Peixe que se reproduz sem sexo há 500 mil anos desafia teoria da sua extinção

(dr) Manfred Schartl

A molinésia da Amazónia sobrevive há pelo menos 500 mil gerações, muito mais do que a média observada em espécies com reprodução assexuada

A molinésia da Amazónia sobrevive há pelo menos 500 mil gerações, muito mais do que a média observada em espécies com reprodução assexuada

A teoria da evolução sugere que as espécies que se reproduzem de forma assexuada tendem a desaparecer rapidamente. No entanto, um estudo sobre as molinésias da Amazónia lançou sérias dúvidas sobre a velocidade deste declínio.

A reprodução sexuada depende de células especiais reprodutivas masculinas e femininas que se juntam durante o processo de fertilização. Cada célula sexual contém metade do número de cromossomas das células parentais normais.

No caso da reprodução assexuada, o macho é dispensado e são criados novos descendentes que contêm uma cópia exata do genoma da mãe – uma autêntica clonagem materna natural. Ao não desperdiçar material genético na criação de machos, todos os descendentes nascidos a partir da reprodução assexuada podem continuar a reproduzir-se.

Contudo, como os descendentes são cópias genéticas da mãe, apresentam uma variabilidade – a característica que dá aos sexuados a capacidade de diluir mutações nocivas ao longo do tempo, por exemplo – limitada.

O professor Manfred Schartl, da Universidade de Würzburg, e um dos principais autores do estudo explica que “se previa que uma espécie assexuada acumulasse mutações, dado que não depende da diversidade genética para reagir a novos parasitas ou fazer face a mudanças no meio ambiente”.

Por essa razão, “havia previsões teóricas de que um organismo assexuado iria desaparecer depois de 20 mil gerações“, afirma. No entanto, o último estudo sobre a estabilidade a longo prazo do genoma das molinésias da Amazónia, publicado recentemente na Nature Ecology & Evolution, lançou novas descobertas surpreendentes acerca da reprodução assexuada.

Os cientistas acreditam que o peixe molinésia da Amazónia (Poecilia formosa) seja um híbrido que surgiu após a reprodução entre duas espécies de peixes aparentados – a molinésia do Atlântico e a molinésia de Sailfin.

Comparando as sequências do genoma dos peixes molinésia da Amazónia com os recolhidos de diferentes locais (como o México ou o Estado do Texas, nos EUA) a equipa de investigadores conseguiu construir uma árvore genealógica.

A árvore mostrou que todos os peixes compartilharam o mesmo antepassado e que o peixe progenitor nadou em águas americanas, há cerca de 100 mil anos. Isto significa que a molinésia da Amazónia sobrevive há cerca de meio milhão de gerações – muito além do que a teoria sugeria.

Além disso, quando os cientistas procuraram indícios de decadência genómica a longo prazo, chegaram à conclusão de que havia muito poucos.

“Normalmente, as espécies sem recombinação regular não são muito duradouras. No entanto, a molinésia amazónica parece ter encontrado uma maneira de sobreviver por um tempo surpreendentemente longo, sem acumular sinais de decomposição genómica”, explicou Laurence Loewe, à BBC.

“Para descobrir como é possível, teremos provavelmente de combinar muitos dos grandes avanços na genética evolutiva dos últimos 100 anos”, concluiu o professor assistente no Instituto para a Descoberta de Wisconsin, da Universidade de Wisconsin-Madison.

ZAP // BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Dez funcionários agredidos no aeroporto de Lisboa em 3 meses

O Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (Sitava) alertou, na quinta-feira, para as sucessivas agressões a trabalhadores da Groundforce nas portas de embarque do aeroporto de Lisboa, referindo "mais de uma dezena de episódios" …

Brasil vs Costa Rica | Triunfo arrancado a ferros

O Brasil deu um passo importante rumo aos oitavos-de-final do Campeonato do Mundo, vencendo a Costa Rica por duas bolas a zero. Num jogo muito difícil do Grupo E ante uma Costa Rica muito fechada …

Europeus que quiserem continuar a viver no Reino Unido vão ter de pagar 74 euros

Se quiserem continuar a viver no Reino Unidos, os cidadãos europeus vão ter de pedir uma autorização de residência permanente. O Governo britânico prometeu um sistema fácil para quem quiser permanecer no país. Os cidadãos europeus …

Pode haver uma ligação entre o Alzheimer e vírus no cérebro

Cientistas sugerem a ligação entre a doença de Alzheimer, a forma mais comum de demência, e a presença de vírus no cérebro. O estudo identificou níveis elevados de dois tipos de herpesvírus humanos - 6A e …

Está provado: a teoria da gravidade de Einstein é válida noutras galáxias

Astrónomos provaram que a teoria da gravidade de Einstein é válida também em galáxias "vizinhas" da Via Láctea, ao realizarem pela primeira vez um teste preciso sobre a gravidade fora do Sistema Solar. Para fazer este …

"Mal-estar" no PSD. Deputados votaram à revelia de Rui Rio

A direcção do PSD considera "gravíssima" a decisão da bancada social-democrata de votar a favor do projecto do CDS-PP sobre combustíveis, notando que foi tomada "à revelia" de Rui Rio. Um dado que surge numa …

Fim das isenções para os Recibos Verdes na Segurança Social

O regime de contribuições para a Segurança Social dos chamados Recibos Verdes vai mudar em Janeiro de 2019. Uma das alterações mais significativas é o fim das isenções de pagamento para quem acumule o trabalho …

ERC "reprova veementemente" Porto Canal por divulgar e-mails do Benfica

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social decidiu "reprovar veementemente" o Porto Canal pela divulgação de e-mails do Benfica, após queixa das "águias". O operador televisivo anunciou que vai "impugnar judicialmente" a decisão. A decisão da …

Detido suspeito do homicídio do rapper XXXTentacion

Um homem suspeito de ter assassinado o rapper XXXTentacion foi detido na quarta-feira, dois dias depois do jovem de 20 anos ter sido baleado mortalmente, na Flórida, nos EUA. Segundo a agência Reuters, o suspeito, …

Constituição impede redução do preço dos combustíveis (pelo menos para já)

A esquerda e a direita juntaram-se contra o Governo e aprovaram a redução do imposto sobre os combustíveis, mas isso não significa que o preço final que os condutores portugueses pagam nas bombas de gasolina …