Os pinguins da Antártida estão a ser ameaçados por bactérias humanas

Foto: lin padgham/Wikimedia

Cientistas encontraram provas de que bactérias que afetam os humanos estão também a afetar as aves marinhas da Antártida e alertam que as consequências podem ser devastadora.

Os cientistas pensavam que os animais da Antártida se mantinham isolados de bactérias prejudiciais ligadas ao Homem, mas um estudo, publicado em março no Science of the Total Environment, prova o contrário.

Até aqui, apenas tinham sido detetados casos isolados de transmissão de bactérias tipicamente encontradas em humanos para animais, num processo de zoonose inversa, na região, mas, agora, um grupo de investigadores de Barcelona encontrou, pela primeira vez, provas concretas de infeção com patógenos humanos de aves marinhas da Antártida.

“É a primeira vez que um estudo com uma dimensão tão grande, em termos de geografia e de espécies de aves, foi levado a cabo no oceano mais a sul, mostra provas razoavelmente sólidas de zoonose inversa na Artártida”, escreveu Jacob González-Solís, do Departamento de Zoologia e Antropologia Biológica da Universidade de Barcelona à CNN.

Entre as aves afetadas por bactérias comuns nos humanos, como a campylobacter e a salmonella, encontram-se pinguins, petréis e espécies de aves predadoras e gaivotas.

Para a investigação, a equipa recolheu amostras de fezes de mais de 600 aves marinhas adultas, entre 2008 e 2011. Entre as bactérias da família campylobacter foi detetado um tipo que é causa comum de intoxicação alimentar na Europa e nos EUA, incluindo alguns genótipos que nunca ou raramente tinha sido encontrados em aves selvagens.

Noutros casos, foram encontrados sinais de estirpes comuns a gaivotas, por exemplo, mas, neste caso, resistentes a antibióticos de uso humano e veterinário comum.

Embora estas bactérias não estejam associadas a taxas de mortalidade elevadas em animais, a sua deteção mostra que outras, potencialmente mais perigosas, podem chegar ao continente, sublinha Marta Cerdà-Cuéllar, que liderou a investigação.

“Se estes patógenos conseguiram chegar, outros também chegarão“, resume a investigadora do Instituto de Investigação AgroAlimentar e Tecnologia de Barcelona. As consequências poderão ser devastadoras. “Isto significa que, mais cedo ou mais tarde, a atividade humana vai introduzir patógenos na fauna da Antártida que podem provocar mortes em massa e até mesmo extinções locais”, explica González-Solís.

O número de visitantes da Antártida tem vindo a aumentar nos últimos anos. Em 2016/2017, foram quase 45 mil os turistas a visitar a região e os investigadores acreditam que este crescimento pode estar na origem do problema. Há também outras possibilidades, incluindo o contacto entre a fauna antártica e sub-antártica com aves domésticas de comunidades como as Falklands.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Contratos de associação dos colégios privados. Ministério da Educação vence todos os 55 processos judiciais

Em todos os 55 processos judiciais que os colégios privados moveram contra o Ministério da Educação em 2016, na sequência da polémica dos contratos de associação, todas as 55 decisões foram favoráveis ao Governo. O jornal …

Famílias numerosas podem pedir desconto no IVA da luz a partir de março

As famílias com cinco ou mais elementos só poderão usufruir da redução do IVA da eletricidade a partir de 1 de março e terão de o requerer junto do seu fornecedor, segundo uma portaria esta …

Vacina da gripe disponível para mais grupos. Farmácias temem não ter stock suficiente

A vacina da gripe está, a partir desta segunda-feira, disponível para mais grupos populacionais com o início da segunda fase da campanha, que estende a vacinação a pessoas com 65 ou mais anos e pessoas …

Franceses em protesto para homenagear professor decapitado. Autoridades procuram radicais islâmicos

Milhares de pessoas reuniram-se no domingo no centro de Paris numa demonstração de repúdio pela decapitação do professor que mostrou aos seus alunos desenhos do Profeta Maomé. Os manifestantes da Praça da República ergueram cartazes onde …

Proud Boys acreditam na vitória de Trump: "Vamos Ganhar". Voto antecipado começa hoje na Florida

O líder do grupo Proud Boys disse à Lusa, durante uma manifestação em Miami, que Donald Trump vai vencer as eleições presidenciais norte-americanas, e rejeitou a acusação de que é dirigente de uma organização extremista. …

Projeto desenvolve testes rápidos de baixo custo para detetar imunidade

Um consórcio de universidades e uma empresa querem desenvolver "testes rápidos e de baixo custo" para detetar a resposta imunitária ao vírus SARS-CoV-2. O projecto TecniCov, que "obteve um financiamento de 450 mil euros da Agência …

"Medo constante". Human Rights Watch denuncia tortura na Coreia do Norte

Uma organização não-governamental denunciou esta segunda-feira que o sistema norte-coreano de detenção pré-julgamento e de investigação é cruel e arbitrário, com ex-detidos a descreverem tortura sistemática, corrupção e trabalhos forçados não-remunerado. No relatório de 88 páginas, …

"Cibermáfia". Rede de criminosos "lavou" milhões de euros em Bancos portugueses

Uma rede de criminosos com origem na Europa de Leste montou um esquema de lavagem de dinheiro roubado em ataques informáticos através de Bancos de países como Portugal. Esta "cibermáfia", como é apelidada pelo Jornal de …

Diplomatas chineses e taiwaneses entram em confronto físico nas ilhas Fiji

Diplomatas da China e funcionários do Governo de Taiwan entraram em confronto físico durante uma receção nas ilhas Fiji, que marcou o dia nacional de Taiwan, ilustrando a crescente tensão entre Pequim e Taipé. A luta …

Mais 1.949 infetados, 17 mortes e 966 recuperados. Portugal passa barreira dos 100 mil casos

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 1.949 casos de covid-19, 17 mortes associadas à doença e 966 recuperados, de acordo com o boletim da Direção-Geral da Saúde publicado esta segunda-feira. O número total de infeções …