Perda de habitat pode aumentar doenças que passam de animais para humanos, prevê ONU

Um novo relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) alertou que podem surgir mais doenças que passam de animais para humanos, como a covid-19, à medida que os habitats são devastados pela exploração da vida selvagem, práticas agrícolas insustentáveis ​​e mudanças climáticas.

Esses agentes patogénicos, conhecidos como doenças zoonóticas – como o ébola, o MERS, o VIH e o vírus do Nilo Ocidental -, têm aumentado devido à ação dos humanos sob os habitats naturais, de acordo com o relatório do Programa Ambiental da ONU (PNUMA), divulgado na segunda-feira e citado pela NPR.

“Intensificamos a agricultura, expandimos a infraestrutura e extraímos recursos às custas dos nossos espaços selvagens”, indicou o diretor executivo do PNUMA, Inger Andersen. A ciência mostra “que, se continuarmos a explorar a vida selvagem e a destruir os nossos ecossistemas, podemos esperar um fluxo constante dessas doenças que passam de animais para humanos nos próximos anos”.

Investir na pesquisa de doenças zoonóticas, continuou Inger Andersen, permitiria ao mundo “avançar no jogo, impedindo o tipo de paralisação global que vimos”.

O novo relatório recomenda que os governos adotem uma abordagem coordenada de “Saúde Única”, reunindo especialistas em saúde pública, veterinária e ambiental para combater os surtos de doenças zoonóticas.

“As pessoas olham para a pandemia de gripe de 1918 e pensam que esses surtos de doenças ocorrem apenas uma vez num século”, disse Maarten Kappelle, chefe de avaliações científicas do PNUMA. “Mas não é verdade. Se não restabelecermos o equilíbrio entre o mundo natural e o humano, os surtos se tornarão cada vez mais predominantes”.

A demanda global por carne aumentou 260% no último meio século, exacerbando o problema, referiu Andersen.

Alguns animais, como roedores, morcegos, carnívoros e primatas não humanos, são mais propensos a abrigar doenças zoonóticas, com o gado a agir como uma ponte para a transmissão entre os hospedeiros e os humanos, apontou o relatório.

Enquanto isso, em algumas das regiões mais pobres do mundo, as doenças zoonóticas endémicas associadas ao gado causam mais de dois milhões de mortes por ano. No entanto, África – que respondeu com sucesso a uma série de epidemias zoonóticas, como o ébola -, pode ser um local para encontrar soluções de controle de surtos de doenças homem-animal no futuro, acrescentou o documento.

“Para evitar surtos futuros, os países precisam conservar os habitats selvagens, promover a agricultura sustentável, fortalecer os padrões de segurança alimentar, monitorizar e regular os mercados de alimentos, investir em tecnologia para identificar riscos e conter o comércio ilegal de animais selvagens”, frisou o secretário-geral da ONU, António Guterres.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Enquanto Merkel coordena estados para travar terceira vaga, os britânicos já podem “pensar” nas férias de verão

O governo federal alemão está a planear aprovar uma nova legislação que lhe permitirá assumir o controlo dos estados e impor restrições uniformes em todo o país. O anúncio foi feito esta sexta-feira, segundo o Deutsche …

A montanha pariu um rato? (Ou nem tanto) Sócrates ainda arrisca 12 anos de prisão

José Sócrates livrou-se dos crimes de corrupção na Operação Marquês, mas o juiz Ivo Rosa acusou declaradamente o ex-primeiro-ministro de se ter "vendido" ao amigo Carlos Santos Silva. Só que o crime já prescreveu e, …

China multa Alibaba em 2,33 mil milhões de euros por violações antimonopólio

As autoridades chinesas multaram o gigante' de comércio online Alibaba em 18,2 mil milhões de yuan (equivalente a 2,33 mil milhões de euros) por abuso de posição dominante, noticiou este sábado a imprensa estatal na …

PSD disse "não" ao Chega no continente, mas não nos Açores. Rio teme "impacto nacional"

O PSD rejeitou acordos autárquicos com o Chega no continente e a possibilidade de coligações no arquipélago dos Açores entram em choque frontal com política autárquica da direção do partido de Rui Rio. Na quarta-feira, quando …

Dezenas de pessoas estiveram presentes no último adeus do "sempre fundamental" Jorge Coelho

Várias dezenas de pessoas compareceram este sábado de manhã na Basílica da Estrela para a missa de corpo presente do antigo dirigente e ministro socialista Jorge Coelho, "um elemento sempre fundamental nos momentos mais difíceis …

Desconfinamento já se faz sentir nos internamentos. R(t) já está acima de 1

O número de casos está a aumentar e este efeito já se começa a sentir nos internamentos. Esta foi a segunda semana consecutiva com aumento de casos, com uma média de 495 novos casos diários. De …

Plano contra o racismo. Bloco de Esquerda é o único partido a favor de quotas no ensino superior

O Governo colocou em consulta pública o Plano de Combate ao Racismo e Discriminação, que prevê que alunos socialmente desfavorecidos poderão aceder ao Ensino Superior através de contingente especial. O Bloco de Esquerda é o …

Novo Banco vendeu carteiras ao melhor preço (e só depois avaliou conflitos de interesses)

A venda das três carteiras de crédito do Novo Banco em 2019 foi feita pelo preço mais alto e em conformidade com o Acordo de Capitalização Contingente (CCA), segundo a auditoria da Deloitte às operações. “Nos …

UE investiga possível ligação entre tromboses e vacina da Johnson&Johnson nos EUA

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) anunciou esta sexta-feira ter iniciado uma investigação sobre casos de coágulos sanguíneos após toma da vacina da Johnson & Johnson/Janssen contra a covid-19, antes de o fármaco estar disponível …

Cabras

"É um terror. Nunca vi disto". Relâmpago matou 68 cabras no Alto Minho

Um relâmpago matou 68 cabras na freguesia de Gondoriz, em Arcos de Valdevez, distrito de Viana do Castelo. O pastor que perdeu os animais, Dário Silva, diz que, em "40 anos de serra", nunca viu …