PIB superou expectativas e cresceu 1,6% no 3º trimestre

José Sena Goulão / Lusa

O ministro das Finanças, Mário Centeno

O ministro das Finanças, Mário Centeno

A economia portuguesa cresceu 1,6% no terceiro trimestre deste ano em termos homólogos e 0,8% face ao trimestre anterior, segundo a estimativa rápida divulgada esta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) e acima das previsões dos analistas.

O gabinete de estatísticas afirmou que “o crescimento mais intenso do PIB refletiu principalmente o aumento do contributo da procura externa líquida, verificando-se uma aceleração mais expressiva das exportações de bens e serviços” face à das importações de bens e serviços.

O INE sublinha ainda que a aceleração das exportações “foi comum às componentes de bens e de serviços”.

Por outro lado, aumentou também o contributo da procura interna para a variação homóloga doProduto Interno Bruto no terceiro trimestre, em resultado da “aceleração do consumo privado” devido ao comportamento da componente de bens não duradouros e serviços, enquanto a componente de bens duradouros desacelerou.

O ministro das Finanças, Mário Centeno, assinalou que os números hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) “confirmam a aceleração” da economia portuguesa, que cresceu 0,8% no terceiro trimestre face ao trimestre anterior e 1,6% face ao período homólogo de 2015.

“Este crescimento da economia é sustentado num aumento da confiança e nas melhorias já muito assinaláveis que vínhamos notando no mercado de trabalho“, salientou.

Numa declaração aos jornalistas, o governante destacou que nos primeiros nove meses do ano foram criados 127 mil empregos, enquanto nos últimos seis meses de 2015 tinham-se perdido 75 mil empregos.

“É esta a mudança de rumo que pretendíamos para a economia portuguesa”, reforçou Mário Centeno.

Já em comparação com o segundo trimestre, o crescimento da economia portuguesa foi de 0,8% em termos reais (0,3% no trimestre anterior), depois do contributo da procura externa líquida ter sido positivo, refletindo “o forte aumento das exportações de bens e serviços”, enquanto “a procura interna registou um contributo negativo”.

Os valores hoje divulgados superam as expectativas dos vários analistas contactados pela Lusa, que estimavam em médios aumentos de 0,3% em cadeia e 1,1% em termos homólogos, atribuindo-os sobretudo a uma quebra na procura interna.

Economia da zona euro volta a crescer 1,6%

A economia da zona euro voltou a crescer 1,6% no terceiro trimestre do ano, face ao período homólogo de 2015, e 0,3% comparativamente ao trimestre anterior, de acordo com dados hoje publicados pelo Eurostat.

Segundo o gabinete oficial de estatísticas da União Europeia, entre julho e agosto também oPIB do conjunto dos 28 Estados-membros da UE cresceu novamente 1,8% em termos homólogos e 0,4% na comparação com o período entre abril e junho.

No segundo trimestre de 2016, a economia havia registado precisamente a mesma evolução tanto no espaço monetário único (1,6% em termos homólogos e 0,3% em cadeia), como no conjunto da UE (1,8% comparativamente ao mesmo período do ano anterior e 0,4% face ao primeiro trimestre do ano).

De acordo com o Eurostat, os valores anunciados hoje pelo INE para a economia portuguesa colocam Portugal com o maior crescimento do PIB no terceiro trimestre do ano face ao trimestre anterior (para os 21 Estados-membros relativamente aos quais há dados disponíveis), juntamente com a Bulgária (0,8%), enquanto o crescimento da economia portuguesa em termos homólogos esteve precisamente em linha com a média da zona euro (1,6%).

