Quase todos os pais preferem comprar manuais escolares novos

Bindaas Madhavi / Flickr

Em média, as famílias portuguesas vão gastar cerca de 487 euros em material escolar

Quase todos os pais portugueses (97%) preferem comprar livros escolares novos a usar os manuais atribuídos pelas escolas, os emprestados ou os comprados em segunda mão, refere um estudo publicado esta quarta-feira por uma empresa de crédito pessoal.

O valor é idêntico ao de2016, segundo dados da mesma entidade (Observador Cetelem), mas revela uma subida face a 2017. No ano passado, a intenção de adquirir livros novos para a escola apresentava uma tendência de redução, sendo a opção de 93% dos pais.

O estudo, feito com base num inquérito realizado a 600 pessoas, indica, no entanto, que os encarregados de educação acabam por usar livros de várias origens para os alunos.

A opção pelos livros fornecidos pela escola (ou pelo Ministério da Educação) é uma escolha na qual apenas 8% dos encarregados de educação mostraram interesse, enquanto os livros em segunda mão ou emprestados são opções com cada vez menos interesse para os pais, tendo passado de uma média de 12% para 8%.

No ano letivo que terminou, os manuais escolares foram gratuitos para os alunos do 1.º ciclo das escolas públicas e, este ano (2018-2019) serão gratuitos até ao 6.º ano de escolaridade.

Segundo o inquérito realizado, as famílias portuguesas contam gastar, este ano, uma média de 487 euros em material escolar, mais 88 euros do que no ano passado.

A compra de livros, mochilas e cadernos para o próximo ano letivo vai custar, em média, mais 22% do que no ano passado e mais 7% do que há dois anos.

A compra dos livros escolares é feita sobretudo nos hipermercados e supermercados, onde vão 88% dos pais e encarregados de educação. Opção que, segundo o estudo, tem vindo a aumentar nos últimos anos. Em 2016, os supermercados eram a escolha de 66% dos pais.

Ainda assim, refere o estudo, o material continua a ser comprado em vários locais, sendo que “as papelarias demonstram uma estabilidade enquanto alternativa para a compra de manuais escolares”. De acordo com o inquérito realizado este ano, 81% das famílias também mostrou interesse em comprar material em livrarias.

Já a Internet revelou uma quebra considerável, tendo sido o local escolhido de compra dos livros escolares de 42% dos pais, no ano passado, mas reunindo o interesse de apenas 25% das famílias, este ano.

As despesas com a educação dos filhos levam um terço dos pais a ter uma poupança dedicada a este custo, coisa que quase metade das famílias (47%) referiu não poder ou querer fazer.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Friends: atores já terminaram as gravações do episódio especial

Ainda antes de os talk shows serem suspensos devido à COVID-19, Matt LeBlanc foi um dos convidados do The Kelly Clarkson Show, onde confirmou que as gravações do episódio especial de FRIENDS estavam concluídas. O programa …

YouTube remove vídeos que vinculam falsamente a Covid-19 ao 5G

A onda de teorias falsas que ligam a pandemia da COVID-19 ao 5G levou a uma série de incidentes, incluindo ameaças a engenheiros. Agora, o YouTube está a reprimir essa desinformação. O YouTube informou que removerá …

Engenheiros construiram um ventilador caseiro. Pode servir como "último recurso"

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Vanderbilt, nos Estados Unidos, construiu um ventilador caseiro que pode ser usado como último recurso. A pandemia de covid-19 continua a desafiar as comunidades médicas e uma das ameaças …

Sepultura de genocídio encontrada no Ruanda pode conter 30 mil corpos

No Ruanda, foi encontrada uma sepultura que pode conter 30 mil vítimas do genocídio no país em 1994. Cerca de 800 mil tutsis e hutus moderados foram assassinados. Mais de 25 anos depois de um genocídio …

Belenenses SAD entra parcialmente em lay-off

"A indústria do futebol está entre as mais atingidas pelos efeitos da pandemia", que provocou a suspensão de praticamente todas as provas futebolísticas, destaca o Belenenses SAD. O Belenenses SAD, da I Liga de futebol, entrou …

Dois milhões de máscaras furtadas em Espanha podem ter sido vendidas em Portugal

O equipamento médico e sanitário furtado está avaliado em cinco milhões de euros e terá sido adquirido por uma empresa portuguesa que conhecia a proveniência do material. Um empresário de Santiago de Compostela foi detido por, …

Facebook terá tentado comprar um software de espionagem em 2017

O Facebook tem estado envolvido em vários escândalos e o mais recente está relacionado com a alegada compra da ferramenta Pegasus, usada para hackear iPhones. A empresa de segurança informática NSO Group, responsável pela Pegasus, alega …

Primeiro-ministro espanhol diz que coronavírus desafia o futuro da UE. E fá-lo em sete idiomas

O primeiro-ministro espanhol Pedro Sánchez publicou no domingo um artigo em sete idiomas europeus, argumentando que o coronavírus pode ser a ruína da União europeia (UE) caso não sejam tomadas medidas mais drásticas para lidar …

Viseiras de Leiria despertam cobiça. Bélgica e EUA queriam comprar toda a produção

Várias empresas de moldes e plásticos da região de Leiria estão a fabricar viseiras de protecção contra a Covid-19. Uma adaptação em tempos de pandemia que está a levantar atenção no estrangeiro, com EUA e …

Apple vai começar a produzir um milhão de máscaras por semana

O presidente da Apple, Tim Cook, anunciou que a empresa poderá produzir um milhão de máscaras por semana a partir do próximo fim de semana. Tim Cook explicou, na sua conta da rede social Twitter, que …