Polícias italianos recusam usar máscaras cor-de-rosa. “Ficam mal” com o uniforme

Polícias italianos recusam usar máscaras cor-de-rosa, uma vez que dizem que “ficam mal” no seu uniforme. Pedem máscaras brancas, pretas ou azuis.

Alguns polícias italianos estão a rejeitar usar máscaras cor-de-rosa. “Institucionalmente”, disse o inspetor Luca Sita, de Ferrara, na região da Emília-Romana, usar uma máscara rosa “fica mal”.

O problema não é especificamente a cor rosa, explica Sita ao The New York Times. Uma máscara de qualquer cor que não seja branca, preta ou azul — que combine com o uniforme da polícia —, seria igualmente inaceitável.

Assim que os polícias receberam máscaras N95 cor-de-rosa, o Sindacato Autonomo di Polizia enviou uma missiva a Lamberto Giannini, chefe de polícia de Itália, a demonstrar a sua “perplexidade” por lhes terem sido enviadas máscaras cor-de-rosa para algumas esquadras.

Como argumento, o sindicato cita um memorando de 2019 do chefe da polícia no qual se lê que se deve “evitar usar roupas não conformes que possam prejudicar a compostura da instituição”.

“Não é um preconceito contra a cor”, reiterou o líder do sindicato, Stefano Paoloni.

Nas redes sociais, os italianos criticaram a preocupação de alguns polícias italianos, acusando-os de “masculinidade frágil”.

“Espero que, depois de expressarmos as nossas preocupações, haja uma tentativa de distribuir cores mais sóbrias”, acrescentou Paoloni em declarações ao jornal norte-americano.

Teresa Bellanova, vice-ministra das Infraestruturas de Itália, disse através do Twitter que não vê mal nenhum no facto dos agentes usarem máscaras cor-de-rosa. “O respeito pelos uniformes não se dá pelas cores, mas pela forma como os homens e mulheres que usam esses uniformes se comportam e trabalham”, lê-se no tweet.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.