Pentágono vai criar duas novas armas nucleares

secdef / Flickr

O secretário da Defesa norte-americano, Jim Mattis

Esta estratégia apresentada na sexta-feira pelo Pentágono vai acabar definitivamente com a política de redução de armamento nuclear imposta por Barack Obama aquando da sua presidência.

Das linhas orientadoras da nova política nuclear do Pentágono faz parte a criação de duas novas armas nucleares. A proposta apresentada esta sexta-feira representa o fim da tendência de redução de armamento que prevaleceu durante a presidência de Obama

Jim Mattis, secretário da Defesa americana, descreveu a primeira atualização da política para as armas nucleares realizada desde 2010 como um reflexo da necessidade de “olhar de frente a realidade” e “ver o mundo como ele é e não como gostaríamos que fosse”, segundo o Washington Post.

Desde o primeiro minuto que Donald Trump considerou irrealista a política adotada pela anterior administração, referente ao que Barack Obama disse ser a “obrigação moral” dos EUA de encabeçar o processo mundial de desnuclearização.

“Durante a última década, enquanto os EUA encabeçaram estas reduções, cada um dos nosso potenciais adversários nucleares assumiram a estratégia oposta”, disse numa conferência de imprensa no Pentágono o secretário da Energia Dan Bouillete, defendo a medida adotada por Trump.

Posição semelhante foi assumida pelo general da Força Aérea Paul J. Selva, que afirmou à imprensa: “Ao longo dos últimos anos, a Rússia e a China têm vindo a construir novos tipos e géneros de armas nucleares, tanto sistemas de lançamento como ogivas. Nós não o temos feito, o que significa que os arsenais nucleares russos e chineses têm na realidade ficado melhor do que o nosso”.

Na nova proposta do Pentágono, inclui-se a criação de “armas nucleares de fraca energia” a serem colocadas em mísseis balísticos lançados a partir de submarinos.

Os críticos da proposta afirmam, entre outros argumentos, que a ideia de uma arma nuclear de “baixa potência” só faz aumentar a tentação de a utilizar.

ZAP //

PARTILHAR

13 COMENTÁRIOS

  1. No fundo os eua estão a dar razao à CN e ao Irão. E se os eua estão com esta vontade, então porque é que se fartam de aplicar sanções aos outros paises?

    • “porque é que se fartam de aplicar sanções aos outros países?” Porque a hipocrisia é grande…
      Se não fomentarem a guerra como é que alimentam a industria bélica! – Qual é o maior exportador de armas no mundo, não é Os EUA?

      • «AS 10 MAIORES EMPRESAS DE ARMAS
        VENDAS GLOBAIS, EM MILHÕES DE DÓLARES, EM 2016:
        Lockheed Martin (EUA) ……….40.830;
        Boeing (EUA)…………………….29.510;
        Raytheon (EUA)………………….22.910;
        Bae Systems (Reino Unido)……22.790;
        Northrop Grumman (EUA)……..21.400;
        General Dynamics Corp. (EUA)..19.230;
        Airbus Group (Europa)…………. 12.520,
        Bae Systems Ins. (EUA)…………..9.300;
        L-3 Communications (EUA)……….8.890;
        Leonardo (Itáilia)……………………8.500».

        Retirado de ‘Visão’ nº. 1294, de 21 a 27/12/2017.

        • «QUEM GASTA MAIS EM DEFESA?
          A DESPESA BÉLICA DOS EUA, EM 2016, É SUPERIOR AO GASTO CONJUNTO DOS OITO PAÍSES QUE O SEGUEM (CHINA, RÚSSIA, ARÁBIA SAUDITA, FRANÇA, ÍNDIA, REINO UNIDO, JAPÃO E ALEMANHA).
          EUA ……….606.233 (EM MILHÕES DE DÓLARES) = 36,8% sobre o total Mundial;
          Do segundo ao nono (da China à Alemanha)…225.713 = 36,7 % s/ o total mundial. (A China gasta 225.713, a Rússia 70.345 e o último a Alemanha 40.985);
          O resto do Mundo …225.713 = 26,5% s/o total Mundial».
          Retirado da ‘Visão’ indicada.

          • Pelo que antecede, a gente do Trump está bem necessitada de mais umas armazitas. Para fazer a paz ao redor do Mundo? Ou para fazer umas guerrazitas, com completa destruição dos países e milhares de mortos civis, mas só onde lhes interessa, n’é? Sobretudo onde houver petróleo, gás natural ou outras riquezas apetecíveis. Se eles se matam a si próprios, dentro do país, por dá cá aquela palha, como hão-de respeitar (a vontade e a independência) dos outros?

        • «PAX TRUMPIANA
          290.984
          NÚMERO DE SOLDADOS DOS EUA ESPALHADOS PELO MUNDO
          Incluindo Mercenários e outros subcontratados civis ao serviço do Pentágono».
          Retirado da ‘Visão’ indicada.

