Ossos partidos. O grafeno pode ser a maior promessa da medicina ortopédica

Ossos partidos são uma das piores lembranças da infância – primeiro o acidente, seguido dos meses aborrecidos de descanso e de recuperação. No entanto, as crianças do futuro podem ter uma história diferente para contar, graças ao grafeno.

Nanomateriais de carbono podem ter o poder de curar ossos mais rápido do que magia. Investigadores da Universidade Carnegie Mellon, nos Estados Unidos, testaram uma nova formulação de grafeno que, além de ser biodegradável, mimetiza os ossos, atrai células estaminais e melhora a forma como os animais reparam danos nos seus esqueletos.

Segundo o estudo, publicado recentemente na Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), este grafeno de fosfato permite que as próprias células do corpo reconstruam mais rapidamente um osso partido ou danificado. Os cientistas acreditam que esta tecnologia, ainda na fase inicial, pode tornar-se numa parte vital da medicina ortopédica.

O grande “segredo” da medicina ortopédica tradicional sempre foi imobilizar os ossos, permitindo que o corpo os restaurasse com o tempo. A verdade é que esta tarefa é muito bem atribuída aos nossos ossos, uma vez que conseguem consertar até os danos mais sérios.

As técnicas modernas de fisioterapia incluem exercício físico, dieta equilibrada e descanso. As lesões verdadeiramente traumáticas podem exigir cirurgias, que exigem, por sua vez, tempos de recuperação mais elevados, mais fisioterapia e muita dor. Neste âmbito, os cientistas afirmam que há espaço para melhorar, nomeadamente, o tratamento destes casos mais dramáticos.

Stefanie A. Sydlik, da Universidade Carnegie Mellon e líder da equipa, apresenta uma abordagem moderna da ortopedia neste estudo recente: entrar no corpo para maximizar a recuperação interna.

Segundo o SingularityHub, quando o grafeno é colocado sobre e à volta do tecido ósseo partido, serve como uma estrutura para as células ósseas se ligarem e crescerem – como se fosse hera a “escalar” um muro. No entanto, ao contrário do muro, o grafeno vai desaparecendo à medida que as células ósseas crescem no seu lugar.

Apesar de esta abordagem não ser propriamente nova, este novo estudo mostra melhorias no design, formulação e produção do grafeno de fosfato.

Este “andaime” de grafeno é altamente personalizável, uma vez que permite atrair os iões de cálcio corretos e programar outras propriedades físicas, resultando num material que imita os ossos reais do corpo humano o máximo possível.

Há muitas tecnologias capazes de fazer o mesmo trabalho que o grafeno, mas nenhuma tão perto de alcançar o público. E é quando o grafeno se tornar uma parte acessível dos cuidados de saúde, que o seu real potencial irá chegar, adianta o SingularityHub.

O grafeno é apenas um conjunto de átomos de carbono dispostos mediante um padrão, mas o seu potencial de variar a composição molecular é quase infinito. À medida que os investigadores continuam a desenvolvê-lo, o grafeno de fosfato pode ser ainda mais personalizado e otimizado com uma ampla gama de propriedades físicas e químicas.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

PJ descobre depósito de explosivos da Resistência Galega no centro de Coimbra

A Polícia Judiciária (PJ) desativou, em Coimbra, uma base logística do grupo independentista Resistência Galega, onde apreendeu “um importante” espólio de material usado nas atividades da organização. A PJ agiu no quadro de uma operação policial …

Teresa Leal Coelho admite processar ex-vereador Fernando Nunes da Silva

A vereadora da Câmara Municipal de Lisboa Teresa Leal Coelho admitiu que poderá vir a processar o antigo vereador Fernando Nunes da Silva, devido às declarações sobre a reposição dos sentidos de circulação na Avenida …

Linha de Fundo: Benfica reforça liderança, mais recados de Conceição, um jardim de infância especial e João “rosa” Almeida

Era uma vez um Clássico... Deu empate o primeiro clássico da época 2020/21. Em Alvalade, Sporting e FC Porto igualaram-se a duas bolas, num jogo que valeu pelas mudanças de resultado, mas que nem sempre foi …

CDS critica PS por obrigar portugueses a pagar "buraco" da TAP para servir apenas Lisboa

O CDS está "chocado" por a TAP ir abandonar as quatro rotas que opera no Aeroporto Francisco Sá Carneiro e critica o PS por obrigar portugueses a pagar "buraco" da TAP para servir apenas Lisboa. O …

Contratos de associação dos colégios privados. Ministério da Educação vence todos os 55 processos judiciais

Em todos os 55 processos judiciais que os colégios privados moveram contra o Ministério da Educação em 2016, na sequência da polémica dos contratos de associação, todas as 55 decisões foram favoráveis ao Governo. O jornal …

Famílias numerosas podem pedir desconto no IVA da luz a partir de março

As famílias com cinco ou mais elementos só poderão usufruir da redução do IVA da eletricidade a partir de 1 de março e terão de o requerer junto do seu fornecedor, segundo uma portaria esta …

Vacina da gripe disponível para mais grupos. Farmácias temem não ter stock suficiente

A vacina da gripe está, a partir desta segunda-feira, disponível para mais grupos populacionais com o início da segunda fase da campanha, que estende a vacinação a pessoas com 65 ou mais anos e pessoas …

Franceses em protesto para homenagear professor decapitado. Autoridades procuram radicais islâmicos

Milhares de pessoas reuniram-se no domingo no centro de Paris numa demonstração de repúdio pela decapitação do professor que mostrou aos seus alunos desenhos do Profeta Maomé. Os manifestantes da Praça da República ergueram cartazes onde …

Proud Boys acreditam na vitória de Trump: "Vamos Ganhar". Voto antecipado começa hoje na Florida

O líder do grupo Proud Boys disse à Lusa, durante uma manifestação em Miami, que Donald Trump vai vencer as eleições presidenciais norte-americanas, e rejeitou a acusação de que é dirigente de uma organização extremista. …

Projeto desenvolve testes rápidos de baixo custo para detetar imunidade

Um consórcio de universidades e uma empresa querem desenvolver "testes rápidos e de baixo custo" para detetar a resposta imunitária ao vírus SARS-CoV-2. O projecto TecniCov, que "obteve um financiamento de 450 mil euros da Agência …