Penalties são uma questão de sorte? Estudo português diz que não

Miguel A. Lopes / Lusa

Rui Patrício defendeu o penalty que deu o apuramento de Portugal para as meias-finais do Euro 2016 frente à Polónia

Rui Patrício defendeu o penalty que deu o apuramento de Portugal para as meias-finais do Euro 2016 frente à Polónia

Cristiano Ronaldo coloca a bola na marca fatal e distancia-se da bola, o guarda-redes não sabe para onde é que o craque vai chutar. Ou será que sabe? Um grupo de investigadores portugueses garante ter desenvolvido um algoritmo que acaba com o mito de que os penalties são uma questão de sorte.

O projeto de inteligência competitiva no desporto, que ainda não tem nome, começou a ser testado durante a Taça das Confederações – competição na qual a seleção portuguesa foi eliminada nas meias-finais pelo Chile, precisamente nos penalties – para aperfeiçoar o algoritmo, e até agora “deu resultados muito bons”, disse à EFE o coordenador do estudo, Alexandre Real.

A ideia surgiu durante o Euro 2016, disputado em França, no qual o investigador, especialista em liderança e gestão de equipas, trabalhou como comentador num programa de rádio, durante o jogo dos quartos-de-final em que Portugal derrotou a Polónia na disputa de penalties.

O investigador começou a perguntar-se sobre como os técnicos preparavam as equipas para esta parte do jogo: “Era feito através do ‘chutómetro’, com vídeos e a intuição do guarda-redes”, explica Real.

A partir daí, o investigador decidiu realizar um projeto para desenvolver uma ferramenta que, com base científica, permitiria aos técnicos preparar os seus guarda-redes para melhorar a eficiência nesse quesito.

Com a coordenação científica de João Fialho, professor da American University of Middle East, o grupo de investigadores reuniu milhares de vídeos de penalties numa base de dados para criar um algoritmo que permitisse prever o comportamento dos jogadores nesses lances.

“Agora mesmo está em 80%, antes do final do ano vai estar desenvolvido a 100%”, detalhou Real, garantindo que até ao momento não existia nenhum algoritmo deste tipo no mundo do futebol.

O projeto conta com dados das principais competições, como a Liga dos Campeões, o Mundial, o Euro e os campeonatos nacionais de países como Espanha, Portugal, Inglaterra e Itália, e já permitiu obter resultados concretos.

“Chegámos à conclusão de que Cristiano Ronaldo é mais eficiente do que Messi nos penalties, ainda que tenha um ponto fraco: bater no meio da baliza”, revelou o coordenador do projeto.

O atacante português converte 83% das penalidades máximas que tenta: 89% à direita do guarda-redes e 85% à esquerda, mas apenas 58% dos chutos são no meio da baliza.

Há sempre um conjunto de vícios que todos os jogadores têm conforme o lado em que batem o penalti. Por exemplo, há um jogador da seleção do Chile que faz sempre um certo tipo de simulação quando vai bater no lado direito e outra diferente quando vai para o esquerdo”, apontou Real, sem revelar o nome do jogador.

O algoritmo tem sempre associada uma margem de erro que depende do jogador e do contexto da jogada.

O projeto deverá começar a ser comercializado a partir de dezembro aos “principais clubes do futebol europeu”, ainda que com uma regra básica: só uma equipa por país e por competição.

“A informação que damos é tão precisa que se a oferecermos a mais de um clube por país, anula o benefício do serviço“, defendeu o coordenador, que estima que uma equipa pode ter entre três e 12 pontos a mais por temporada graças a este estudo.

Além disso, o grupo descarta oferecer o serviço a outros mercados complementares, como sites de apostas esportivas ou estatísticas dirigidas aos meios de comunicação. O grupo ainda revela que a iniciativa não ficará só pela marcação de penalties.

“Identificámos oportunidades de desenvolvimento de mais algoritmos, principalmente no caso de jogadas de bola parada, como faltas e cantos“, concluiu.

ZAP // EFE

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Mas alguma vez alguem no seu perfeito juizo achou que era sorte ?????
    Era o mesmo que eu dizer que o ronaldo marca mais golos do que eu… por sorte
    Tem calhado

RESPONDER

Violino põe em risco compromisso da Alemanha de devolver objetos saqueados pelos nazis

Um violino com 300 anos está no centro de uma disputa que ameaça minar o compromisso da Alemanha em devolver objetos saqueados pelos nazis. Ninguém sabe por que Felix Hildesheimer, um negociante de instrumentos musicais judeu, …

Consumo de álcool aumentou durante a pandemia de covid-19

Embora o consumo de álcool tenha aumentado mais entre os jovens, os adultos mais velhos, sobretudo os que sofrem de ansiedade e depressão, também revelaram estar dentro desta tendência. “O aumento do consumo de álcool, especialmente …

Alphabet diz adeus ao Loon, projeto que queria espalhar Internet através de balões

O projeto da Alphabet que tinha como objetivo levar Internet às partes mais remotas do mundo "perdeu o fôlego" e os seus responsáveis decidiram pôr-lhe um ponto final. Num comunicado divulgado na última sexta-feira, Alastair Westgarth, …

Estudo identifica cidades europeias com maior mortalidade devido à poluição do ar

Madrid, Antuérpia e Torino (em Espanha, Bélgica e Itália, respetivamente) lideram o ranking de mortes associadas à poluição por dióxido de azoto (NO2). Já a maior mortalidade atribuível a partículas finas é encontrada em cidades …

Fim do Flash Player colapsou sistema de estação ferroviária chinesa

O sistema ferroviário na cidade de Dalian, no nordeste da China, ficou paralisado por causa da desativação do programa Flash Player da Adobe. A Adobe encerrou o suporte técnico do seu player de multimédia Flash Player …

Eis o que o mundo pode aprender com o confinamento da China

O confinamento na China tem apresentado resultados excecionais no controlo da pandemia, à custa da perda de liberdade das pessoas. Ainda assim, há muito que se pode aprender com o exemplo chinês. Colocar o autoritarismo contra …

Descoberto fármaco "100 vezes mais potente" contra a covid-19 (e "nasceu" das seringas-do-mar)

Uma equipa internacional de investigadores descobriu um medicamento antiviral que é "100 vezes mais potente" do que o remdesivir no tratamento da covid-19. Trata-se de um fármaco usado para tratar um cancro sanguíneo, que só foi …

Covid-19. Fortuna das dez pessoas mais ricas pagaria vacina para toda a população mundial

A riqueza combinada dos dez homens mais ricos do mundo subiu em cerca de 540 mil milhões de dólares (445 mil milhões de euros) durante a pandemia, de acordo com um relatório da organização internacional …

Farmacêuticas pouco preparadas para próxima pandemia, alerta relatório

As maiores empresas farmacêuticas do mundo estão pouco preparadas para a próxima pandemia, apesar da crescente resposta à covid-19, alertou um relatório da Access to Medicine Foundation, divulgado esta terça-feira. Neste relatório, Jayasree K Iyer, diretora executiva …

Um em cada três infetados com covid-19 é assintomático

Investigadores sugerem, com base numa revisão de 61 estudos, que uma em cada três pessoas infetadas com o novo coronavírus é assintomática. Uma em cada três pessoas infetadas com covid-19 não sabe que tem o novo …