    • Então e qual é a alternativa, já agora? Longe de mim ser apoiante do Trump, mas neste tema concordo com os EUA. Deixar a Rússia, China, e outros, continuar com o seu programa nuclear, e permitir que outros roubem aos EUA o lugar de maior potência militar do mundo, é algo que, se fosse Americano, jamais iria apoiar.
      É tipico da mentalidade Europeia enterrar a cabeça na areia, achar que vai tudo correr bem, continuar com a sua vidinha, e achar que os outros se vão sempre portar bem. Da última vez, ninguém levou o problema a sério, e lá tiveram que vir os Americanos salvar a Europa.
      É giro ver Europeus a criticar os Americanos pela sua estratégia militar, ao mesmo tempo que têm as costas quentes e sabem que, se houver m#$&a, lá vêm os EUA resolver o problema.

      • mas quem sao os americanos para pensarem que podem ter armamento nuclear e os outros nao, um povo ignorante que se lhe perguntarem onde fica Portugal ou outro pais qualquer nao sabem onde fica, acabem com o armamento nuclear e deixem de se provocar uns aos outros, o homem em vez de evoluir cada vez esta mais homem das cavernas

        • Quem são? São uma nação que salvou o coiro da Europa duas vezes e que lidera a civilização ocidental. É um país onde há liberdade e democracia e comparando com Rússia, China, Irão e etc. é um verdadeiro Céu. Deixem-se de tretas à puto do 10 ano que leu ontem um panfleto da JCP. Abram os olhos e enfrentem as coisas como elas são!

      • Ó E a alternativa qual é? Vc. está a ver mal a questão. Mas ser “a maior potência militar do mundo” é ser alguma coisa? E pensa que a Europa, mesmo que esteja desarmada, precisa das armas nucleares dos USA?
        E já pensou na hipótese de a Humanidade poder viver mais tranquilamente se os USA não fosse a maior potência militar?
        E pensará que o armamento nuclear fará jeito a alguém se for utilizado? Sim, se alguém sairá vencedor em caso de conflito?
        Não esquecer que foram os USA que começaram!!!

RESPONDER

"Checkmate". Rússia apresenta o seu novo jacto de combate revolucionário

O novo jacto é a aposta do governo russo para as exportações e pode vir a ditar o fim da supremacia (aérea e no mercado) do F-35 norte-americano. A Rússia apresentou o protótipo do novo jacto …

"É demasiado tarde". As palavras dos médicos aos doentes com covid-19 que recusaram a vacina

Estados Unidos da América contam com 48.49% da população totalmente vacinada, apesar de o processo ter estagnado nas últimas semanas. Os números de novas infeções crescem, assim como as mortes face ao crescimento galopante da …

"Pingdemic". Há uma nova "pandemia" a causar escassez de comida e combustível no Reino Unido

As medidas de distanciamento social no Reino Unido caíram e, como consequência, centenas de milhares de pessoas estão a ser notificadas para cumprir isolamento. A partir desta segunda-feira o uso de máscara e outras medidas de …

O lago mais improvável de Roma é um refúgio urbano (que impulsiona o ativismo ambiental)

O lago mais improvável de Roma, que nem sequer devia existir, motivou uma luta pela proteção ambiental do local. No anos 90, num local de construção a apenas alguns quilómetros a leste do Coliseu de Roma, …

Afeganistão. EUA lançam ataques aéreos enquanto Talibãs exigem a renúncia do Presidente

Os Estados Unidos (EUA) entraram num confronto pela cidade de Kandahar, realizando ataques aéreos em apoio às forças afegãs, enquanto os Talibãs apelam ao Presidente Ashraf Ghani para renunciar. O porta-voz do Pentágono, John Kirby, avançou …

A primeira casa impressa em 3D no Canadá é inspirada na sequência de Fibonacci

Depois de ter inspirado inúmeros edifícios, a sequência de Fibonacci serviu de musa à empresa de impressão em 3D Twente Additive Manufacturing (TAM), que criou a primeira casa impressa em 3D do Canadá. A Fibonacci House é …

Marcha do Orgulho de Budapeste será um protesto contra as leis anti-LGBTQI, diz organização

A marcha do Orgulho em Budapeste, que ocorrerá no sábado, será "uma celebração, mas também um protesto", disseram os organizadores, enquanto a comunidade LGBTQI húngara se prepara para desafiar a escalada da campanha anti-homossexual do …

PSD propõe máximo de 215 deputados e divisão de grandes círculos eleitorais

O PSD apresentou, esta sexta-feira, a sua proposta para a reforma do sistema eleitoral, que fixa um máximo de 215 deputados, menos 15 do que o total atualmente em vigor. A proposta do PSD para a …

Variante Lambda: o que saber sobre a nova mutação que preocupa as autoridades

Está a ter um foco mais circunscrito à América Latina, mas já houve dois casos desta mutação em Portugal. A OMS está atenta e de momento classifica a Lambda como uma variante de interesse. Foi inicialmente …

PSD força audição de Eduardo Cabrita sobre inquérito da IGAI

O PSD recorreu à figura da audição potestativa a que os partidos têm direito a usar regimentalmente para ouvir membros do Governo e entidades públicas.  O PSD requereu esta sexta-feira a audição parlamentar obrigatória do ministro …