Partilhar a cama com um parceiro pode ter benefícios inesperados no sono

Mesmo estando num sono profundo, o nosso cérebro não está completamente desligado daqueles que nos rodeiam.

O som do ressonar, o puxar de cobertores e o choque entre partes do corpo quando se dorme com alguém, segundo um novo estudo, pode realmente dar-nos a sensação de uma melhor noite de descanso.

No entanto, estes benefícios só se verificam quando a cama é partilhada com um cônjuge ou parceiro. Se uma mãe dormir regularmente com o seu filho, por exemplo, é provável registar insónias maiores do que se dormisse sozinha.

Os resultados baseiam-se nas respostas a inquéritos e a resultados de testes de sono de mais de 1.000 adultos nos EUA, e sugerem que a pessoa que dorme ao nosso lado pode ter impacto no quão bem nos sentimos quando acordamos.

Em comparação com aqueles que dormem sozinhos, os participantes que partilharam uma cama com o seu parceiro relataram menos fadiga e uma capacidade de adormecer mais depressa, bem como um sono mais longo.

Este grupo também apresentou uma menor tendência de depressão, ansiedade, e stress do que aqueles que dormiam sozinhos, segundo noticia a Science Alert.

“Dormir com um parceiro ou cônjuge romântico demonstra ter grandes benefícios na saúde do sono, incluindo a redução do risco de apneia do sono, gravidade da insónia, e melhoria geral da qualidade do sono“, realça Brandon Fuentes, psiquiatra da Universidade do Arizona.

Se as melhorias na saúde mental se devem aos benefícios de dormir acompanhado ou à qualidade da relação romântica não é claro. Pode até ser um pouco de ambos.

As pessoas com relações de compromisso costumam apresentar melhor saúde física e mental do que aquelas que são solteiras.

É difícil decifrar porque é que isto acontece, devido à quantidade de variáveis que afetam o corpo e a mente ao longo da vida. Acrescentando a natureza misteriosa do sono, a imagem fica ainda mais turva.

A maioria dos estudos que investigaram os benefícios de dormir sozinho ou de partilhar uma cama confiaram na qualidade do sono auto-referido, tal como foi o caso deste, cujos resultados foram publicados na Oxford Academic.

Poucos estudos se debruçaram sobre a forma como dormir com um parceiro romântico influencia realmente as fases neurológicas cruciais do sono, como o sono de movimento rápido dos olhos (REM).

Curiosamente, a pesquisa sobre este tópico descobriu que os casais não só sincronizam os seus movimentos durante o sono, mas também sincronizam as suas fases de sono. Quando os dormiram na mesma cama, o seu sono REM aumentou 10% e foi menos interrompido do que quando dormiram sozinhos.

A sincronização interpessoal está ligada ao comportamento pro-social, à ligação social, e ao efeito positivo — todos eles com benefícios para a saúde mental.

Esta pode ser parte da razão pela qual as pesquisas continuam a encontrar provas de que os casais se sentem melhor a dormir quando o fazem um com o outro.

Outro inquérito publicado apenas este ano encontrou inquiridos que pensavam adormecer mais depressa à noite se partilhassem uma cama com um parceiro de longa duração.

Infelizmente, inquéritos como estes não nos conseguem explicar a razão pela qual dormir com um parceiro melhora o sono de uma pessoa, apenas confirmam que existe uma correlação.

Até pode acontecer que as pessoas inquiridas pensem que tenham dormido melhor, quando, na realidade, tal não aconteceu.

Para contornar isto, algumas pesquisas têm confiado em relógios inteligentes que registam os movimentos durante o sono.

Um desses estudos descobriu que o movimento durante a noite aumenta quando uma pessoa dorme ao lado do seu parceiro, caindo em sincronia com a outra pessoa.

Mas só porque se regista mais movimento durante a noite, não significa necessariamente que o sono tenha sido pior…

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.