Pentágono teme que bomba nuclear espacial frite os seus satélites. China e Rússia são “ameaças imediatas”

O Departamento da Defesa dos Estados Unidos listou uma série de ameaças potenciais na nova estratégia espacial lançada esta quarta-feira. Uma delas é a ameaça da China, Rússia ou algum outro adversário detonar uma arma nuclear no Espaço.

“O desafio de uma detonação nuclear é que crie um pulso eletromagnético e um sinal que possa eliminar indiscriminadamente muitos satélites no Espaço e essencialmente fritar os eletrónicos”, disse Stephen Kitay, vice-secretário adjunto de Defesa da Política Espacial no Pentágono, citado pelo Business Insider. “É uma ameaça para a qual temos de estar potencialmente preparados – uma detonação nuclear no Espaço”.

A ameaça de uma detonação nuclear no Espaço não é nova e tem sido uma preocupação desde a Guerra Fria. Apesar de os Estados Unidos, a China e a Rússia fazerem parte do Tratado do Espaço Sideral de 1967, que proíbe a colocação e a detonação de armas nucleares no Espaço, o Departamento de Defesa não se sente seguro.

Kitay sugeriu que satélites críticos, como satélites de comando e controlo e aviso de mísseis, estão potencialmente protegidos, mas outros não. A ameaça de uma detonação nuclear no Espaço “é uma de uma série de ameaças par as quaias precisamos de estar preparados”, disse Kitay.

Outras ameaças identificadas na nova estratégia espacial incluem ataques direcionados à energia, guerra cibernética e eletrónica e esforços de negação e engano.

Na sua Estratégia Espacial de Defesa, o Departamento de Defesa identificou a China e a Rússia como “as ameaças mais imediatas e sérias às operações espaciais dos Estados Unidos”, acrescentando que as habilidades do Irão e da Coreia do Norte de ameaçar os sistemas e operações dos Estados Unidos no Espaço estão a crescer.

O Departamento de Defesa declarou que depende muito de Espaço para projeção de energia e resposta rápida, mais do que potenciais adversários dos Estados Unidos. Além disso, as Forças Armadas dos Estados Unidos têm “experiência operacional limitada com conflitos a iniciar ou a estender-se ao Espaço”.

Esses desafios são vulnerabilidades que podem ser exploradas por potenciais adversários dos Estados Unidos que desenvolvem recursos no Espaço sideral. Kitay disse que os Estados Unidos estão à frente da Rússia e da China, “mas estamos absolutamente em risco”.

Como a China e a Rússia estão “a desenvolver ativamente capacidades para negar os sistemas espaciais dos Estados Unidos, aliados e parceiros, não temos outra opção a não ser garantir que estamos preparados com os meios necessários para proteger e defendermo-nos de ataques aos nossos sistemas“.

Kitay mencionou o lançamento, em 2017, de um par de satélites russos, um dos quais lançou um projétil de alta velocidade no Espaço. No início deste ano, dois satélites russos foram vistos a seguir um satélite dos Estados Unidos n uma ação que o general John Raymond, chefe da Força Espacial dos Estados Unidos e do Comando Espacial dos Estados Unidos, caracterizou como “incomum e perturbador”.

“Gostaria de poder dizer que o Espaço é um mar de tranquilidade, mas o facto é que o Espaço é contestado“, disse Kitay. “O espaço sideral emergiu como uma arena chave de conflito potencial em uma era de grande competição de poder”.

ZAP //

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. USA um país de criminosos pensantes que só vêem inimigos à sua volta… e quando os não têm inventam-nos.

RESPONDER

Boavista 2-0 Porto | “Manita” em 45 minutos demolidores

Goleada do “dragão” no Bessa. No dérbi portuense entre Boavista e FC Porto, os campeões nacionais sentiram dificuldades na primeira parte, não conseguiram sequer enquadrar qualquer um dos seus remates, mas na segunda parte tudo …

Magawa, o rato que deteta minas, ganhou uma medalha de ouro

Magawa, um rato gigante africano, foi treinado para descobrir minas terrestres e tem estado ao serviço no Camboja. O animal foi agora proclamado herói e premiado por salvar vidas naquele país. A instituição de caridade britânica …

Cientistas descobrem nova espécie de crustáceo no lugar mais quente da Terra

Uma equipa de cientistas descobriu uma nova espécie de crustáceo de água doce durante uma expedição ao deserto de Lute, no Irão, também conhecido como o lugar mais quente do planeta. Hossein Rajaei, do Museu Estadual …

Furacão Sally fragmentou parte de uma ilha da Florida em três

A passagem do furacão Sally fragmentou parte de uma ilha na costa da Florida, no Estados Unidos, criando assim três pequenas porções de terra. Na prática, tal como explica o portal USA Today, o furação abriu …

Benfica 2-0 Moreirense | “Águia” vence e convence cónegos

Após ter perdido e empatado nas duas últimas recepções ao Moreirense, o Benfica voltou a vencer o emblema de Moreira de Cónegos na Luz. Este sábado, em duelo relativo à segunda jornada do campeonato, as “águias” …

"Surpreendente e fascinante". Descoberta pela primeira vez uma aurora sobre um cometa

A nave Rosetta da Agência Espacial Europeia (ESA) detetou uma aurora boreal sobre o cometa 67P / Churyumov-Gerasimenko (67P / C-G). Em comunicado, os cientistas envolvidos na deteção frisam que esta é a primeira vez quem …

Austrália não quer que turistas caminhem na famosa rocha sagrada Uluru (nem no Google Maps)

A Austrália pediu ao Google que remova do seu serviço Maps fotografias tiradas do topo de Uluru, o monólito aborígine sagrado que os visitantes estão proibidos de escalar desde o ano passado. De acordo com a …

NASA vai procurar aquíferos nos desertos com tecnologia já usada em Marte

Uma parceria entre a NASA e a Fundação Qatar tem como objetivo procurar as cada vez mais escassas águas que estão enterradas nos desertos do Saara e da Península Arábica. Este processo deverá ser desenvolvido …

Os aeroportos mudam o nome das pistas (e a culpa é dos pólos magnéticos da Terra)

O pólo norte magnético pode mover-se até 64 quilómetros por ano. Isto pode ser um problema para os pilotos de aviões. A pista 17L/35R, no Aeroporto Internacional de Austin-Bergstrom, no estado norte-americano do Texas, não terá …

Rússia quer ultrapassar Tom Cruise e ser a primeira a gravar um filme no Espaço

O ator Tom Cruise quer rodar um filme no Espaço, mas a Rússia quer ser a primeira, de acordo com um comunicado da agência espacial Roscosmos. Os Estados Unidos e a Rússia são, novamente, os protagonistas …