Mistério resolvido. Cientista descobre por que as pessoas odeiam as árvores urbanas

Outrora conhecida como a Cidade das Árvores, Detroit é agora o lar de dezenas de milhares de árvores mortas. Como resultado, muitos residentes não querem novas árvores plantadas em frente às suas propriedades.

As árvores marcam presença em cada bairro vibrante. Em Detroit, no Michigan, Estados Unidos, um quarto dos residentes recusou árvores de rua gratuitas. Mas porquê?

Christine Carmichael, investigadora da Universidade de Vermont, propôs-se a responder a esta pergunta num dos primeiros estudos que tenta entender a oposição dos habitantes ao programa de plantação de árvores nas cidades.

Em Detroit, 25% dos residentes mostraram-se contra a plantação de árvores urbanas entre 2011 e 2014. Segundo Carmichael, esta pesquisa mostra “de que forma as ações do governo local podem levar os moradores a rejeitar os esforços ambientais que seriam do interesse das pessoas”. O estudo foi publicado a 7 de janeiro na Society and Natural Resources.

Segundo o EurekAlert, a investigadora descobriu que a oposição em Detroit resultava principalmente de experiências negativas do passado, particularmente em bairros pobres que lutavam contra a praga das propriedades desocupadas.

De acordo com a investigação, só em 2014, a cidade tinha cerca de 20 mil árvores mortas ou perigosas, após o fracasso do programa de manutenção de árvores de Detroit, devido a cortes no orçamento e declínio da população.

A maioria dos residentes de longa data acreditavam que a responsabilidade pela manutenção das árvores acabaria por recair nos seus ombros. “Mesmo que as árvores sejam propriedade da cidade, vamos acabar por ter de cuidar delas e limpar as folhas do chão”, disse uma residente.

Além disso, o ceticismo do programa estava também ligado à desconfiança em relação ao governo da cidade. Os residentes queriam, assim, mais poder de decisão na escolha de quais as árvores a plantar em sítios  específicos.

Este tipo de projetos oferece benefícios para a saúde dos moradores, desde a melhoria da qualidade do ar até à redução do crime. Estes benefícios fizeram com que muitas cidades lançassem iniciativas de plantio de árvores nos últimos anos, como é o caso do projeto The Greening of Detroit ou do MillionTreesNYC.

No caso da cidade abordada no estudo, a equipa do The Greening of Detroit, uma empresa sem fins lucrativos contratada para plantar árvores, selecionou espécies de árvores que poderiam sobreviver em ambientes urbanos e garantiu a manutenção de árvores durante três anos após a sua plantação.

No entanto, o programa centrou-se, sobretudo, em educar os moradores sobre os benefícios das árvores e dos seus programas. Como os habitantes não tinham uma palavra no programa de plantação de árvores, os problemas continuavam.

Carmichael acredita que medidas simples, como permitir que os moradores escolham o tipo de árvore a ser plantada em frente à sua casa, podem reduzir as tensões. Investir em comunicação e no acompanhamento dos moradores que recebem as árvores ajudaria também a garantir que as árvores seriam cuidadas sem, contudo, sobrecarregar os cidadãos.

Desde que Carmichael apresentou as suas conclusões ao The Greening of Detroit, a organização instituiu um treino comunitário para os jovens que contratam de modo a irrigar as árvores com mais frequência e, ao mesmo tempo, interagir com os moradores.

“Como resultado, reunimos milhares de moradores, não só para plantar, mas também para entender melhor os benefícios das árvores nas suas comunidades”, disse um responsável.

LM, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Estátua de diabo "alegre demais" divide moradores em Espanha

Uma estátua que representa o diabo foi criticada por ser "alegre demais" por moradores da cidade de Segóvia, em Espanha. A escultura de bronze, que ainda não foi instalada, foi criada em homenagem a uma lenda …

"Incapacidade e incompetência". Fenprof pede a Costa que substitua ministro da Educação

A Federação Nacional de Professores (Fenprof) defendeu esta quarta-feira que o primeiro-ministro substitua o ministro da Educação, devido à sua "incapacidade e comprovada incompetência política" para dirigir as negociações de recuperação de tempo de serviço …

Bombeiros protestam contra a proposta do Governo

De acordo com o sindicato, a proposta do Governo "significa uma desvalorização enorme na carreira". Além disso, critica a ideia de haver uma carreira única de sapadores e municipais nivelada por baixo. Bombeiros municipais e sapadores …

Há uma parte da Antártida que está a encolher (mas não era suposto)

Quando os cientistas falam sobre o derretimento da Antártida, geralmente estão a referir-se à Antártida Ocidental, onde gigantescos glaciares costeiros estão a derramar grandes quantidades de água. Mas, do outro lado das montanhas transantárticas a leste, …

A cor dos olhos pode explicar porque é que as pessoas ficam tristes no inverno

Tempo mais frio e noites mais longas fazem algumas pessoas sentir-se tristes. A isso, dá-e o nome de Transtorno Afetivo Sazonal (TAS). Embora o TAS seja uma forma reconhecida de depressão clínica, os especialistas ainda estão …

Há vida pós-LHC. CERN planeia acelerador de partículas dez vezes mais potente

O futuro da Física de Partículas começa a ganhar forma. O CERN (Laboratório Europeu de Física de Partículas) detalhou esta terça-feira os seus planos para o novo acelerador de partículas que irá suceder o Grande …

DARPA quer construir robôs conscientes usando cérebros de insetos

A DARPA quer construir robôs conscientes usando cérebros de insetos, uma forma de criar novos modelos de inteligência artificial eficientes, que poderiam ser usados para explorar a própria consciência. Ao contrário dos humanos, os insetos operam …

Bombas de Wendell e Bruno Fernandes apuram Sporting para meias da Taça

Remates de Wendell e de Bruno Fernandes decidiram o jogo a favor da equipa 'leonina', que na próxima fase da competição defronta o Benfica, numa eliminatória disputada a duas mãos. Numa primeira parte marcada pelo domínio …

Romeo, a rã mais solitária do mundo, encontrou finalmente a sua Julieta

Romeo, que até então era considerado o último representante da sua espécie (Telmatobius yuracare), deixou de ser a rã "mais solitária do mundo" graças a uma equipa de cientistas que encontrou uma fêmea da mesma …

Stephen King salvou a secção de crítica literária de um jornal através do Twitter

Um jornal da terra natal de Stephen King lançou-lhe um desafio e o escritor norte-americano decidiu aceitar, conseguindo angariar os assinantes necessários para financiar a continuidade da secção de crítica literária. Um jornal local norte-americano viu-se …