Linguagem anti-animal. PETA quer acabar com o pau e atirar o peixe ao gato

E se fosse proibido dizer “agarrar o touro pelos cornos”? A associação de defesa dos animais PETA quer eliminar da linguagem quotidiana expressões que ofendem várias espécies, dando alternativas de expressões pet-friendly.

Há várias expressões que envolvem animais usadas, muitas vezes inconscientemente, no nosso quotidiano. “Agarrar o touro pelos cornos” ou “matar dois coelhos de uma cajadada só” são exemplos comuns de como invocamos expressões animalescas em vão. Será um pecado?

Para a associação não-governamental para a defesa dos animais, sim. A PETA considera que este tipo de expressões e ditados são pouco simpáticos para os animais e, por esse motivo, pretende acabar com eles – ou matá-los de uma cajadada só.

A organização partilhou a sua intenção no Twitter, sublinhando que “as palavras importam” e que a linguagem também deve evoluir, acompanhando a evolução da compreensão da justiça social. Por esse motivo, a associação apresentou algumas alternativas a expressões comuns em inglês para evitar usar “linguagem anti-animal”.

“As palavras importam. E à medida que o nosso entendimento de justiça social evolui, a nossa linguagem evolui também. Vejamos como podemos remover o especissismo das nossas conversas diárias”, escreveu a PETA num tweet que rapidamente se tornou viral, dividindo as reações em três extremos: contestação, humor e manifestações de apoio.

Há alguns ditados que têm correspondência para português. A PETA sugere que em vez de se dizer “pegar o touro pelos cornos”, se diga “pegar nas flores pelos espinhos“, por exemplo. Além disso, em vez de se “matar dois pássaros [o equivalente aos coelhos em português] de uma cajadada só”, a PETA pede a substituição desta expressão por “alimentar dois pássaros com um scone“.

Segundo o Público, aproveitando a boleia, podemos adaptar uma infinidade de frases comuns na língua portuguesa. É o caso de “gato escaldado”, que poderá ser substituído por “gato esfriado”.

No entanto, esta alteração de expressões não é recente, nem sequer em Portugal. Pelo mesmo motivo que a associação invoca, já foram criadas alternativas a algumas músicas infantis. Para o popular “atirei um pau ao gato”, sugere-se que se atire um peixe ao felino.

Será o peixe a solução pet-friendly para esta popular música ou será um exagero considerar que o “pau” torna esta letra numa linguagem anti-animal? Nas redes sociais, o assunto já está a ser debatido. Por aqui, ficamos com a certeza de que, pelo menos nesta versão da música, o gato não passa fome.

LM, ZAP //

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Respeito pelos animais, sem dúvida! SEMPRE!

    Mas mudar expressões linguísticas com séculos de existência, faz-me rir. Evidentemente já não têm mais nada para fazer em defesa do s animais….

  2. Vergonhoso a nova ditadura dos que fingem ser pessoas de bem mas umas , pessoas maldosas e invejosas , que tudo querem destruir, doa a quem doer. Tenham vergonha e percam tempo com outras coisas, olhem , vão semear batatas, vão roçar mato, ajudem as as pessoas frágeis. Tenham juizo !!!

  3. Por acaso eu e os meus amigos sempre aprendemos uma letra diferente que era de resto aquela que cantávamos. Em vez de gato considerávamos jafo. O resto era igual.

  4. colectivismo em acção….

    quanto mais se permite a esta gentinha mais querem.

    daqui a pouco não há linguagem, não poderemos comunicar uns com os outros….

    é uma mistura de “1984” e “admirável mundo novo”.

RESPONDER

"Não se esqueçam de agradecer a PSD, PS e CDS-PP" pelo corte de sustentabilidade na pensão

A coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, acusou este domingo o PS, PSD e CDS-PP de utilizarem a União Europeia (UE) “como desculpa sempre que querem travar” conquistas laborais para todos os que vivem …

Museu de Nova Iorque devolve ao Egito "caixão dourado" roubado em 2011

O Museu Metropolitan (MET) de Nova Iorque vai devolver ao Egito um sarcófago roubado em 2011, durante as manifestações da chamada "Primavera Árabe", anunciou este domingo a instituição nova-iorquina. Construído em ouro para o sacerdote Nedjemankh, …

Quase um terço da população chinesa terá mais de 65 anos em 2050

Trinta por cento da população chinesa terá mais de 65 anos, dentro de três décadas, informou hoje um jornal chinês, ilustrando o rápido envelhecimento do país, apesar de ter abolido a política de filho único. “O …

Trump pede à Europa que julgue os seus "jihadistas" (ou os EUA terão de os libertar)

O presidente dos Estados Unidos apelou aos países europeus, nomeadamente o Reino Unido, a França e a Alemanha, para repatriarem e julgarem os seus combatentes do Estado Islâmico feitos prisioneiros na Síria. Caso contrário, aponta …

Depois de 11 mortes e 1800 condenações, franceses querem o fim dos Coletes Amarelos

A maioria dos franceses defende que devem parar os protestos nas ruas dos “coletes amarelos”, três meses após o início das primeiras manifestações que fizeram 11 vítimas mortais, noticia esta segunda-feira a agência France Presse. Uma …

Uma tese de doutoramento levou Marcelo à capa do El País

A tese de doutoramento sobre Marcelo Rebelo de Sousa é de autoria de uma professora universitária e jornalista da RTP. O tema já chegou ao jornal espanhol El País. O jornal percorre as provas de popularidade …

Seguros de saúde sobem para 2,6 milhões com crise no SNS

No primeiro semestre de 2018 o número de contratos de seguros de saúde aumentou 3%, em termos homólogos, para 2,6 milhões, escreve esta segunda-feira o Jornal de Notícias na sua edição impressa. Os dados, da Autoridade …

PSP usa critérios étnicos para avaliar risco de bairros problemáticos

Apesar de a recolha de dados étnico-raciais não ser permitida em Portugal, a PSP utiliza ainda critérios étnicos na avaliação do grau de risco de zonas urbanas sensíveis (ZUS), avança o jornal Público esta segunda-feira. Segundo …

Pyongyang fala em “momento decisivo” em vésperas de nova cimeira com Washington

O principal diário norte-coreano, Rodong Sinmun, escreve esta segunda-feira que o país enfrenta "um momento decisivo", em termos de desenvolvimento económico, a pouco mais de uma semana da cimeira entre o líder norte-coreano e dos …

OCDE quer tribunais especiais para julgar a corrupção

Portugal precisa de fortalecer os mecanismos de prevenção da corrupção, defende a OCDE, que sugere a criação de tribunais especializados e a redução das possibilidades de recurso dos arguidos.  O retrato da análise da corrupção …