Passa o dia todo sentado? Já se sabe de quanto exercício precisa para compensar

Segundo um estudo de 2020, 40 minutos de atividade física diária é o número mágico para compensar os efeitos de 10 horas passadas atrás de uma secretária.

Ficar hora após hora sentado cria hábitos sedentários que não nos fazem bem – desde efeitos na nossa saúde mental, até à nossa esperança de vida. No entanto, muitos de nós não temos alternativa e foi a pensar nisso que um grupo de cientistas nos disse qual a quantidade de exercício físico de que precisamos para compensar o tempo que ficamos parados.

Cerca de 40 minutos de “atividade física de intensidade moderada a vigorosa” é o número ideal para compensar 10 horas em que ficamos sentados, mas qualquer quantidade de exercício ou até levantar-mo-nos de vez em quando ajuda. São estas as conclusões de um estudo de 2020 publicado no British Journal of Sports Medicine (BJSM).

A investigação cruzou as conclusões de nove estudos anteriores, que envolveram um total de 44 mil pessoas em quatro países diferentes que estavam a usar aparelhos que registam a atividade física e os seus efeitos no corpo. À medida que o sedentarismo aumentava, subia também o risco de morte, escreve o Science Alert.

“Em indivíduos ativos que faziam cerca de 30-40 minutos de actividade física moderada a vigorosa, a associação entre muito tempo sedentário e risco de morte não é significativamente diferente daqueles com pouco tempo sedentário”, lê-se no estudo.

Ou seja, praticar exercício físico diminuiu o risco de uma morte prematura nos indíviduos para os valores em que estariam se não tivessem um estilo de vida sedentário durante o trabalho.

Este estudo foi inicialmente publicado com as diretrizes globais sobre a atividade física e sedentarismo da Organização Mundial da Saúde de 2020, criadas por 40 cientistas de seis continentes. A análise baseada em fitness trackers enquadra-se com as diretrizes da OMS, que recomendam entre 150 e 300 minutos de exercício moderado ou entre 75 e 150 de exercício intenso semanalmente.

“Estas diretrizes são muito oportunas, dado que estamos a meio de uma pandemia que obrigou as pessoas a ficar em casa e encorajou os comportamentos sedentários. Como elas apontam, qualquer atividade física conta e é melhor do que nada”, afirma Emmanuel Stamatakis, especialista em atividade física e saúde e co-editor do BJSM.

Caso não tenha tempo para 40 minutos de exercício todos os dias, atividades mais simples como subir as escadas em vez de ir de elevador, brincar com crianças e animais, fazer tarefas domésticas, ou andar de bicicleta são alternativas para o ajudar a ir começando a ser mais ativo, apontam os investigadores

Fazer recomendações para todas as idades e tipos de corpos levanta questões, apesar da marca dos 40 minutos ir ao encontro de pesquisas anteriores. Com o avanço da ciência e a publicação de mais estudos, devemos começar a aprender mais métodos de continuarmos saudáveis mesmo passando horas sentados atrás de uma secretária.

“Ainda não está claro, por exemplo, onde fica o critério do que é “demasiado tempo sentado”. Mas esta é uma área de investigação de evolução rápida, e tenho esperança de que vamos ter essas respostas daqui a uns anos”, conclui Stamatakis.

  Adriana Peixoto, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Deter primeiro, perguntar depois". Milhares de potenciais vítimas de tráfico retidas em centros para migrantes no Reino Unido

A nova lei para a nacionalidade e fronteiras do Reino Unido pode exacerbar ainda mais as detenções sem que sejam identificados os casos em que os migrantes possam ser vítimas de tráfico humano. Nos últimos cinco …

Um quarto dos trabalhadores em Portugal tem demasiadas qualificações para o seu emprego

Um estudo do ISCTE aponta que um quarto dos trabalhadores em Portugal são sobrequalificados para o emprego que têm. Portugal é o segundo país europeu com o valor mais alto, ficando apenas atrás da Grécia. Segundo …

ADSE comparticipa consultas de psicologia sem prescrição médica

Com a nova atualização da tabela de pagamentos da ADSE, as consultas de psicologia são comparticipadas sem necessidade de prescrição médica, no regime convencionado. De acordo com o Público, um utente pode ter até 12 consultas …

E se o Governo cair? Execução dos fundos europeus por um governo demissionário é difícil, mas não impossível

Especialistas consideram que as exceções previstas na Constituição para os Governos de gestão possibilitam a execução e gestão das verbas provenientes de Bruxelas. No que concerne a fundos europeus, sejam eles no quadro do Portugal 2020, …

Benfica: Bayern marcou quatro golos em sete minutos contra... o líder

O último jogo antes do regresso à Liga dos Campeões correu muito bem à equipa de Munique, que goleou o Bayer Leverkusen por 5-1. Ficou reservado para este domingo o grande jogo da Bundesliga. Em Leverkusen …

"Instituição desadequada" para um país moderno. Podemos quer acabar com a monarquia espanhola na próxima década

O partido de esquerda tem como objetivo instalar uma República plurinacional em Espanha, pondo fim ao poder monárquico. O Podemos tem-se mostrado contra a monarquia em diversos momentos, mas agora assumiu como projeto para a próxima …

"Seria crucificado". Jogador da Premier League tem medo de assumir homossexualidade

Um futebolista da Premier League, cuja identidade não foi revelada, disse que tem medo que os adeptos percebam que é homossexual, receando repercussões. Em declarações ao jornal britânico The Sun, o jogador diz que embora não …

Entre horas extra excessivas e férias por gozar, SNS está pior do que no tempo da troika

Tanto médicos como administradores assinalam que a solução não passa pela contratação de mais profissionais. O SNS está pior do que no tempo da troika. A dotação na área da Saúde presente na proposta do OE2022 …

Adeptos do FC Porto (alguns) criticam falta de comparência no basquetebol

Portistas tinham avisado e não apareceram mesmo no jogo com a Ovarense. Reacções não são unânimes. Foi o momento mais invulgar dos últimos anos nos principais campeonatos em Portugal: um jogo não se realizou porque uma …

Preço dos combustíveis volta a aumentar. Subida anula praticamente a descida do imposto

O preço dos combustíveis volta a aumentar esta segunda-feira. O novo aumento anula praticamente a descida do imposto anunciada pelo Governo. Na sexta-feira, o Governo anunciou a redução do Imposto sobre Produtos Petrolíferos (ISP), medida que …