria regista um aumento preocupante do discurso xenofóbico, em particular em relação aos muçulmanos e refugiados, alerta um relatório do Conselho da Europa. A Comissão do Conselho da Europa contra o Racismo e a Intolerância …

Um em cada quatro russos acredita que a pandemia é uma invenção

Um em cada quatro russos acredita que a pandemia de coronavírus é uma invenção, de acordo com uma pesquisa realizada pela Escola Superior de Economia de Moscou (HSE). Segundo avançou o site de notícias RBC, citado …

"Botellón" está de volta a Lisboa. Ajuntamentos sem controle podem estar a espalhar o vírus

Há cada vez mais ajuntamentos de jovens em Lisboa, nomeadamente nos bairros típicos, mas também em locais como bombas de gasolina, para o convívio e o consumo de álcool. Um tipo de comportamento que está …

Trump negou ter-se abrigado num bunker da Casa Branca por causa dos protestos

O Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, negou esta quarta-feira ter sido escoltado para um 'bunker' na Casa Branca, devido aos protestos pela morte de George Floyd, alegando ter ido lá apenas para inspecionar …

Itália. Manifestantes desviam as máscaras e protestam contra medidas para conter pandemia

Centenas de manifestantes se reuniram em Roma, desviando as suas máscaras dos rostos, para protestar contra as medidas do Governo italiano para impedir a propagação do coronavírus. Segundo avançou na terça-feira a Time, os manifestantes, que …

Brasil pagou anúncios em sites investigados por publicar notícias falsas, avança O Globo

O Governo brasileiro publicou milhões de anúncios oficiais em sites investigados por divulgar notícias falsas, avança o jornal O Globo. O Governo do Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, publicou milhões de anúncios oficiais em sites investigados por …