Partex não vai investir mais em Portugal. “Não vale a pena”

socialeurope / Flickr

Isabel Mota presidente da Calouste Gulbenkian

O presidente da Partex afirmou numa entrevista hoje publicada que a empresa decidiu deixar de investir em Portugal e que não vai contestar a rescisão dos contratos com o Governo para exploração e prospeção de petróleo.

Em entrevista ao Público, António Costa e Silva adiantou que relativamente ao Algarve, a Partex decidiu “não contestar a rescisão do contrato”.

“Nós, pura e simplesmente, decidimos não investir mais em Portugal, não vale a pena. Apostámos no projeto do Algarve porque existia um Governo em que o ministro Álvaro Santos Pereira, que foi muito criticado, tinha a preocupação de desenvolver os recursos naturais e percebeu que o país precisava de uma onda de reindustrialização e que isso criaria riqueza e emprego”, disse.

E justificou: “quando mudou o Governo, passámos para o ciclo oposto, que é governar em função do que dizem os autarcas e a opinião pública, sem haver uma visão clara da importância que o projeto Algarve poderia ter”, disse.

Segundo o responsável, o projeto do Algarve era “plausível e executável”, tendo sido feitas campanhas sísmicas. Adianta também que fechou os projetos em Peniche e no Alentejo. No entender do presidente da Partex, “uma política que hostiliza as empresas e o lucro não cria condições amigas do investimento e do desenvolvimento do país”.

Na entrevista ao Público, António Costa e Silva disse também que a Partex vai entrar “num novo ciclo” com a venda ao grupo chinês CEFC, que quer “investir e transformá-la numa plataforma global”, orientada para o Médio oriente, Ásia Central e países de língua portuguesa.

O negócio ainda não estará fechado, mas o presidente da Partex está confiante que é só uma questão de tempo.

“A negociação, complexa, está a decorrer. Nesta altura estão-se a discutir os termos do acordo. Acho que há uma grande probabilidade de se concretizar. Depois, após o acordo, tem de haver a notificação a todas as companhias operadoras onde estamos, e há algumas concessões em que é necessário consultar também os parceiros por causa dos direitos de preferência”, disse.

António Costa e Silva, que se tem reunido com o novo acionista, salienta na entrevista que os “recursos humanos são uma das condições cruciais do contrato“. De acordo com o presidente da Partex, o novo investidor quer a “equipa, as valências, o know-how, a tecnologia”.

Questionado sobre se “vê a Partex a apostar novamente nas energias renováveis, Costa e Silva salienta que a empresa tem “muitos contactos pelo mundo”. A Fundação Calouste Gulbenkian detém 100% do capital da Partex, empresa que é liderada por António Costa Silva.

A Partex foi fundada em 1938, por Calouste Gulbenkian, que até então “tinha sido o grande promotor da criação da Iraq Petroleum Company, uma empresa que reuniu os interesses das empresas que hoje se chamam BP, Shell, Total, Exxon Mobil, e onde ficou com 5%, passando a ser conhecido como o “Mister Five Per Cent”.

Foi a Iraq Petroleum Company que iniciou toda a atividade da indústria petrolífera no Médio Oriente, juntando como parceiros o Iraque, Qatar, Abu Dhabi e Omã.

Calouste Gulbenkian entrou na Iraq Petroleum Company em nome individual, mas depois criou a empresa Participations and Explorations, daí o nome Partex, que assinou em 1939 a primeira concessão com Abu Dhabi.

Com a nacionalização de 60% da concessão em 1971, surgiu a empresa nacional ADNOC em Abu Dhabi, diminuindo a participação de todos os acionistas, o que no caso da Partex representou uma redução de 5% para 2%.

Entretanto, a Fundação Calouste Gulbenkian recebeu uma oferta de compra para a Partex, encontrando-se em processo de negociações com o grupo interessado.

// Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. É o Portugal em crescimento, com o investimento internacional em fuga !!
    Só loucos se habilitam a meter dinheiro neste país, com a pior legislação laboral europeia, e com uma sofreguidão estatal na cobrança de impostos a tudo o que mexe.
    Crescimento, só se for na arrogância do tosta.