Face ao mesmo trimestre de 2015, os maiores crescimentos foram registados na Roménia (4,6%), Bulgária (3,5%), Espanha e Eslováquia (ambas com 3,2%), enquanto a Grécia, o único país cuja economia havia contraído no segundo trimestre do ano, registou no terceiro trimestre um crescimento de 1,5% face ao mesmo período do ano passado.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. A foto do Mario Centeno a olhar para o céu é uma clara alusão a um agradecimento divino… com isto quer este jornal dar a entender através de uma pseudo piada que o mérito não é do governante mas sim de deus. Era desnecessário até porque estão a tirar trabalho ao “inimigo público” 🙂

  2. Parece que de facto a “geringonça”, apesar das mais negras previsões com “diabos á solta” e tudo que foram feitas por ditos comentadores proféticos com, ao que parece, dor de corno, está a funcionar razoávelmente bem e dá frutos. Espero sinceramente que continue assim.

  3. Para o aumento das exportações, contribuiu muito a rubrica das receitas do turismo, que é sempre um factor incerto. Basta mais uma crise na Europa, o que é o mais provável, e que se reflicta na confiança ou nos rendimentos dos cidadão, e lá se vai a galinha dos ovos de ouro.

RESPONDER

Reunião no Infarmed. Especialistas propõem plano de quatro níveis (e a máscara cai no nível 2)

A sede da Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed), em Lisboa, voltou a acolher mais uma reunião de peritos esta terça-feira. Foi apresentada uma proposta de alteração da matriz de risco, assente em quatro níveis. Portugal não …

Mais de 11.300 suspeitas de reações adversas às vacinas registadas em Portugal

Mais de 11.300 suspeitas de reações adversas às vacinas contra a covid-19 foram registadas em Portugal e houve 68 casos de morte comunicados em idosos, mas não está demonstrada a relação causa-efeito, segundo o Infarmed. De …

Incêndios "sem precedentes" devastam Sardenha

Condições climatéricas adversas e severas, como altas temperaturas e ventos fortes, estiveram na origem dos incêndios florestais que se registaram em vários países do sul do continente europeu, como Itália, Espanha, França ou Grécia. A ilha …

Gabriel foi afastado do plantel e pode ser reforço de Rui Vitória

Jorge Jesus não conta com Gabriel para a próxima temporada e já colocou o médio a treinar à parte do plantel, acompanhado por um preparador físico. O Benfica está a trabalhar com o representante do jogador …

Governo quer reduzir para três o número de testemunhas em processos civis

O Governo quer reduzir para três o número máximo de testemunhas por cada facto que se queira ver provado em tribunal no âmbito de um processo, visando aumentar a celeridade e estabelecer um critério de …

Myanmar. Junta militar anula resultados das eleições de 2020

Militares entendem que a votação não foi "livre e justa". Anúncio da anulação das eleições de 2020 não foi acompanhado de uma data para a realização de um novo ato eleitoral — tal como seria …

Contas públicas agravam-se face a 2020. Receita fiscal volta a crescer

Ministério de João Leão atribui incumprimento à terceira vaga da economia, que significou novas restrições à circulação e nos horários dos estabelecimentos. A receita fiscal e contributiva cresceu, um sinal animador para uma recuperação económica …

Ugarte está a caminho de Alvalade, mas Amorim quer mais três reforços

O Sporting já terá garantido a contratação de Manuel Ugarte, mas Rúben Amorim ainda quer trazer mais um avançado, um extremo e um defesa-central. Depois de várias rondas de negociações, o Sporting finalmente chegou a acordo …

Marcelo começou a receber partidos. "Recuperação socioeconómica" é preocupação comum

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, começou a receber os partidos políticos com assento parlamentar esta segunda-feira. À saída do encontro com Marcelo Rebelo de Sousa, João Cotrim de Figueiredo disse que levou até …

"Não consigo aceitar": português chora depois de perder nos Jogos Olímpicos

Anri Egutidze ficou claramente desiludido por ter perdido logo no seu primeiro combate no torneio masculino de judo: "Vim para ganhar, mesmo". Anri Egutidze chegou aos Jogos Olímpicos para lutar por uma medalha no judo, categoria …