/

Paris lança número de emergência para fazer frente à crise de percevejos

O Governo francês lançou uma campanha, esta quinta-feira, para fazer frente à crise de percevejos que se instalou em Paris.

Segundo a agência France-Press, citada pelo The Guardian, casas e hotéis da capital francesa estão a ser atacados por uma praga de percevejos e, por isso, o Governo viu-se obrigado a tomar medidas.

De acordo com o Ministério da Habitação, depois de terem desaparecido do país nos anos 50, estes insetos voltaram a aparecer, sobretudo por causa da sua resistência aos inseticidas e devido ao aumento de turistas estrangeiros.

O Executivo lançou uma página na Internet dedicada a este problema, com conselhos de como prevenir e tratar uma infestação, assim como um número de telefone de emergência.

A agência escreve que as populações de percevejos começaram a decrescer depois da II Guerra Mundial devido à utilização de pesticidas como o DDT. No entanto, a proibição destes produtos permitiu a sua ressurgência.

Nos anos 90, os primeiros sinais verificaram-se em Nova Iorque e, em 2010, a praga era tão significativa que estes insetos foram encontrados em apartamentos localizados em arranha-céus, hotéis e até em lojas de roupa como a Victoria’s Secret.

Os percevejos, cujo nome científico é Cimex lectularius, custam milhares de milhões de dólares anualmente aos bolsos de residentes e proprietários de negócios devido às desinfestações.

Em 2016, um estudo científico descobriu que estes insetos, que normalmente se escondem nas camas e mordem durante o sono, ficaram resistentes aos pesticidas.

Em Paris, especialistas de exterminação dizem que foram chamados a cerca de 400 mil moradas em 2018, incluindo hotéis, apartamentos e casas, o que representou mais de um terço dos casos do ano anterior.

O problema é tão significativo que até já foi referido na campanha à Câmara Municipal de Paris, com o candidato Benjamin Griveaux — que entretanto desistiu da corrida devido a um escândalo sexual — a prometer limpar a cidade em 100 dias.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.