    Outro escândalo, é a delapidação dos ativos da Gulbenkian pelas recentes administrações, para criar liquidez e poder distribuir dividendos e benesses… A Fundação foi uma dádiva de Gulbenkian a Portugal e não a um grupo de gestores que se tem divertido a delapidar a fundação.

    • muito bem !!!! em relaçao ao primeiro paragrafo….. sabe se que o petroleo nao é o forte da geringonça… quanto ao segundo paragrafo sabemos como e facil para a geringonça, gastar o patrimonio do estado….sem sequer alguem apontar o dedo….
      sabemos que o jornalismo esta entrege a mercenarios ao serviço dos institos mais baixos dos marxistas.. enriquecer a qualquer custo desde que escondidos do olhar abulico do povinho.

  2. A “importância do projecto Algarve” seria rebentar com o fundo marinho para chupar o petróleo e deixar a poluição arrasar as praias, deixando os lucros nas mãos da petrolífera e arruinando o Turismo. O Turismo é uma actividade que dá emprego a muito mais pessoas do que a exploração do petróleo daria e os lucros são muito mais bem distribuidos pela população. Colocar o Turismo em risco para satisfazer os interesses estrangeiros teria sido um grande erro. Imaginem uma maré negra na Praia da Rocha ou um petroleiro encalhado na Ilha de Tavira…

RESPONDER

Planetas anormalmente gigantes detetados a orbitar uma estrela jovem

Investigadores identificaram uma jovem estrela com quatro planetas do tamanho de Júpiter e de Saturno em órbita, a primeira vez que tantos enormes planetas foram detetados num sistema tão jovem. O sistema também quebrou o recorde …

Diminuição de insetos tem efeitos "inimagináveis" para os seres humanos

A diminuição do número de insetos é um problema muito mais grave do que se julgava. Nova investigação afirma que essa diminuição põe em causa cadeia alimentar e traz "consequências inimagináveis para os seres humanos". O …

Cientistas confirmam que os eletrões são perfeitamente redondos

Com uma precisão sem precedentes, cientistas mediram a forma da carga de um eletrão confirmando que é extremamente redonda. O resultado apoia o Modelo Padrão das Partículas Física e força a revisão de várias teorias …

Morte de Khashoggi foi um "erro monumental". Riade diz não saber do corpo

Em entrevista à Fox News, o ministro dos Negócios Estrangeiros saudita, Adel al-Jubeir, afirmou neste domingo não saber onde se encontra o corpo do jornalista Jamal Khashoggi, considerando que a sua morte foi um "erro monumental". …

Médicos voltam a integrar Conselho Nacional de Saúde após renúncia do presidente

A Ordem dos Médicos decidiu voltar a integrar o Conselho Nacional de Saúde, após a renúncia ao cargo do atual presidente do organismo, disse à agência Lusa o bastonário. De acordo com Miguel Guimarães, o Conselho …

Numa vila turca, os muçulmanos têm rezado na direção errada durante décadas

Os muçulmanos de uma pequena aldeia no oeste da Turquia foram obrigados a ajustar as suas orações, depois de descobrirem que estavam a rezar na direção errada durante décadas.  A descoberta partiu do imã Isa Kaya, …

Há um superaglomerado de galáxias escondido no Universo primitivo

É a maior estrutura astronómica alguma vez conhecida do antigo Universo. As evidências sugerem que a sua massa seja equivalente às maiores estruturas encontradas no Universo atual. A equipa de investigadores, liderada por Olga Cucciati, do …

Trump anuncia saída dos EUA de tratado nuclear com a Rússia

Os Estados Unidos vão retirar-se de um tratado sobre armas nucleares assinado com a Rússia durante a Guerra Fria, anunciou hoje o presidente norte-americano, Donald Trump, acusando Moscovo de violar o acordo “há muitos anos”. “A …

Os portugueses têm menos filhos do que gostariam

A diretora da representação do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) disse que em Portugal a fertilidade desejada está bastante abaixo da realizada, tendo o país uma taxa de fecundidade baixa. Mónica Ferro, que neste …

"Piranha" da era dos dinossauros aterrorizou os mares do Jurássico

Uma nova espécie de peixe, semelhante a uma piranha e que viveu há 150 milhões, no tempo dos dinossauros, é descrita na edição desta sexta-feira da revista científica Current Biology. O peixe ósseo tinha dentes como …