/

“Os dois médios do Benfica são fracos”, analisa Carlos Manuel

Tiago Petinga / Lusa

Antiga figura da Luz acha que, só agora, Jorge Jesus está a conhecer os jogadores que tem e o treinador vê que precisa de muitos reforços.

O Benfica não está bem servido no miolo do meio-campo, defende Carlos Manuel. Depois de sete vitórias consecutivas e de estar sempre na liderança do campeonato, o vice-campeão nacional perdeu dois jogos seguidos, sofreu nove golos em três encontros, mas o problema principal não está na defesa, de acordo com o antigo médio.

“Anda-se a falar dos centrais, que são um problema, e fala-se sobre a velocidade… Isso é tudo para inglês ver. Tudo. Eu, olhando para os dois médios do Benfica, acho que são fracos. E não é por acaso que o Jorge Jesus já experimentou vários jogadores nessa posição: já experimentou o Pizzi com o Gabriel, já experimentou o Pizzi com o Weigl, o Samaris, o Taarabt…”

“As coisas não estão a dar certo no meio-campo. Para mim, os médios que o Benfica tem não têm qualidade para a exigência do Benfica“, continuou o antigo internacional português, na Sport TV, lembrando uma dupla forte naquela posição de outros tempos: “Se nos lembrarmos do Matić, do Enzo… E não vamos ao meu tempo, senão aí morremos, caímos!”.

Olhando só para os onzes iniciais dos tais três jogos consecutivos que o Benfica não venceu (Boavista, Rangers e Sporting de Braga), no Bessa jogaram Gabriel e Taarabt (e Pizzi também foi titular), contra o Rangers foi Weigl a entrar para o lugar de Gabriel, e na receção ao Sporting de Braga foi Samaris a jogar ao lado de Pizzi. No primeiro jogo oficial da época estiveram em campo Weigl, Pizzi e Taarabt mas no jogo seguinte, em Famalicão, Weigl e Pizzi ficaram no banco de suplentes, com Gabriel a saltar para a titularidade.

Carlos Manuel acha que Jorge Jesus ainda está a conhecer os jogadores que tem no seu plantel e o treinador vê agora que precisa de muitos reforços: “Jesus vem, conhece a equipa de fora, estava de fora; agora é que conhece bem a equipa“.

“Se calhar, olhando de fora para dentro é uma coisa, mas quando está lá, as coisas são diferentes. E ele agora é capaz de dizer assim «preciso de um lateral-esquerdo, de um lateral-direito, de dois médios-centro, de um avançado, de um central…». Já que se fala nos centrais, agora”, reforçou o ex-futebolista.

  NMT, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.