Piloto belga terá confessado assassinato do secretário-geral da ONU em 1961

Dag Hammarskjöld, secretário-geral da ONU, morreu na queda de um avião quando tentava negociar a paz no Congo, e o desastre continua a ser investigado até hoje

É um mistério com mais de cinco décadas cujo desfecho pode estar agora mais próximo,  mas ainda sem provas.

Em 1961, o diplomata sueco Dag Hammarskjöld, então secretário-geral das Nações Unidas, morreu na queda de um avião na antiga Rodésia do Norte (a atual Zâmbia), no Sul do continente africano, em plena missão de paz.

Desde então, as causas do desastre continuam a ser motivo de intenso debate. Oficialmente, ter-se-á tratado de um acidente causado por um erro de pilotagem. Mas tanto as Nações Unidas como a Suécia continuam a investigar a possibilidade de um atentado até hoje.

Um novo documentário com testemunhos inéditos sobre o principal suspeito do abate do avião vem reforçar a tese de que o secretário-geral da ONU foi vítima de um ataque.

Cold Case Hammarskjöld estreia no final do mês no festival de cinema de Sundance, nos EUA. Segundo o The Guardian, o realizador, o dinamarquês Mads Brügger, e o detetive sueco Göran Björkdahl, entrevistaram amigos e outras pessoas próximas de Jan van Risseghem, um piloto mercenário belga ao serviço dos separatistas da região congolesa de Katanga que já tinha sido apontado como suspeito.

Um destes amigos, Pierre Coppen, revela pela primeira vez que Risseghem ter-lhe-á confessado que abateu o aparelho de Hammarskjöld. “Eu cumpri a missão. E depois tive de sair dali para salvar a minha vida”, terá dito Risseghem a Coppen, que afirma que o belga não saberia que Hammarskjöld estava a bordo do avião alvo do ataque.

O nome de Risseghem era apontado como o principal suspeito da autoria de um possível ataque, logo no dia do acidente, num telegrama diplomático norte-americano que foi mantido sob segredo durante décadas.

Risseghem, que morreu em 2007, sempre negou qualquer envolvimento na queda do avião, tendo mesmo apresentado como álibi os seus diários de voo, que indicariam que estaria de folga na data em que o avião do secretário-geral se despenhou nos arredores da cidade de Ndola. No entanto, outro antigo piloto mercenário em Katanga entrevistado no documentário, Roger Bracco, afirma que os registos terão sido forjados.

Risseghem nunca foi entrevistado pelas autoridades ou jornalistas diretamente sobre a morte de Hammarskjöld, mas acompanhava as notícias. Em entrevista com o historiador da aviação Leif Hellström na década de 90, Risseghem enfatizou que não estava no sul da África no momento da queda e descrevou a ideia de um ataque como “contos de fadas”.

O documentário explora também as extensas relações entre este piloto belga e o Reino Unido. Risseghem, que durante a juventude escapou ao avanço das tropas nazis fugindo para Portugal e dali para Inglaterra, juntou-se à Royal Air Force – força aérea britânica – e participou no esforço de guerra aliado, tendo sido condecorado. Era filho de mãe inglesa e casou-se com uma mulher britânica.

Após a II Guerra Mundial, Risseghem colocou a sua experiência de pilotagem ao serviço dos separatistas de Katanga, a principal região mineira da recém-independente República do Congo. Os rebeldes contavam com apoio da Bélgica e de grandes empresas ocidentais interessadas na exploração dos recursos naturais da região.

Hammarskjöld, por sua vez, estava a trabalhar na negociação da paz entre o Katanga de Moise Tshombe e a República do Congo, preocupado com a viabilidade e integridade da antiga colónia belga e com o risco de um precedente para outros conflitos num continente que se estava a libertar do colonialismo.

Sem apoio dos EUA ou do Reino Unido, o secretário-geral da ONU deslocava-se a África em segredo. Em 1961, o avião em que seguia caiu a meio da noite numa área montanhosa da atual Zâmbia. A bordo estavam outras 15 pessoas. Quinze morreram de imediato e a outra morreu duas semanas depois.

Antes de morrer, a 16ª vítima disse aos investigadores que vira “faíscas no céu” momentos antes do desastre. As Nações Unidas reabriram o caso em 2015 mas, até ao momento, o mistério prevalece.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Há falta de sedativos em hospitais brasileiros. Médicos intubam doentes "conscientes"

Estão a surgir vários relatos de profissionais de saúde brasileiros forçados a intubar pacientes sem o auxílio de sedativos. No Brasil, de acordo com a Associated Press, há profissionais de saúde a intubar pacientes sem recurso …

Governo acusado de financiar queima de resíduos recicláveis com 50 milhões de euros

A associação ambientalista Zero acusa o Ministério do Ambiente de utilizar 50 milhões de euros do Fundo Ambiental para financiar a queima de resíduos recicláveis em Lisboa e Porto, indo contra a nova legislação sobre …

Zimbabué. Sem nacionalidade reconhecida, milhares de pessoas lutam de forma desigual por educação e saúde

Centenas de milhares de pessoas no Zimbabué foram marginalizadas e forçadas a lutar de forma desigual pelo acesso à educação, saúde e habitação, porque não têm nacionalidade reconhecida pelo país, acusou um relatório da Amnistia …

Nova Entidade para a Transparência volta a derrapar. Só arranca em 2023

A nova Entidade para a Transparência, o organismo para fiscalizar políticos e altos cargos públicos aprovado em 2019, só deverá arrancar em 2023. A previsão foi avançada por João Caupers, presidente do Tribunal Constitucional (TC), numa …

Bicicleta de Taremi vence prémio de Golo da Semana da Champions

O golo do avançado iraniano, marcado nos instantes finais do jogo contra o Chelsea, que ditou a eliminação do FC Porto da Liga dos Campeões, foi eleito o "Golo da Semana" na prova. "Este chuto espetacular …

Governo levanta suspensão de voos essenciais de e para Brasil e Reino Unido

O Governo levantou, esta sexta-feira, a suspensão de voos com origem ou destino no Brasil e Reino Unido, mas apenas para viagens essenciais.  Os voos com origem ou destino no Brasil e Reino Unido vão …

A Liga dos Campeões vai mudar: mais equipas e um formato inédito

O comité de competições da UEFA reuniu-se esta sexta-feira para aprovar o novo modelo da Liga dos Campeões. O novo formato vai vigorar entre 2024 e 2027. Embora ainda não tenham sido avançadas informações oficiais, o …

Depois do Sofagate, agora é von der Leyen quem está a ser acusada de quebrar o protocolo

Diplomatas da União Europeia dizem que a presidente da Comissão Europeia quebrou o protocolo, uma vez que foi o seu chefe de gabinete que respondeu ao convite da Ucrânia para que marcasse presença na cerimónia …

Há uma "possibilidade real" de trocar capitalismo pelo socialismo no século XXI, diz PCP

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, assinalou na quinta-feira os 150 anos da Comuna de Paris com um discurso de fidelidade ao ideal comunista e definiu a "substituição do capitalismo pelo socialismo" como uma …

Moçambique. Ministro da Defesa diz que ataque a Palma não coloca em causa exploração de gás

O ministro da Defesa de Moçambique, Jaime Neto, disse esta quinta-feira que o ataque à vila de Palma não coloca em causa o projeto de exploração de gás natural liderado pela petrolífera Total em Afungi, …