Com a pergunta certa, crianças podem preferir brócolos a bolo

Quando crianças que acabaram de aprender a andar são questionadas sobre o que preferem, entre duas opções, normalmente escolhem a última, dizem investigadores.

De acordo com um estudo, apesar das suas preferências pessoais, as crianças tendem a escolher a última opção que lhes é apresentada. Por exemplo, quando questionadas sobre se preferem bolo ou brócolos, oito em cada dez crianças escolheram brócolos.

“Os adultos são capazes de distinguir entre escolhas e muitas vezes são mais propensos a escolher a primeira. A isto chama-se viés de primazia”, disse a autora do estudo, Emily Sumner. No entanto, com as crianças, particularmente as com menos de três anos, apresentam um viés de recência, que corresponde à tendência a escolher uma das últimas opções de resposta, uma vez que é mais fácil de lembrar.

Para chegar a esta conclusão, a equipa de investigadores fez 20 perguntas a 24 crianças, com idades entre os 21 e os 27 meses. As questões tinham duas escolhas possíveis, que foram depois repetidas na ordem contrária, para aferir se se tratava de opção pessoal ou se a decisão era influenciada pela ordem.

As crianças optaram pela segunda opção em 85,2% das perguntas. Quando não respondiam verbalmente, os investigadores tinham autocolantes com as respostas, em que as crianças apenas precisavam de apontar.

Nesses casos, segundo o Futurity, a segunda opção só foi escolhida 51,6% das vezes. “Quando uma criança aponta, ela pode ver as opções e escolher a sua preferência real“, realçou Sumner.

“Quando elas não têm referências visuais e apenas ouvem ‘ou’, as crianças podem manter a opção mencionada mais recentemente dependendo do loop fonológico. As crianças entendem como o discurso soa, mas não necessariamente o que as palavras significam. Então, ao falar, elas estão apenas a repetir a opção mencionada mais recentemente“, explicou a cientista da Universidade da Califórnia.

Os resultados do estudo foram publicados, este mês, na revista científica PLOS ONE.

Os investigadores fizeram ainda uma experiência para verificar se o número de sílabas das palavras acentuava o viés de recência das crianças. Para isso, pediram que escolhessem nomes para personagens de desenhos animados de entre duas opções sem sentido, como por exemplo, Stog ou Meeb, e Hootamawhirl ou Haykidosi.

Os cientistas notaram que, conforme aumentava o número de sílabas, mais acentuado era o viés de recência, levando as crianças a escolherem mais frequentemente a última opção.

“O nosso estudo demonstra a importância de trocar a ordem das opções quando perguntamos às crianças sobre as suas preferências, porque elas nem sempre sabem o que estão a dizer”, notou Sumner.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Em Casa d’Amália": RTP comemora cententário da fadista

A Fundação Amália Rodrigues junta-se à RTP para assinalar o centenário da fadista. O programa Em Casa d’Amália tem estreia marcada para a próxima sexta-feira (10) e reúne várias figuras da música portuguesa da atualidade. O …

Desapareceram 21 milhões de números de telefone na China. Mas o mistério foi resolvido

O porta-voz de uma das três maiores operadoras chinesas confirmou o desaparecimento dos utilizadores, mas deu uma explicação para este mistério. Nos últimos dias, surgiram vários relatos de notícias que davam conta de que, entre janeiro …

Mercadona doa 20 mil quilos de chocolate aos profissionais de saúde e aos mais carenciados

A Mercadona anunciou, esta quarta-feira, a doação de 20 mil quilos de chocolate ao Banco Alimentar Contra a Fome do Porto. O objetivo é proporcionar uma Páscoa mais doce aos mais carenciados e aos que …

"Paciente 1" em Itália recupera (e dá as boas-vindas a Giulia, a sua filha recém-nascida)

Giulia, a filha recém-nascida do "paciente 1" de Itália, veio para trazer alguma esperança ao país, em plena pandemia de covid-19. Mattia, de 38 anos, foi internado no dia 20 de fevereiro no hospital de Codogno, …

Investigadores transformaram o coronavírus em música (e já o podemos ouvir)

Uma equipa de investigadores do Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT) conseguiu transformar em som a estrutura da proteína spike, que permite que o novo coronavírus adira às células para infetá-las. Até agora, já pudemos ver …

Autoeuropa quer recorrer ao lay-off (e retomar produção a 20 de abril)

A administração da Autoeuropa quer promover um regresso gradual ao trabalho a partir de 20 de abril, pretendendo recorrer ao lay-off simplificado para os trabalhadores que não regressem ao trabalho nessa data. “O regresso ao trabalho …

Ex-mulher de astronauta acusada de mentir sobre o "primeiro crime espacial"

A ex-mulher da astronauta da NASA Anne McClain, Summer Worden, foi acusada formalmente de mentir sobre o "crime espacial" que McClain terá cometido. Em agosto de 2019, o jornal norte-americano The New York Times noticiou que …

Em Singapura, os parques de estacionamento são agora quintas urbanas

A pandemia de covid-19 está a obrigar alguns países a adaptarem-se. É o caso de Singapura, que está a transformar os parques de estacionamento em quintas urbanas para aumentar a produção alimentar. Só 1% do território …

O empresário mais odiado do mundo quer sair da prisão (para desenvolver um medicamento para a covid-19)

Martin Shkreli, o empresário mais odiado do mundo, quer sair brevemente da prisão para ajudar a desenvolver um tratamento para a covid-19. Num artigo publicado no site da empresa de Shkreli, Prospero Pharmaceuticals, juntamente com outros …

Ceferin acusado de ganância. "Manter a Liga dos Campeões foi um ato criminoso irresponsável"

O primeiro-ministro da Eslovénia, Janz Jansa, teceu duras críticas à forma como a UEFA e o seu presidente, Aleksander Ceferin, lidaram com a fase inicial da pandemia de covid-19. "Manter a Liga dos Campeões foi um …