Só Bulgária e Roménia têm pior ferrovia do que Portugal

Suíça, Dinamarca e Finlândia lideram o ranking elaborado pela Boston Consulting. A fraca intensidade da utilização da infra-estrutura e pouca segurança penalizam rede portuguesa.

A consultora Boston Consulting, que todos os anos mede o desempenho dos sistemas ferroviários nacionais, atribui a Portugal uma das mais baixas classificações, colocando-o em antepenúltimo lugar, seguido da Roménia e Bulgária, revela o Público.

Para a elaboração deste ranking foram tidas em conta três variáveis: a utilização da ferrovia por passageiros e para mercadorias, a qualidade do serviço, em questões como a pontualidade e o preço dos bilhetes e a segurança, ou seja, número de acidentes e de vítimas.

A soma destes três aspectos dá um valor de 1,5 pontos a Portugal quando a média europeia é de 4,8 e os países mais bem classificados pontuam 7,2 (Suíça), 6,8 (Dinamarca) e 6,6 (Finlândia).

No que diz respeito à qualidade do serviço, Portugal conseguiu um valor razoável, somando 1,5 pontos, quando a média europeia é de 1,4. No entanto, a segurança e intensidade de utilização são as variáveis que determinaram a fraca pontuação do país.

Este último indicador – a reduzida utilização do caminho-de-ferro – é que faz com que Portugal tenha uma das piores classificações na Europa. Já em 2012 e 2015 Portugal mantinha o penúltimo lugar no ranking do RPI.

O estudo reafirma algumas das conclusões de relatórios anteriores. Uma delas é a de que existe uma relação entre o nível de investimento público e a melhoria do desempenho do sistema ferroviário. Como o investimento em Portugal, e a própria manutenção, têm sido praticamente nulos na última década, não surpreende a fraca performance nacional no ranking.

“Reguladores e governos em países com uma tendência descendente no desempenho da ferrovia devem considerar rever os investimentos planeados nos seus sistemas e decidir se os orçamentos devem ser aumentados“, sublinham os autores do estudo da Boston Consulting, acrescentando que “no curto prazo, estes países podem ter de aumentar o investimento nos seus sistemas com vista a iniciarem o longo processo” de recuperação dos desempenhos.

Apesar dos constrangimentos orçamentais, vários países adoptaram planos de investimento ambiciosos para a ferrovia, referem os consultores.

Itália, por exemplo, tem em curso projetos no valor de 100 mil milhões de euros para os próximos dez anos (dos quais 73 mil milhões são para investir na infra-estrutura). O Reino Unido, por sua vez, tem um programa de investimentos de 182 mil milhões de euros nos próximos cinco anos, e da Bélgica, que prevê gastar 25 mil milhões em 12 anos.

ZAP //

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Quando o Estado gasta gasta tudo em salários, é inevitável que depois falte dinheiro para melhorar os serviços/infraestruturas…

  2. O primeiro a dar cabo dela foi o Silva das bombas (Cavaco). Nos 3 anos de 1997 a 99 encerrou mais de 900 km de vias férreas para investir fortemente na rodovia, mais lucrativa para os interesses corporativo-corruptos. Os que vieram a seguir também pouco têm feito…

RESPONDER

Banco BiG: EUA e China vão chegar a acordo, mas não será duradouro

No "Outlook" para 2020, os analistas do banco BiG defendem que será improvável que Estados Unidos e China cheguem a um consenso suficiente para reverter as taxas aduaneiras impostas. De acordo com os analistas do banco …

Alemanha expulsa dois diplomatas russos. Rússia vai tomar medidas

Dois diplomatas russos, acusados pelo Ministério Público alemão de falta de cooperação na investigação de um homicídio, foram expulsos da Alemanha. A Rússia já reagiu e avisou que tomará medidas. Esta quarta-feira, a Alemanha expulsou "com …

Segurança Social demora quase cinco meses a pagar pensões

Em 2018, os beneficiários da Segurança Social tiveram de esperar, em média, 147 dias - cerca de cinco meses -, entre o dia que se aposentaram e o momento que começaram a receber a pensão …

Empresas fechadas e 28 mil despedimentos. Setor têxtil pode atravessar crise

Até 2025, a indústria têxtil em Portugal pode ver um terço das empresas a fecharem e 28 mil trabalhadores a serem despedidos. Este é o pior cenário equacionado no setor nos próximos anos. O setor da …

Ministério Público arquiva queixa de Aguiar-Branco contra Ana Gomes por difamação

Aguiar Branco tinha levantado um processo de difamação a Ana Gomes por declarações sobre alegadas ligações entre o seu escritório de advogados e o grupo Martifer. O Ministério Público (MP) arquivou a queixa apresentada pelo ex-ministro …

66 louvores a funcionários. Centeno é o ministro mais "agradecido" de todo o Governo

Mário Centeno e os seus secretários de Estado publicaram em Diário da República 66 louvores. O seu gabinete garante que não há qualquer significado político associado - nem mesmo uma despedida anunciada. O louvor é dado …

Os glaciares da Nova Zelândia estão a mudar de cor

À medida que o Hemisfério Sul entra no verão, acontece uma temporada catastrófica de incêndios florestais na costa leste da Austrália. Há casas destruídas, coalas a morrer e um fumo espesso que cobre o estado …

Não se irrite. Fisco vai comunicar de forma mais clara

A Autoridade Tributária e Aduaneira vai lançar um serviço de apoio e defesa ao contribuinte que usará uma linguagem mais simples e clara. A alteração é inspirada num modelo britânico. A Autoridade Tributária e Aduaneira vai …

Juiz Rui Rangel justificou ganhos com direitos de autor de programa televisivo

O juiz afirmou, perante o plenário do Conselho Superior da Magistratura, que os ganhos fora da magistratura correspondiam a direitos de autor de um programa na televisão. O juiz Rui Rangel, que foi demitido da magistratura esta …

Governo faz ultimato: empresas têm 30 dias para regularizar fundos europeus parados (ou devolver dinheiro)

O Governo vai dar 30 dias para que as empresas que têm fundos comunitários parados regularizem a situação. Findo esse período, terão de devolver o dinheiro. José Mendes, secretário de Estado do Planeamento, garantiu, em entrevista …