Espanha. Pedro Sánchez pode avançar para governo minoritário

O presidente da Confederação Espanhola de Organizações Empresariais (CEOE) já tinha apelado: a solução para o executivo espanhol estava na formação de um governo de uma “única cor”: a dos socialistas do PSOE. E, na segunda-feira, foi isso que aconteceu.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Segundo avançou o Observador, citando o El País, a direção do PSOE aprovou por unanimidade um documento que vai permitir ao primeiro-ministro e secretário-geral do partido formar governo sozinho, intitulado “Proposta Aberta de Cooperação para um Governo Social, Feminista, Ecologista, Europeísta e Progressista”.

O PSOE vai apresentar as propostas à Unidas Podemos (a coligação eleitoral formada por Podemos, Esquerda Unida e outros partidos de esquerda para concorrer às eleições) para garantir um acordo. Ainda assim, o Podemos – partido de Pablo Iglesias – não deve participar no executivo, dando apoio parlamentar.

“Este documento é uma síntese do programa com o qual o PSOE se apresentou nas eleições gerais”, explicou Cristina Narbona, presidente do PSOE.

Também na segunda-feira, Pablo Iglesias mostrou-se disponível para começar a negociar com o PSOE. “Parece-nos que seria bom finalmente, mais de dois meses depois das eleições, começar a negociar com os socialistas as medidas que um governo de esquerda em Espanha devia aplicar”, disse o líder do Podemos, citado pelo El País.

O PSOE apresentou este documento depois de o Podemos ter aceitado assinar um acordo que respeite a estratégia que Pedro Sánchez quer implementar para lidar com a situação da Catalunha e o rumo que quer dar à Política Externa do país.

  TP, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.